Turismo de saúde no Brasil: aportes desde a produção acadêmica (2004-2020)

Conteúdo do artigo principal

Adriana Dennise Rodríguez

Resumo

O turismo de saúde tem sido uma temática pouco desenvolvida no Brasil, mas começou a ganhar atenção e importância pelo seu aporte econômico. No entanto, suas consequências sociais (principalmente quanto ao acesso a saúde) não são muito bem conhecidas, motivo pelo qual é importante conhecer o estado das discussões deste segmento turístico. Neste trabalho, foi realizada uma análise dos produtos acadêmicos feitos no Brasil (presentes em Google Scholar e PubMed) sobre esta temática no período 2004-2020, a qual revelou que, pese a incipiência dos debates, se começa a ter uma preocupação visível –desde muitas disciplinas, entre elas a geografia– com o frágil equilíbrio existente na provisão de serviços de saúde no Brasil, mesmo que pode sofrer alterações com o atendimento de pacientes estrangeiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Rodríguez, A. D. (2022). Turismo de saúde no Brasil: aportes desde a produção acadêmica (2004-2020). Metodologias E Aprendizado, 5, 104–115. https://doi.org/10.21166/metapre.v5i.2369
Edição
Seção
Artigos

Referências

ADAMS, K. et al. A critical examination of empowerment discourse in medical tourism: the case of the dental industry in Los Algodones, Mexico. Globalization and Health, v. 14, n. 70, p. 1-10, 2018. DOI: https://doi.org/10.1186/s12992-018-0392-3

ALMEIDA, C. Reforma de sistemas de servicios de salud y equidad en América Latina y el Caribe: algunas lecciones de los años 80 y 90. Cadernos de Saúde Pública, v. 18, n. 4, p. 905-925, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2002000400002

ALMEIDA, I.; RIBEIRO, H. Health tourism and alternative medicine: a study on the offer and profile of establishments nearby two hospitals in the city of Porto Alegre, Brazil. European Journal of Medicine and Natural Sciences, v. 2, n. 1, p. 19-22, 2018. DOI: https://doi.org/10.26417/ejmn.v2i1.p18-22

BORRERO, Y. E. Derecho a la salud, justicia sanitaria y globalización: un debate pendiente. Revista de la Facultad Nacional de Salud Pública, v. 29, n. 3, p. 299-307, 2011.

CARPENA, D.; BONIN, S. Turismo de saúde – adequacao, responsabilidade e ética. Artigo presentado no V Encontro Semintur Jr. [S.l.]: Universidade de Caixas do Sul. 2014.

CONNELL, J. Medical Tourism. United Kingdom: CAB International, 2011. DOI: https://doi.org/10.1079/9781845936600.0000

EDMONDS, A. “Almost invisible scars”: medical tourism to Brazil. Signs: Journal of Women in Culture and Society, v. 36, n. 2, p. 297-302, 2011. DOI: https://doi.org/10.1086/655909

FERREIRA, A. F. Análise da concentração espacial do turismo de saúde e sua contribuição para o fomento da economia. Anais da Semana Paranaense de Turismo da UFPR. [S.l.]: [s.n.]. 2017. p. 1-15.

FRANCO, A. La globalización de la salud: entre el reduccionismo económico y la solidaridad ciudadana. Revista de la Facultad Nacional de Salud Pública, v. 20, n. 2, p. 103-118, 2002.

GUIMARÃES, R. Dupla determinação geográfica da saúde: um olhar franco-brasileiro. In: GURGEL, H.; BELLE, N. Geografia e saúde: teoria e método na atualidade. Brasília: Universidade de Brasília, 2019. p. 43-48.

HALL, M. The ethics regulation and marketing of health mobility. Oxon: Routledge, 2013.

ÍÑIGUEZ-ROJAS, L.; BARCELLOS, C. Geografía y salud en América Latina: evolución y tendencias. Revista Cubana de Salud Pública, v. 29, n. 4, p. 330-343, 2003.

JUDKINS, G. Persistence of the U.S. - Mexico border: expansion of medical tourism amid trade liberalization. Journal of Latin American Geography, v. 6, n. 2, p. 11-33, 2007. DOI: https://doi.org/10.1353/lag.2007.0042

KASPAR, H.; REDDY, S. Spaces of connectivity: the formation of medical travel destinations in Delhi National Capital Region (India). Asia Pacific Viewpoint, v. 58, n. 2, p. 228-241, 2017. DOI: https://doi.org/10.1111/apv.12159

LAESSER, C. Health travel motivation and activities: insights from a mature market – Switzerland. Tourism Review, v. 66, n. 1-2, p. 83-89, 2011. DOI: https://doi.org/10.1108/16605371111127251

LUNT, N. et al. Quality, safety and risk in medical tourism. In: HALL, M. Medical Tourism. The ethics regulation and marketing of health mobility. Oxon: Routledge, 2013. p. 31-46.

NORA, P. Turismo de saúde: um estudo comparativo. Turismo e desenvolvimento, v. 17-18, p. 1-16, 2012.

NUNES, J. A. Os mercados fazem bem a saúde? O caso do acesso aos cuidados. Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 95, p. 137-153., 2011. DOI: https://doi.org/10.4000/rccs.4427

OMS. Closing the gap in a generation: health equity through action on the social determinants of health. [S.l.]: [s.n.], 2008.

ORMOND, M. Shifting subjects of health care: placing medical tourism in the context of Malaysian domestic health care reform. Asia Pacific Viewpoint, v. 52, n. 3, p. 247-259, 2011. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1467-8373.2011.01457.x

PEITER, P. Avanços teóricos e metodológicos na relação entre geografia e saúde. In: GURGEL, H.; BELLE, N. Geografia e saúde: teoria e método na atualidade. Brasília: Universidade de Brasília, 2019. p. 73-80.

RIBEIRO, H. C.; BAPTISTA, M. L. C. Porto Alegre como cenário de turismo de saúde. Temas em Educacao e Saúde, v. 15, n. 2, p. 291-312, 2019. DOI: https://doi.org/10.26673/tes.v15i2.13176

SANTOS, M. Por otra globalización: del pensamiento único a la conciencia universal. Bogotá: Convenio Andrés Bello, 2004.

SANTOS, M. I. G. O turismo de saúde em Barretos: uma consequência da desigualdade na distribuição de equipamentos para o tratamento do câncer no Brasil. [S.l.]: TCC em Geografia, Universidade de Brasília, 2014.

SENGUPTA, A. Medical tourism: reverse subsidy for the elite.. Signs: Journal of Women in Culture and Society, v. 36, n. 2, p. 312-319, 2011. DOI: https://doi.org/10.1086/655910

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134

VOIGT, C. et al. Health tourism in Australia. Supply, demand and opportunities. Gold Coast: CRC for sustainable tourism, 2010.

WINCHESTER, H. P. M.; ROFE, M. W. Qualitative research and its place in Human Geography. In: HAY, I. Qualitative Research in Human Geography. Oxford: Oxford University Press, 2010. p. 3-25.

YOUNG, K.; CHANGSAN, B.; MINCHEOL, J. An investigation of Korean health tourists’ behavior. In: HALL, M. Medical Tourism. The ethics regulation and marketing of health mobility. Oxon: Routledge, 2013. p. 154-166.