MONITORAMENTO DA TEMPERATURA INTERNA DE CAIXAS DE ABELHAS REVESTIDAS COM ISOPOR E MANTA TÉRMICA

Conteúdo do artigo principal

Ana Julia Viebrantz
Yeda Kuchler
Claudia Cambruzzi
Lauri João Marconatto

Resumo

A produção de mel é uma atividade que gera impactos positivos para a economia e para a biodiversidade. Porém, estamos diante de uma grave problemática, que é o colapso das colmeias, a nível mundial; dentre tantos fatores, são citados o uso de agrotóxicos, ácaros, vírus, fungos, o manejo incorreto e as mudanças climáticas. Os impactos sobre o meio ambiente em relação a este fenômeno ainda estão sendo investigados, mas é sabido que grandes efeitos serão percebidos em relação à reprodução de plantas nativas e consequentemente de todos os animais, como também da própria produção agrícola. A produção de mel é uma atividade que gera impactos positivos para a economia e para a biodiversidade A variação de temperatura pode afetar o desenvolvimento de uma colmeia de abelhas, principalmente em nossa região, onde os invernos são mais rigorosos. Avaliar a influência de materiais utilizados para construção das caixas de abelhas é fundamental para sua melhor performance. Desta forma, este trabalho objetiva verificar se o revestimento de caixas de abelhas com placas de isopor associada a manta térmica pode agir como uma ferramenta de regulação térmica das colmeias e, com isso, possibilitar seu melhor desempenho. O experimento foi realizado no município de Santa Terezinha entre os meses de agosto de 2022 a abril de 2023, com nove caixas de abelhas feitas de madeira. Três delas foram revestidas com isopor de 1cm e manta térmica; três com isopor de 2cm e manta térmica e 3 delas não foram revestidas. Houve a medição da temperatura externa e interna das caixas durante as quatro estações do ano. No período do inverno, a temperatura interna das caixas forradas com isopor de 1cm e 2cm e atingiram a temperatura interna considerada ideal. Já as caixas sem nenhum revestimento, não atingiram a temperatura ideal. No período da primavera, a temperatura interna das caixas forradas com isopor de 1cm e manta térmica atingiu a temperatura ideal e as demais ficaram abaixo, não atingindo a atingindo a temperatura ideal. No período do verão, a temperatura interna das caixas forradas com isopor de 1 e 2 com e manta térmica atingiram a temperatura ideal. Já nas caixas sem nenhum revestimento, tiveram um desempenho superior. No período do outono, a temperatura interna das caixas forradas com isopor de 1 e 2cm cm e manta térmica tiveram um desempenho bastante próximo. Já nas caixas sem nenhum revestimento, tiveram um desempenho abaixo das revestidas com isopor e manta térmica. Os resultados demonstraram que a prática de se revestir -se as caixas de abelhas com isopor e manta térmica revelou-se uma prática mais eficiente durante as estações mais frias, não havendo uma distinção significativa entre a espessura do isopor. Já nas estações mais quentes, principalmente no verão, o ideal é a não utilização dos revestimentos, já que as caixas sem estes mantiveram a temperatura interna ideal com maior eficiência.

Detalhes do artigo

Como Citar
Viebrantz, A. J., Kuchler, Y., Cambruzzi, C., & Marconatto, L. J. (2024). MONITORAMENTO DA TEMPERATURA INTERNA DE CAIXAS DE ABELHAS REVESTIDAS COM ISOPOR E MANTA TÉRMICA. Anais Da Feira Do Conhecimento Tecnológico E Científico, 1(24). Recuperado de https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/fetec/article/view/5143
Seção
Ciências Biológicas