https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/issue/feed Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama 2022-09-26T12:06:14+00:00 Leila de Sena Cavalcante editora@ifc.edu.br Open Journal Systems <p>Os <strong>Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama</strong> consistem numa publicação eletrônica dos trabalhos apresentados nas edições do evento, realizado anualmente pelo Instituto Federal Catarinense - Campus Ibirama.</p> <p>A Feira do Conhecimento é um evento aberto à comunidade, especialmente escolar, que tem como objetivo apresentar os cursos ofertados neste campus e diversos projetos desenvolvidos, especificamente na área de Ensino, Pesquisa e Extensão. Tais projetos representam parte das atividades desenvolvidas nos cursos técnicos integrados ao ensino médio em Administração, Informática e Vestuário; e no curso superior, o Tecnólogo em Design de Moda.</p> https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3095 ANÁLISE DE CONTEÚDOS MATEMÁTICOS EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO SOB A ÓTICA DA TEORIA DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÃO SEMIÓTICA 2022-09-19T17:24:46+00:00 Milaiervy Bernardo da Silva milaiervy.ifc@gmail.com Ilizete Gonçalves Lenartovicz ilizete.lenartovicz@ifc.edu.br Eduardo Brandl eduardo.brandl@ifc.edu.br <p>As análises que buscam compreender as dificuldades apresentadas pelos estudantes na aprendizagem da Matemática geralmente pautam-se apenas na observação dos conceitos e suas complexidades epistemológicas e neste sentido, a Teoria dos Registros de Representação Semiótica tem se mostrado significativa ao propor uma abordagem do ponto de vista cognitivo, considerando as especificidades do conhecimento matemático. Esta teoria tem como pressuposto a necessidade do uso de diferentes registros de representação semiótica e ressalta ainda a importância dos tratamentos, das conversões e da coordenação entre os diferentes registros para compreender o objeto matemático em estudo. Assim, esta pesquisa tem como objetivo analisar dois livros didáticos de Matemática do Ensino Médio que foram escolhidos como primeira e segunda opção na última edição do Programa Nacional do Livro Didático, de forma a compreender como estes livros abordam alguns conteúdos matemáticos previstos para a segunda série do Ensino Médio tendo como suporte teórico esta teoria. Parte-se do pressuposto de que o livro didático ainda é o principal fio condutor das aulas de Matemática do Ensino Médio, pois mesmo que não seja usado diretamente em sala de aula, o planejamento das aulas e os exercícios que serão propostos aos estudantes são baseados em sua maioria, nos livros didáticos; portanto, analisar a forma como o livro didático aborda um conteúdo matemático, implica em conhecer de forma mais sistemática as concepções contidas neste instrumento em relação ao ensino e a aprendizagem de Matemática. A metodologia consistiu na leitura de artigos, trabalhos científicos e documentos oficiais e em seguida na elaboração dos critérios para análise dos livros didáticos de acordo com a Teoria dos Registros de Representação Semiótica e com as especificidades de cada conteúdo. Até o momento fez-se a avaliação e a análise parcial do conteúdo Sistemas Lineares dos livros Matemática Interligada e Matemática em Contextos. A análise destes dados mostrou que as atividades dos livros contemplaram as transformações de tratamento e conversão. Em relação aos tratamentos observou-se que o registro algébrico ainda é predominante, demonstrando que a abordagem de sistemas lineares ainda se resume, em grande parte, a aprender técnicas de resolução.&nbsp; Destaca-se ainda que em relação aos sistemas lineares 2 x 2 os livros apresentaram os métodos da adição e da substituição e para a resolução dos sistemas lineares prevaleceu o método de escalonamento. Nas conversões constam diferentes tipos de registros, mas as atividades propostas, de modo geral, apresentaram as conversões em um único sentido. Como continuidade deste projeto de pesquisa, há a necessidade de aprofundar a análise referente ao fenômeno de congruência e não congruência das conversões e verificar se as atividades de conversão propostas por cada livro didático possibilitam a coordenação entre os registros, o que para Duval (2003) é necessário para a compreensão em Matemática.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3096 COMO VIVER A MELHOR VIDA POSSÍVEL? 2022-09-19T17:27:54+00:00 Kauane Vanzuita kauanekahlo@gmail.com José Dimas d'Avila Maciel Monteiro jose.monteiro@ifc.edu.br <p>“Como viver a melhor vida possível?” (o que significa uma vida feliz?) é uma das perguntas centrais da investigação ética e das indagações humanas. Aceitamos, sem muitos obstáculos, que somos capazes de planejar nossas vidas e realizar aquilo que desejamos, mesmo diante das incertezas e das limitações do alcance de nossas escolhas e ações. Assim, planejar nossas vidas, decidir sobre qual vida viver, é tarefa eminentemente humana e somente é possível porque o futuro nos é incerto. Em termos teóricos, “como viver a melhor vida possível?” não é uma pergunta nova. “Como conduzir nossas vidas?” é a questão central na obra Ética a Nicômaco de Aristóteles. Envolve investigação para explicitar, entre outras, que escolhas e ações humanas pertencem ao domínio prático da vida humana, a política e a ética, e essas possuem como finalidade a eudaimonia (a felicidade, o bem viver, o bem agir), o bem humano. Por meio delas é possível concretizar a vida feliz em uma vida completa. O desafio não é apenas compreender o significado de vida feliz, mas também como alcançá-la, como viver a melhor vida possível. Investigar o significado da pergunta “como viver melhor vida possível?” poderá ser mais do que (re)conhecer o alcance da liberdade e autonomia humanas, a capacidade de planejarmos o nosso futuro e de realizarmos o que desejamos. Poderá nos ajudar a (re)conhecer, a partir de uma posição incontroversa da ética de Aristóteles, e tão estranha à filosofia moral moderna e à ânsia contemporânea em determinar sistemas éticos robustos: não escolhemos e agimos, no campo moral, apesar das emoções, mas com elas. Assim, o objetivo desta pesquisa é analisar o âmbito das escolhas e ações humanas em vista da vida feliz, no campo moral, a partir da noção de felicidade (eudaimonia, viver bem, agir bem) na Ética a Nicômaco de Aristóteles e produzir conhecimento acerca da pergunta “como viver a melhor vida possível?”, recorrendo ao método da pesquisa bibliográfica, de caráter teórico e analítico, por meio da investigação ética e filosófica. Esta se concentrará na leitura e estudo da Ética a Nicômaco de Aristóteles, especialmente no que se refere às noções de eudaimonia (felicidade) e de virtudes morais. Até o momento, as investigações nos levam a considerar que a felicidade em Aristóteles consiste em ações virtuosas, “atividade da alma” em conformidade com a virtude, uma disposição de todo ser humano para escolher a ação correta em cada circunstância da vida, pesando razões, e agir de acordo com essa escolha. A virtude é uma mediedade (meio termo), relativa a nós, entre dois males, um pelo excesso, outro pela falta. A coragem, uma das virtudes morais, é a mediedade entre a temeridade e a covardia. A pessoa virtuosa age corajosamente considerando as situações concretas em que está envolvida, escolhendo o correto curso de ação. Por isso, com razão, ninguém é corajoso dormindo e, como destacou Aristóteles, ninguém é feliz dormindo.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3102 ESTUDO DA UTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DO PLÁSTICO E SEUS IMPACTOS NA COMUNIDADE ACADÊMICA DO CAMPUS IBIRAMA 2022-09-19T18:00:34+00:00 Caroline Eskelsen Ignaczuk carolineignaczuk@gmail.com Herbert Silva Monteiro herbert.monteiro@ifc.edu.br <p>O plástico, inventado pelo inglês Alexander Parkes em 1862 apresenta propriedades que são elementares nos dias em que vivemos. São leves, resistentes, maleáveis e impermeáveis. Por exemplo nos anos 70 às sacolas plásticas foram introduzidas em nosso cotidiano, e se tornaram populares pela distribuição gratuita a cada compra em supermercados e lojas. A destinação a ser tomada é um dos maiores problemas da gestão de resíduos, com a demanda cada vez maior, criam-se as dificuldades quanto ao que fazer com os mesmos. Durante a sua produção, o plástico consome uma grande quantidade de energia, contribuindo, assim, nocivamente com a emissão de gases poluentes. A crescentemente a temática da sustentabilidade e do desenvolvimento sustentável vem sendo abordada no cenário econômico mundial, e assim, as preocupações com o meio ambiente alcançaram o setor empresarial, haja vista a concordância com a relevância da diminuição da poluição ambiental, dos desperdícios e do consumo desenfreado, buscando uma redução do índice de pobreza e desigualdade social. Os resíduos, muitas vezes, são depositados em lugares inapropriados: jogados em vias públicas, terrenos abandonados, lixões etc. Isto gera poluição, desconforto a população e impactos negativos ao meio ambiente. A deposição incorreta dos resíduos é resultado de más condições de armazenamento trazendo problemas ambientais, sociais e de saúde pública. Este projeto de iniciação científica tem como objetivo apresentar as diferentes percepções a respeito do plástico, sua utilização, reuso, reciclagem destinação e suas percepções na questão ambiental desse material tão presente em nosso cotidiano, busca demonstrar, os diversos fatores ambientais e sociais relacionados a utilização deste material, bem como, apresentar alternativas em relação ao seu consumo e de propor formas de reduzir seus impactos ambientais no âmbito da comunidade do IFC de Ibirama. A crescente busca pela sustentabilidade das camadas sociais faz despertar as questões ambientais dos seus mais diversos sujeitos, sendo então a utilização dos diversos tipos de plásticos um fator polêmico nas questões ambientais. Os resultados preliminares de 65 respostas obtidas via formulário eletrônico enviado por e-mail a comunidade acadêmica do Campus Ibirama mostram que, 89,2% utilizam sacolas plásticas regularmente em suas casas, que 69,2% separam seu lixo para coleta seletiva, 81,5% utilizam as sacolas plásticas fornecidas por estabelecimentos comerciais e que 46,2% reciclam seu lixo doméstico. A grande diversidade de plásticos que apresentam diferentes aplicações, reflete o comportamento utilitarista presente em uma sociedade consumista em que ainda falta investimento em educação ambiental e conscientização, além de iniciativas de coleta seletiva e reciclagem dos resíduos sólidos para uma melhoria no gerenciamento das questões ambientais pertinentes a esse material.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3092 MODELAGEM DE MODA EM APLICATIVOS DE DISPOSITIVOS MÓVEIS 2022-09-19T17:03:27+00:00 Mateus Santos De Campos matteuscampos96@gmail.com Luís Paulo Posanski luis.posanski@ifc.edu.br Ana Silvia de Lima Vielmo ana.vielmo@ifc.edu.br <p>Dentre as diversas etapas e processos que resultam em produtos de moda nos níveis educacional e principalmente industrial, a modelagem se destaca por ser um dos principais estágios para o desenvolvimento e materialização de uma peça de roupa, pois é por meio dela que se torna viável e possível transformar um desenho plano bidimensional de qualquer produto do vestuário em uma peça tridimensional, obedecendo aos princípios da geometria espacial em sua construção. Com a expansão de sistemas digitais e online na área gráfica, observa-se que o setor da moda e vestuário vem se favorecendo deste contexto tecnológico, o que beneficia tanto em aspectos de sustentabilidade quanto na dinâmica de organização interna das indústrias, resultando principalmente na redução do desperdício de matéria prima e a otimização da gestão de tempo. Diversas empresas de tecnologia como a catarinense Audaces desenvolvem softwares específicos para a gestão de matérias-primas e desenvolvimento de modelagem, porém, eles são comercializados para as indústrias mediante um investimento financeiro maior, e consequentemente, pequenas indústrias ou outras de baixo capital, ainda utilizam o processo de modelagem bidimensional tradicional, feito sobre o papel. Baseado nestas informações, o presente projeto tem como objetivo realizar através de pesquisas qualitativa e exploratória o levantamento de aplicativos disponíveis para o sistema operacional Android que auxiliem no processo de desenvolvimento da modelagem plana no vestuário, visando apropriar-se das informações e técnicas apresentadas nestes na conferência e complementação dos aprendizados obtidos nas disciplinas de modelagem que compõem o currículo da graduação em Moda. A pesquisa visa realizar uma seleção dos mesmos e identificar a viabilidade de uso destes, considerando principalmente sua eficácia informacional e, consequentemente, sua confiabilidade, visto que o processo de modelagem é de extrema importância na área da moda, e a precisão de medidas e técnicas resultam em um produto melhor configurado. No decorrer das pesquisas, no entanto, identificaram-se algumas limitações em relação ao conteúdo dos aplicativos, onde até o presente momento não foi possível encontrar um app que seja dedicado especificamente ao auxílio na construção de modelagens de peças do vestuário. Percebeu-se, no entanto, que a maioria dos itens pesquisados e disponibilizados para este sistema operacional seguem um mesmo padrão de configuração, consistindo basicamente em uma imagem digital resgatada de outra fonte virtual como sites de modelagens, Pinterest e até mesmo Google Imagens. Estas, por sua vez, são apresentadas por meio de fotos de qualidade reduzida e com informações em língua estrangeira (sendo muitas delas de origem asiática e do leste europeu, dadas às suas particularidades na grafia), o que acaba limitando, por fim, esses aplicativos a bibliotecas de moldes já existentes, não auxiliando o designer no desenvolvimento desta atividade. Considerando estas limitações, definiu-se que o projeto de pesquisa abrangerá também o sistema operacional iOS, disponível para smartphones da marca Apple. Pois, por ser uma outra plataforma, será possível verificar diferentes possibilidades de aplicativos, a fim de enriquecer ainda mais o objeto de estudo, conferindo, por fim, se através desta plataforma, os objetivos serão atingidos com maior propriedade.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3093 OS XOKLENG-LAKLÃNÕ EM SANTA CATARINA – SÉCULOS XVIII E XIX 2022-09-19T17:09:54+00:00 Maria Eduarda Loch mariaeduardaloch2005@gmail.com Giulia Catarina Bernardi Steuck giuliacbernardist@gmail.com Sofya da Rocha Frech sofyadarochafrech@gmail.com Carlos Eduardo Bartel carlos.bartel@ifc.edu.br <p>A história do povo indígena Xokleng-Laklãnõ, desde o contato pacífico com agentes do Serviço de Proteção aos Índios e Localização de Trabalhadores Nacionais (SPI-LTN), ocorrido nas terras da Colônia Hamônia, em setembro de 1914, é bastante conhecida. Inúmeros estudos acadêmicos, contemplando diferentes aspectos desse povo indígena foram desenvolvidos até o presente momento, tendo como ponto de partida as primeiras décadas do século XX, assim, poucas são as produções que se dedicaram a investigar e escrever a história dos Botocudos em Santa Catarina antes desse período. Cabe referir, que Botocudo é termo genérico atribuído a esses indígenas pelos portugueses. Nas fontes, os Xokleng/Laklãnõ eram denominados genericamente como botocudos, devido usarem um adereço no lábio inferior, o botoque. Por sua vez, o termo Xokleng, usado por estudiosos para classificação e distinção desses indígenas, foi popularizado através das obras de Sílvio Coelho dos Santos, atualmente tal nomenclatura vem sendo questionada e relativizada por estudiosos, principalmente, pelos próprios indígenas, que assumindo a condição de protagonistas também para narrar sua história, têm utilizado a expressão Laklãnõ, termo que remete ao grupo de sobrevivente que protagonizou o contato com os agentes do SPI, em 1914. Analisar a história que precedeu o contato pacífico de 1914 é o principal objetivo da atual pesquisa. Para isso, em termos metodológicos, diferentes documentos e fontes de pesquisa são analisadas como obras bibliográficas produzidas desde o século XIX, citações em documentos oficiais e notícias em periódicos, localizados em sua grande maioria na Hemeroteca Digital Catarinense, após reunir informações e fragmentos de informações, os mesmos são reunidos no sentido de compreender a trajetória dos Xokleng-Laklãnõ no século XIX. Reconstruir essa história, percebendo como esses seres humanos ocupavam de diferentes formas os territórios que hoje formam a região sul do Brasil, bem como ocorreram os contatos com os diferentes agrupamentos de homens brancos que avançaram por estas terras através de diferentes frentes de expansão é fundamental para compreensão da história indígena e da própria história do Brasil, o que justifica a presente pesquisa, desenvolvida com o apoio do Campus Ibirama, do Instituto Federal Catarinense.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3105 RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS NO PARANÁ 2022-09-19T18:13:18+00:00 Daiane Matos daianematos765@gmail.com Luciano Zanetti Pessôa Candiotto lucianocandiotto@yahoo.com.br Shaiane Carla Gaboardi shaiane.gaboardi@ifc.edu.br <p>(p style="text-align: justify;") Atualmente, o Brasil figura no cenário internacional, junto com China e Estados Unidos, como um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo, em números absolutos (FAOSTAT, 2021). À vista disso, instituições e pesquisadores da área ambiental e da saúde coletiva, têm levantado questionamentos sobre os possíveis efeitos deletérios que o uso ampliado de agrotóxicos pode ocasionar nos ecossistemas e para a saúde humana. Os efeitos relacionados à exposição aos agrotóxicos variam de impactos leves, de curto prazo como náuseas e dores de cabeça, a efeitos crônicos, como infertilidade, defeitos congênitos, distúrbios sanguíneos, distúrbios nervosos e desregulação endócrina. Além disso, muitos dos agrotóxicos usados atualmente são absorvidos pelas raízes e distribuídos para a planta inteira (de ação sistêmica), e, nesse sentido, a lavagem do alimento não elimina os resíduos. Com isso, houve o surgimento de alguns programas com o objetivo de analisar e comparar a presença de ingredientes ativos nas culturas. O Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), sob responsabilidade da ANVISA, foi criado em 2001 com o objetivo de avaliar, continuamente, os níveis de resíduos de agrotóxicos nos alimentos de origem vegetal que chegam à mesa do consumidor. Os resultados do monitoramento apontam que, em média, 63% dos alimentos consumidos pelos brasileiros, e que foram analisados pelo PARA, possuem algum tipo de resíduo de agrotóxicos. Conforme esses perigos e consequências foram divulgados, alguns estados foram implantando programas de monitoramento próprio, como é o caso de São Paulo, na região Sudeste, e do Paraná, na região Sul. Nosso projeto objetiva avaliar o perfil dos alimentos comercializados no estado do Paraná, em relação à presença de agrotóxicos, por meio da análise dos relatórios do PARA/PR, publicados entre os anos de 2011 e 2020. Para caracterizar o panorama do monitoramento de resíduos de agrotóxicos em alimentos no Paraná foram analisados os relatórios do PARA/PR dos anos compreendidos entre 2011 e 2020, os quais encontram-se publicados no sítio eletrônico da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (SESA/PR). Assim, foi identificado o número de amostragem, tipos de alimentos e os ingredientes ativos pesquisados. Os resultados parciais demonstram que aproximadamente 73% dos alimentos analisados pelo programa estadual (modalidade Ceasa) possuem algum resíduo de agrotóxico, e, que em média 33,5% dos alimentos analisados na modalidade Alimentação Escolar, também apresentam resíduos de pesticidas. Ademais, no último relatório divulgado, foram detectados até 80 ingredientes ativos diferentes nas amostras analisadas, sendo ditiocarbamatos, carbendazim e imidacloprido os mais detectados. Melhorar o conhecimento sobre o risco alimentar de substâncias agrotóxicas parece ser um dos grandes desafios para a saúde pública, principalmente, quando se trata de uma população vulnerável como as crianças, os idosos e as mulheres grávidas, já que possuem certa fragilidade aos agentes químicos, sem contar os agricultores, os quais são expostos diretamente aos agrotóxicos no momento da pulverização. Portanto, torna-se importante a valorização do conhecimento e do interesse sobre essa problemática, bem como o incentivo de modos alternativos de cultivo, como a produção orgânica e agroecológica, que evitam a contaminação dos alimentos e do ambiente.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3101 UMA DÉCADA DE PESQUISAS NO IFCATARINENSE 2022-09-19T17:54:06+00:00 Jaqueline Mondini jaquelinemondini18@gmail.com Luam Leonardo Wisnieski wisnieskiluam@gmail.com Gabriel Murilo Ribeiro Gonino gabriel.gonino@ifc.edu.br <p>No Instituto Federal Catarinense (IFC), a pesquisa e a inovação são entendidas como atividades indissociáveis ao ensino e a extensão, e visam a produção científica e tecnológica, cujas conquistas devem ser estendidas à comunidade acadêmica e à sociedade em geral, para que haja aquisição, produção, transformação e socialização de conhecimentos e tecnologias. Assim, nosso objetivo principal foi traçar o perfil das pesquisas realizadas em todo o IFC em sua primeira década de funcionamento (período de 2010 a 2020), a fim de identificar as principais áreas do conhecimento CAPES com maior interesse dos pesquisadores da instituição. A metodologia consistiu em uma coleta de dados no site das coordenações de pesquisa de cada um dos 15 campus; na página pública do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA); e no currículo Lattes dos pesquisadores. A instituição é composta por 5 campus agrícolas (modelo 90/70), um agrícola do tipo 70/60, 7 campus 70/45, e 2 campus avançados do tipo 20/13. Ao todo, foram registrados 2.323 projetos de Iniciação Científica com atuação de estudantes dos ensinos médio e superior. Como era esperado, embora não se conhecesse a proporção, as unidades agrícolas registraram a maioria dos projetos ofertados (78%), seguidas pelo modelo 70/45 (19%) e pelos avançados (3%). Os campus Rio do Sul e Abelardo Luz registraram, respectivamente, os maiores e menores números de projetos de iniciação científica no período estudado, sendo 487 (21%) e 15 (0,6%). Análises sobre a Grande Área da CAPES resultaram no reconhecimento do predomínio das Ciências Agrárias como o “carro-chefe” da pesquisa no IFC, correspondendo a quase 40% dos projetos de pesquisa, seguida por Ciências Exatas e da Terra (18,3%) e Ciências Humanas (15%). Juntas, essas três grandes áreas corresponderam a mais de 70% dos projetos levantados. No entanto, a distribuição das áreas dentro de cada grande área é bastante desproporcional, como pode ser visto em Ciências Humanas, por exemplo, cujas principais áreas de interesse foram Educação (57%), História (15%), Geografia (12%), Sociologia (8%), enquanto Filosofia, Antropologia, Psicologia e Ciência Política somaram 10.%. Também foi possível observar o perfil dos projetos de pesquisa realizados em cada campus separadamente para, posteriormente, inferir seus impactos. Um exemplo é o Campus Ibirama, modelo 70/45, inaugurado em 2010, que em 10 anos apresentou 75 projetos de pesquisa, representando 3,2% do total de projetos do IFC no mesmo período. Dos 75 projetos ofertados, 41% são da grande área de Ciências Humanas, com destaque para Educação (39%). A segunda grande área mais representativa foi Ciências Exatas e da Terra (20%), embasada por Ciência da Computação (40%). Ciências Sociais Aplicadas (16%), Linguística, Letras e Artes (8%), Outros (7%), Ciências Biológicas (5%) e Engenharias (3%) também foram importantes neste campus. Podemos ver que a base de dados que criamos foi extensa e aqui foram apresentados parte dos resultados preliminares. Concluímos que o esforço empenhado neste estudo apresenta grande potencial para auxiliar os tomadores de decisão na gestão da Pesquisa no IFC e nos campus.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3103 A CONTRIBUIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA NA APRENDIZAGEM DO EMI 2022-09-19T18:04:43+00:00 Júlia Pavanello julia.pavanello21@gmail.com Sonia Schappo Imhof sonia.imhof@ifc.edu.br Camila Sita Küster camila.kuster@ifc.edu.br Ilizete Gonçalves Lenartovicz ilizete.lenartovicz@ifc.edu.br <p>O projeto intitulado de "A contribuição da Língua Portuguesa e Matemática na aprendizagem do EMI'' tem como precípuo objetivo possibilitar que o estudante ingressante possa revisitar alguns conceitos básicos nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática, possibilitando-o acompanhar os componentes curriculares do Ensino Médio Integrado. O projeto visa, através da realização de uma prova diagnóstica, bem como da análise dos docentes no decurso do ano letivo, a identificar conceitos nos quais os alunos ingressantes possuem determinada dificuldade. Após a apresentação dos resultados aos estudantes selecionados, convidamo-los a participar das oficinas ofertadas pelo projeto. As oficinas podem ser presenciais ou de forma remota, dependendo da condição e das possibilidades dos estudantes envolvidos naquele momento e são realizadas duas vezes ao mês, almejando a contribuição para a elevação de desempenho e a atenuação das possibilidades de desistência dos estudantes. Espera-se que os estudantes tenham a oportunidade de, por meio das oficinas, adquirir uma carga maior de conhecimento, situação que, caso concretizada, é capaz de acarretar a diminuição do número de reprovações e desistências dos cursos do EMI. Contraposto aos objetivos do projeto, há o risco do não comparecimento dos estudantes no mesmo, pois se trata de um convite. Portanto, são enviados comunicados aos pais para deixá-los cientes da ocorrência das oficinas, bem como das datas em que elas ocorrerão. Ao final do ano letivo, será feita uma reavaliação, que conterá os conceitos manuseados durante o ano letivo, para que se possa averiguar a contribuição do projeto no aprendizado dos participantes. Ademais, foi desenvolvido um calendário para as oficinas a partir das dificuldades apresentadas pelos estudantes ingressantes e do planejamento de docentes da instituição, o que possibilita ao estudante uma revisita a conceitos que serão requisitados por professores das distintas áreas do conhecimento. Esse processo relacional permite maior fluidez das aulas, visto que os estudantes terão a possibilidade de acompanhar o nível de conhecimento esperado para a série em curso.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3094 GEOMETRIA NO ENSINO MÉDIO 2022-09-19T17:16:55+00:00 Ruan Siewert Menegalli ruansiewertmenegalli@gmail.com Eduardo Brandl eduardo.brandl@ifc.edu.br <p>Muitas são as dificuldades apresentadas pelos estudantes na disciplina de Matemática conforme apontam pesquisas e os resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB). Dentre as dificuldades apontadas destacam-se as que envolvem o conteúdo de Geometria, decorrente de vários fatores, dentre eles, a excessiva valorização da Aritmética e da Álgebra no currículo escolar em detrimento da Geometria. Este projeto de ensino tem como objetivo, portanto, desenvolver algumas competências matemáticas relacionadas à Geometria por meio da organização de atividades intencionais que contribuam para a evolução do pensamento geométrico dos estudantes do Ensino Médio por meio da oferta de oficinas em horário extraclasse. Espera-se ainda que os estudantes tenham acesso a conteúdos de Geometria do Ensino Fundamental que são essenciais para a continuidade de estudos nessa área e que contribuam para a compreensão dos tópicos abordados no Ensino Médio. Para isso foi realizada consulta a comunicações científicas&nbsp; e relatos de experiências publicados nos anais de eventos de Matemática e com base nestas produções científicas e de acordo com as necessidades que surgiram durante o projeto, foram elaborados materiais e atividades&nbsp; para a oferta das oficinas de Geometria com o uso do software GeoGebra, um aplicativo cuja distribuição é livre, oportuniza a interação do estudante e possibilita a construção e transformação das figuras geométricas e a visualização concomitante das janelas gráfica e algébrica. Este projeto foi iniciado em 2021 de modo remoto, e em 2022 as oficinas foram remodeladas e ofertadas de forma presencial. Na primeira oficina abordou-se a condição de existência de triângulos, a classificação quanto aos lados e ângulos, as definições de mediana, bissetriz e altura. A segunda oficina abordou os quadriláteros na qual se trabalhou as características e propriedades do paralelogramo, quadrado, retângulo, losango e trapézio, bem como a relação de inclusão entre eles. As avaliações diagnósticas aplicadas no início das duas oficinas comprovam que os estudantes, de modo geral, apresentam dificuldades em geometria, reafirmando a importância das oficinas. Na sequência foi elaborada e ministrada uma terceira oficina sobre transformações geométricas, com foco nas transformações isométricas: translação, rotação e reflexão. Ressalta-se que este tópico está previsto na Base Nacional Comum Curricular tanto para o Ensino Fundamental quanto para o Ensino Médio e os novos livros didáticos também dedicam um capítulo ao estudo deste assunto. Partindo da premissa de que nem sempre é possível desenvolver este conteúdo em sala de aula, mostrou-se oportuno oferecê-lo em momento extraclasse. A observação das atividades desenvolvidas nas oficinas mostrou que elas contribuíram de maneira significativa na revisão de conteúdos do Ensino Fundamental e em muitos casos, baseados nos relatos dos participantes, alguns destes tópicos não tinham sido abordados em momentos anteriores da escolaridade, ressaltando a importância da abordagem destes conteúdos de Geometria.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3133 LEITURA E INTERPRETAÇÃO 2022-09-26T12:06:14+00:00 Nicoli Zimmermann da Silva nicolizdasilva@gmail.com Lisiane De Cesaro lisiane.decesaro@ifc.edu.br Sonia Schappo Imhof sonia.imhof@ifc.edu.br <p style="text-align: justify;">O projeto “Leitura e interpretação: passaporte para o sucesso está integrado”, é realizado com fomento do Campus Ibirama por meio do Edital de Extensão n. 13/2021, com o objetivo da oferta de um curso a fim de auxiliar aos estudantes, não somente do Campus, mas também de outras escolas da região que desejam realizar a prova do Enem entre outros vestibulares, a desenvolver suas capacidades interpretativas e linguísticas, facilitando a compreensão das questões também como sua resolução. Além de proporcionar ao educando através da leitura, a oportunidade de expansão dos horizontes pessoais e culturais, avalizando a sua constituição crítica e emancipadora e o interesse pela leitura de autores brasileiros. De forma a melhorar a capacidade de compreensão e interpretação de textos. Nas oficinas, serão utilizados materiais prontos e também desenvolvidos pelos membros do projeto para a realização de&nbsp; atividades diferenciadas de leitura de contos, crônicas e poesias de escritores da Literatura Brasileira que são reconhecidos por suas produções, como Álvares de Azevedo, Carlos Drummond de Andrade, Castro Alves, Cecília Meireles, Clarice Lispector, Cruz e Sousa, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Hoyêdo Lins, Lindolfo Bell, Luis Fernando Veríssimo, Machado de Assis, Manuel Bandeira, Mário de Andrade, Raul Caldas Filho, Simões Lopes Neto, Vinicius de Moraes e os autores com obras indicadas nos vestibulares. O curso trabalhará tanto questões voltadas para a interpretação quanto para a gramática, por isso o projeto se tornará bem amplo e flexível. Com a quantidade de textos e informações disponibilizadas também é possível desenvolver um repertório mais eficaz para a redação, considerando que leitura e escrita são dimensões inseparáveis para a produção de um bom texto. Segundo Cavalcante (2016), “os sentidos do texto’, indica que podemos inferir outras ações na escrita, oralidade e outras formas de apresentação dos textos produzidos pelos estudantes após as leituras dos contos, crônicas e poesias. Trabalhar a coesão, a coerência, a indicação do seja plágio, citação, alusão, paródia, paráfrase tudo isso para que tenham mais segurança na hora de ler, interpretar e produzir textos tanto para o ENEM, vestibulares que são nosso foco, como para as disciplinas que frequentam e, de modo geral, para a vida. Considerando que com uma maior facilidade no campo de linguagens e suas tecnologias e obtendo mais acertos, as notas dos estudantes aumentam e concomitantemente, as suas chances de conseguir uma vaga na faculdade. O projeto possui uma relevância social, ajudando na geração de empregos e numa melhor formação dos estudantes que desejarem. Ainda vislumbra-se trabalhar no projeto os livros solicitados em alguns vestibulares e mostrar como eles serão cobrados, aumentando ainda mais o conhecimento do estudante em relação a prova que irá ser realizada, o que é muito importante. Trataremos com mais foco a leitura dos livros que foram solicitados na UFSC, já que ela é um dos objetivos do projeto. Em outras palavras, é bom saber como a prova funciona e não somente ter o conhecimento pedido, pois assim, pode-se evitar o nervosismo e melhorar o rendimento e a qualidade de realização da prova, assim, como guiar melhor os estudos.</p> 2022-09-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3088 MONTAGEM CÊNICA 2022-09-19T14:07:48+00:00 Luana Tambani tambaniluana95@gmail.com Lucas Alberti da Costa albertilucas8818@gmail.com Raissa Laura Gilli raissagilli10@gmail.com Márcio Monticelli Albani marcio.albani@ifc.edu.br Aline da Silva Meyer aline.meyer@ifc.edu.br <p>O Projeto de Ensino “Montagem Cênica – Edição 03” é um projeto de Oficina de Montagem Teatral com aulas de expressão corporal, expressão vocal e criação dramatúrgica, visando realizar apresentações dentro e fora da Instituição e a manutenção das atividades artísticas do grupo Cuca de Teatro no Campus Ibirama. Ensinar o conteúdo disciplinar, atualmente, não é a única função da escola. Enquanto Instituição formadora, ela deve viabilizar formas de acesso ao lazer, à cultura, às práticas esportivas, permitindo a integração mais efetiva dos alunos/as na sociedade. Nesse sentido, o teatro tem um papel importante na vida dos/as estudantes, uma vez que, sendo devidamente utilizado, auxilia no desenvolvimento da criança e do adolescente como um todo, despertando o gosto pela leitura, promovendo a socialização e, principalmente, melhorando a aprendizagem dos conteúdos propostos pela escola. Além disso, sob a perspectiva de obra de Arte, o teatro também incomoda, no sentido filosófico, porque faz repensar e querer modificar a realidade instaurada. Ademais, possui caráter lúdico e constitui-se como forma de lazer. As manifestações artísticas devem fazer cada vez mais parte do cotidiano dos estudantes, pois elas nos envolvem, divertem, surpreendem, amedrontam, fazem pensar e desenvolvem a sensibilidade e a criatividade, tão importante nos dias de hoje. De acordo com o PCN Ensino Médio+: Orientações Educacionais Complementares, no artigo de Maria Heloisa Ferraz e Rosa Lavelberg: Os conhecimentos artísticos e estéticos são necessários para que a leitura e a interpretação do mundo sejam consistentes, críticas e acessíveis à compreensão do aluno. Além de contribuir para o desenvolvimento pessoal, tais saberes podem aprimorar a participação dos jovens na sociedade e promover a formação de sua identidade cultural. (2000, p. 179) Estimular a produção artístico-cultural dos alunos é também uma forma de fortalecer as ações culturais dentro do Campus, ampliando o leque de conhecimentos através da arte cênica. Promover a criação de um espetáculo cênico experimentando as diversas possibilidades da criação artística, dentre elas a dança, o teatro e a performance, para ser apresentado no IFC e em outros espaços fora do Campus, esse é o propósito deste projeto.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3098 PROJETO PEIXÁRIO 2022-09-19T17:38:04+00:00 Jennifer Aparecida Arndt jenniferaparecidaa@gmail.com Gabriel Murilo Ribeiro Gonino gabriel.gonino@ifc.edu.br <p>O objetivo deste trabalho foi planejar coletivamente um espaço para experimentos científicos na área da biologia de peixes, de modo que a sua elaboração pudesse fomentar inovações pedagógicas para além da biologia e incentivar estudos experimentais interdisciplinares que atendessem às demandas científicas, tecnológicas e pedagógicas dos cursos ofertados no Instituto Federal Catarinense – campus Ibirama. O trabalho foi pensado a partir da constante necessidade de processos investigativos para o desenvolvimento científico, da relevância da experimentação no processo de ensino-aprendizagem em ciências naturais, bem como a especialidade dos docentes efetivos de biologia no campus. Assim, entendeu-se como desejável a instalação de um ambiente experimental interdisciplinar para futuros estudos com espécies nativas de peixes do Alto Vale do Itajaí. A criação de uma ação interdisciplinar de caráter institucional (ao nível de campus), capaz de incentivar a integração de diferentes componentes curriculares, dos discentes e docentes dos cursos ofertados localmente, de modo a impactar positivamente a formação integral dos estudantes foi desafiador. Para tal, convidamos todos os docentes do campus (aproximadamente 35), e conseguimos reunir uma equipe interdisciplinar de colaboradores composta por 30% do seu corpo docente. O convite foi feito por meio de um formulário eletrônico em que foi coletado a área de atuação de cada profissional e os possíveis temas para colaboração no projeto. Todos os cursos foram representados, com professores das disciplinas da base comum, sendo: Matemática, Biologia, Física, Química e Língua Portuguesa; e das áreas técnicas: Têxtil, Informática, Administração e Economia. As atividades com os colaboradores consistiram de reuniões individuais e brainstorms coletivos, para que cada um contribuísse com os seus conhecimentos nas respectivas áreas de conhecimento. Os temas específicos que apareceram para atividades interdisciplinares foram: i) a implantação de Arduino; ii) o auxílio na formação de uma identidade visual para o projeto; iii) a análise do ambiente e das espécies; iv) questões voltadas a parâmetros de manutenção da água para uma boa criação dos peixes, como a absorção de compostos nitrogenados, a regulação e controle de pH da água e a remoção de cloro; v) o processo de geração de renda para as famílias envolvidas na criação de peixes; vi) a possibilidade da implementação do Tratamento Ecológico de Efluente Doméstico (TEED); vii) a troca de experiências com aquicultores da região, entre outros. Foram delimitadas uma série de tarefas que a proposição do espaço deve cumprir para que sua execução ocorra de forma efetiva e funcional. A ideia é que seja um espaço inteligente, no sentido de ter cada uma de suas partes pensada e trabalhada para a exploração e lapidação de ideias e recursos. Na próxima fase, os alunos poderão opinar, sugerir e idealizar, da mesma forma que fez o corpo docente. Conforme os resultados já obtidos junto aos colaboradores, concluímos que a interação e integração são possíveis. Com o auxílio dos docentes colaboradores, dos discentes e da comunidade, o projeto apresenta-se cada vez mais como um espaço funcional, inteligente, multidisciplinar e interativo, capaz de contribuir com a oferta de educação e ciência de qualidade.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3104 ADMINISTRAÇÃO GERAL 2022-09-19T18:09:42+00:00 Kaique da Cunha kaiquedacunha47@gmail.com Luana Vitória Pagnoncelli luana.vitoria.real@gmail.com Ricardo Doose de Abreu ricardoviskyabreu@gmail.com Jeter Lang jeter.lang@ifc.edu.br <p>O curso de Administração Geral visa o desenvolvimento curricular dos jovens da região do Alto Vale do Itajaí, que cursam o Ensino Médio e o nono ano do ensino fundamental, especialmente aos alunos dos municípios de Apiúna, Ibirama, Dona Emma, Presidente Getúlio, Vitor Meireles e Witmarsun. Dados do Censo Escolar desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (INEP) em 2012 mostram que, somente considerando os alunos do ensino médio, em nossa região aproximadamente 31.315 jovens estavam matriculados nessa categoria, mas apenas 5.058 jovens estavam inscritos em cursos de Ensino Médio Técnico, ou seja, poucos tem a oportunidade de se profissionalizarem para competir no mercado de trabalho logo após a conclusão do Ensino Médio. Consideramos que os jovens recém-formados em sua maioria não atendem as expectativas de capacidades administrativas que as organizações exigem para uma admissão, em meio a essa intensa competitividade que o mercado de trabalho apresenta atualmente, seus valores e conhecimentos técnicos não estão aptos a suprir os requisitos necessários. Por meio do curso de Administração Geral pretende se despertar nos alunos o interesse pela área administrativa, desenvolver senso crítico e conscientizar sobre a área organizacional de um modo diferente, fazendo com que os envolvidos se adaptem e se integrem aos processos operacionais. A proposta é ensinar aos alunos temas como, por exemplo, sistemas administrativos; informações gerenciais; estrutura organizacional, departamentalização, linha e assessoria; fluxograma; layout e ergonomia e gestão interpessoal. Para o desenvolvimento do material didático necessário, como a apostila que será usada nas aulas, as avaliações e o planejamento das atividades, serão utilizadas referências de autores da área como Cury, Rebouças, Oliveira, entre outros, encontrados em livros, revistas e meios digitais. Ao final do curso será entregue um Certificado, comprovando que o aluno é capaz de realizar diversas atividades do cotidiano organizacional. Espera-se que os alunos obtenham ou desenvolvam senso de responsabilidade e compreensão do contexto organizacional, assim possibilitando a melhoria da qualidade das gestões de diversas organizações, pois essas quem ditam a qualidade de vida da sociedade em que vivemos.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3100 AUXÍLIO ÀS COORDENAÇÕES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 2022-09-19T17:47:40+00:00 Maria Heloisa Witt mheloisa.witt@gmail.com Camily Vitória Kisner camilykisner7@gmail.com Bruno Reinaldo Cardoso brunoreinaldocardoso12345@gmail.com Elisa Lotici Hennig elisa.hennig@ifc.edu.br Eduardo Stahnke eduardo.stahnke@ifc.edu.br Gabriel Murilo Ribeiro Gonino gabriel.gonino@ifc.edu.br <p>A concessão de bolsas tem como objetivo o auxílio às atividades anualmente realizadas pelas coordenações de Pesquisa e Extensão nos campi do Instituto Federal Catarinense (IFC). No campus Ibirama, os estudantes atuam de forma integrada nos três eixos indissociáveis (Ensino, Pesquisa e Extensão) que fundamentam a oferta de educação, ciência e tecnologia pela instituição. O projeto de apoio às coordenações possibilita aos bolsistas experiências fundamentais na formação acadêmica, desenvolvimento de espírito crítico e convívio social durante suas atividades. A atuação destes estudantes nas atividades administrativas das coordenações ajuda a facilitar em grande parte a organização e atendimento ao público. Dessa forma, as dúvidas dos pesquisadores e estudantes são rapidamente sanadas, pois mais de uma pessoa possui acesso aos documentos e o conhecimento da área. Algumas das atividades realizadas pelos bolsistas são: i) Acompanhar o desenvolvimento dos projetos registrados e em vigência; ii) levantar dados e informações sobre demandas da comunidade externa do IFC para elaboração de novos projetos de pesquisa e extensão; iii) acompanhar e contribuir com ações relacionadas aos egressos; iv) contribuir com os estudos para o engajamento da comunidade acadêmica em atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão, integradas à Inovação e articuladas com as comunidades locais; v) colaborar com as coordenações dos três eixos na elaboração de relatórios e levantamento de informações solicitadas pela PROPI, PROEX, PROEN, NIT, agências de fomento, entre outros; vi) assessorar servidores e estudantes no preenchimento das demandas das atividades de cada eixo; vii) auxiliar na busca de parcerias entre o Instituto, a iniciativa privada e/ou órgãos públicos; viii) auxiliar na realização de eventos do campus relacionados ao ensino, pesquisa e extensão; ix) participar em ações de Extensão e Pesquisa em diversas áreas de atuação; x) auxiliar na elaboração e execução das mais diversas ações de extensão, assim como na divulgação destas para a comunidade; xi) buscar e divulgar vagas de estágio e/ou de oportunidade de trabalho para alunos; xii) receber os documentos, montar e organizar os processos e atribuir números aos mesmos; xiii) manter os documentos dos processos em andamento devidamente organizados e arquivar os processos finalizados; xiv) colaborar com o Coordenador na organização das reuniões, por meio do agendamento de salas, listagem dos processos a serem avaliados, elaboração das atas e demais atividades correlatas; xv) tomar conhecimento, acompanhar e atualizar, periodicamente, as regulamentações relacionadas à pesquisa e extensão, no website das Coordenações de Ensino, Pesquisa e Extensão do campus; xvi) auxiliar os orientadores com pesquisas em andamento; xvii) executar outras atribuições pactuadas com os Coordenadores que, por sua natureza, estejam relacionadas às atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão. Participar do projeto proporciona aos bolsistas vivenciar mais de perto a rotina acadêmica. É agregado muito conhecimento, as oportunidades de discussões com os coordenadores contribuem para ampliar uma visão crítica. Ao mesmo tempo que proporciona oportunidades para a formação pessoal e transforma em uma vantagem profissional dos discentes envolvidos.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3081 COM TEXTO LITERÁRIO 2022-09-09T16:46:59+00:00 Julia Gabriely Jacinto Schulz juliagjschulz@gmail.com Carolini Cerutti carolinicerutti2006@gmail.com Francisleth Battisti francisleth.battisti@ifc.edu.br Aline Meyer aline.meyer@ifc.edu.br Amalia Cardona Leites amalia.leites@ifc.edu.br <p>O projeto de extensão “Com Texto Literário” foi criado em 2021 no Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Ibirama, visando a criação de um espaço que promovesse o letramento literário e oportunizasse a fruição da literatura. Como afirma Antonio Candido, a fruição da arte e da literatura em todas as modalidades e em todos os níveis é um direito inalienável de todas as pessoas, uma vez que não há ser humano que possa viver sem fabulação. No entanto, ano após ano as leituras trabalhadas nas salas de aula do Ensino Médio repetem os mesmos autores, em sua imensa maioria homens brancos, heterossexuais, de classes sociais altas. A partir desta constatação, em 2022 o projeto passou a debruçar-se sobre obras literárias não convencionais, produzidas por sujeitos que ao longo do tempo tiveram suas vozes silenciadas – como mulheres, pessoas negras, indígenas, LGBTQIA+, com deficiência, imigrantes, entre outros. Através de diálogos e debates, os objetivos são propiciar o aprofundamento dos conhecimentos acerca de diferentes gêneros literários e estimular a construção de um olhar crítico sobre a obra literária, valorizando e respeitando a diversidade. O debate de obras literárias não-canônicas visa também promover ações que contribuam para o desenvolvimento das diversas formas de leitura e as valorizem, contribuindo para uma formação mais humanista e respeitosa dos participantes. O projeto está em andamento e tem como público-alvo estudantes do Técnico Integrado do IFC Ibirama e jovens que frequentam o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Ibirama, em uma parceria com a Secretaria de Assistência Social do município. Atualmente atende aproximadamente trinta e cinco jovens, com idade entre treze e dezoito anos. Como resultados parciais, obtidos por meio de um questionário que foi realizado no mês de junho e aplicado com os estudantes do Campus, percebemos o desenvolvimento dos participantes quanto a sua capacidade de compreensão das obras e análise crítica das mesmas, contribuindo para o letramento literário e pensamento crítico dos jovens.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3091 HIGIENE ÍNTIMA 2022-09-19T16:57:30+00:00 Raíssa Kreisch Pandini panraissa@gmail.com Camila Gabriele Brehmer camilagabrielebrehmer@gmail.com Francisleth Battisti francisleth.battisti@ifc.edu.br Luís Paulo Posanski luis.posanski@ifc.edu.br Ana Silvia de Lima Vielmo ana.vielmo@ifc.edu.br <p>O projeto insere-se no contexto de engajamento e proatividade dos estudantes do instituto federal catarinense, campus Ibirama, com caráter extensionista e aprovado pelo edital nº 72/20201 - apoio à realização de projetos de ação social pelos Campi do Instituto Federal Catarinense. O Projeto terá seu início em setembro de 2022 e almeja utilizar o Vestuário e a Moda com a intenção de minimizar problemas sociais, tendo como público-alvo pessoas que menstruam em situação de cárcere privado, encarceradas no estado de Santa Catarina, no contexto da Política Nacional de Atenção às Mulheres em Situação de Privação de Liberdade e Egressas do Sistema Prisional. O Projeto de Extensão objetiva produzir e doar absorventes e calcinhas absorventes de tecido reutilizáveis. Os itens de higiene íntima serão produzidos por estudantes do Técnico em Vestuário integrado ao Ensino Médio e Tecnologia em Design de Moda do Instituto Federal Catarinense, campus Ibirama e por integrantes da comunidade externa que sintam afinidade com a temática. O documento Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias – Infopen Mulheres de 2018, afirma que “existem 726.712 pessoas privadas de liberdade no Brasil, distribuídas entre aquelas que se encontravam custodiadas em carceragens de delegacias (um total de 36.765 pessoas) e aquelas que se encontravam em estabelecimentos do sistema prisional (689.947 pessoas, no total)”. Dessas pessoas “existem 41.087 mulheres privadas de liberdade nos estabelecimentos penais que compõem o sistema prisional estadual”. Em Santa Catarina há 1.506 mulheres privadas de liberdade (INFOPEN, 2018, p.12). Dessas mulheres há “481 sem condenação, 432 sentenciadas em regime fechado, 369 sentenciadas em regime semiaberto, 223 em regime aberto e 1 em medida de segurança em tratamento ambulatorial”. Assim, os itens produzidos serão doados para as seguintes instituições: Presídio Feminino de Florianópolis, Penitenciária Feminina de Criciúma, Presídio Feminino de Joinville, Presídio Feminino de Itajaí e Presídio Feminino de Chapecó. Os resultados esperados são que mulheres e pessoas que menstruam possam ter acesso a higiene íntima e favorecer a qualidade de vida dessas pessoas, auxiliando na promoção de uma experiência prisional minimamente humanizada, além de minimização do desconforto da falta de recursos de higiene íntima existente no sistema prisional do Estado.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3099 IFire 2022-09-19T17:41:54+00:00 Mateus Eduardo Hentges mateus22hentges@gmail.com Artur Henrique Berkenbrock arturhenriqueberkenbrock2301@gmail.com Heitor Odorizzi Beltrame heitorodorizzibeltrame@gmail.com Eduardo Stahnke eduardo.stahnke@ifc.edu.br Gabriel Murilo Ribeiro Gonino gabriel.gonino@ifc.edu.br <p>O serviço administrativo de um corpo de bombeiros voluntários, por ser essencial para a sociedade, deve ser realizado de forma rápida e eficaz, para que sua finalidade, que é salvar vidas, não seja prejudicada. No entanto, muitas corporações não possuem sistemas digitais de gerenciamento implantados. Embora existam sistemas comerciais disponíveis, estes são caros para a realidade dessas instituições sem fins lucrativos, que fazem um serviço voluntário, e se mantêm com verbas de convênios públicos e doações da comunidade local. Partindo desta problemática, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Lontras (CBVL) procurou ajuda junto ao Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Ibirama, para que houvesse a criação de um software para o gerenciamento das atividades dos bombeiros. Desde o ano de 2020, o sistema IFire está em desenvolvimento com essa intenção, caracterizando-se como um projeto que abrange os eixos de ensino, pesquisa e extensão. Até então, foram desenvolvidos os seguintes módulos: a) cadastro de unidade; b) estabelecimento de níveis hierárquicos; c) cadastro de bombeiros; e d) cadastro de viaturas. Em 2022, o projeto iniciou com uma visita presencial ao CBVL para coleta de dados e informações sobre a necessidade dos bombeiros para o novo ciclo. Foi constatado que a necessidade seria a criação de dois novos módulos: a) Cadastro e controle de apenados e b) Monitor diário do plantão. Os recursos inicialmente utilizados para o desenvolvimento do sistema foram as linguagens HTML, CSS, JavaScript e PHP, juntamente com o framework Bootstrap, a modelagem do banco de dados utilizando o Sistema de Gerenciamento Workbench e o banco de dados MySql. Além destes softwares, foram utilizados o IDE NetBeans e também o Dropbox, para a sincronização e organização das atualizações para cada um dos bolsistas, especialmente após a experiência de trabalho remoto. Neste novo ciclo, o módulo de Apenados está em desenvolvimento, e será entregue ao final da vigência das bolsas de estudos. De modo geral, este trabalho provoca e impacta positivamente a transformação social tanto nos bombeiros voluntários, por meio da facilitação do gerenciamento de suas atividades e economia dos processos administrativos, quanto nos alunos envolvidos no projeto, pois é uma oportunidade de praticar e ir além do que aprendem em sala de aula. Por fim, é importante dizer que, quando se trata de prazo de entrega de produto tecnológico, uma instituição de educação, ciência e tecnologia se distingue de uma empresa especializada em desenvolvimento de softwares, pois é um ambiente mais preocupado em fortalecer o processo ensino-aprendizagem dos atores envolvidos, nomeadamente a formação dos estudantes, ao mesmo tempo que atua na elaboração do produto que atuará resolução de outros problemas da sociedade.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3089 NEABI E NEGES IBIRAMA 2022-09-19T14:14:05+00:00 Bruna Bering brunabering855@gmail.com Kauã Priprá Penz kauapriprapenz@gmail.com Aline da Silva Meyer aline.meyer@ifc.edu.br Francisleth Battisti francisleth.battisti@ifc.edu.br Carlos Eduardo Bartel carlos.bartel@ifc.edu.br Amalia Cardona Leites amalia.leites@ifc.edu.br <p>A cidade de Ibirama possui uma população de mais de 19 mil pessoas. Próxima a ela, e abrangendo os territórios de José Boiteux, Doutor Pedrinho, Vitor Meireles e Itaiópolis encontra-se a terra indígena Ibirama-Laklanõ, habitada por mais de 2 mil indígenas dos povos Guarani, Guarani Mbya, Guarani Ñandeva, Kaingang e Xokleng. Ademais, é sabido que o estado de Santa Catarina é um dos estados com menor presença negra no país, com pouco mais de 10% de pessoas autodeclaradas pretas ou pardas. Neste contexto, a discussão acerca da presença negra e indígena entre a população vigente tem sido insuficiente e em muitas vezes repleta de preconceitos e, com isso, percebe-se a necessidade de se colocar em prática um projeto que venha atuar no sentido de promover a formação de docentes e discentes sob a perspectiva da educação das relações étnico-raciais. Por outro lado, os dados referentes a gênero e orientação sexual não são facilmente encontrados. Sabemos do despreparo da sociedade para atuar diante destas questões, desde o nível familiar até o nível institucional. Em 2012, o governo de Santa Catarina assinou um termo de cooperação com o Governo Federal de enfrentamento às homofobias, que estabelecia oito medidas a serem tomadas de imediato pelo governo estadual. Anos depois, apenas uma delas foi alcançada: a inclusão de orientação sexual e identidade de gênero em registros de ocorrência criminal. Similarmente ao que ocorre com as discussões étnico-raciais, é possível perceber a importância desta temática ser trazida para o espaço escolar. Fundados em 2020 no Campus Ibirama, o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) e o Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade (NEGES), amparados na legislação vigente, têm como objetivo estimular uma reflexão permanente sobre esses propósitos e auxiliar na formação democrática e cidadã dos estudantes, através da realização de ações de ensino, pesquisa e extensão focadas nas relações étnico-raciais, de gênero, identidade de gênero e sexualidades. Durante o ano de 2022 estas ações concretizaram-se no campus Ibirama em forma de reuniões de pesquisa, palestras, rodas de conversa e cine-debates, contando algumas vezes com palestrantes externos. Dentre os resultados obtidos até o momento, citamos o crescente interesse dos estudantes em participarem dos núcleos e apropriarem-se das discussões relativas à diversidade (étnico-racial, cultural, de gênero e orientação sexual), multiplicando saberes e auxiliando enormemente na desconstrução de estereótipos e preconceitos no espaço escolar. Suporte financeiro Edital 88/2021- Reitoria IFC.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/feiradoconhecimento/article/view/3097 TECER FUTUROS 2022-09-19T17:34:10+00:00 Samara Lopes Sene samchrispim@gmail.com Luís Paulo Posanski luis.posanski@ifc.edu.br Francisleth Battisti francisleth.battisti@ifc.edu.br <p>O Projeto de Extensão Tecer Futuros do Instituto Federal Catarinense Campus Ibirama, aprovado pelo edital nº 72/2021, é coordenado pela professora Francisleth Battisti, tem como colaborador o professor Luís Paulo Posanski e a bolsista é a graduanda em Design de Moda Samara Lopes Sene. A iniciativa tem o objetivo de utilizar o conhecimento de moda para a promoção social por meio do ensino de técnicas manuais de moda para mulheres que estão em situação de vulnerabilidade social, intencionando o aprendizado e possibilitando a utilização dessas técnicas como fonte renda, se assim desejarem. Além disso, o favorecimento da qualidade de vida dessas mulheres, gerando um ambiente de acolhimento, de trocas de saberes e escuta e esperando como resultado possibilitar que essas mulheres aprendam formas manuais de moda para geração de renda e transformação social. Tecer Futuros tem como público alvo mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade social, residentes da cidade de Ibirama, SC e atendidas pelo Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). Conta desta forma, com a parceria da Secretaria de Assistência Social e Habitação de Ibirama, SC na disponibilização, para o projeto, do espaço no CRAS onde são ministradas as oficinas e, de equipe multidisciplinar do local, com o apoio da psicóloga e assistente social entre outras profissionais. O ensino de “técnicas manuais de moda” envolve atividades que não requerem maquinário para a sua produção, as técnicas escolhidas para serem desenvolvidas nas oficinas do projeto são:&nbsp; bordado manual, estamparia manual, tingimento natural, crochê com resíduos têxteis e macramê. Até o momento os objetos desenvolvidos de nas oficinas foram bordado manual em chaveiro, bordado manual em flâmula, bordado manual em embalagem, estampa manual em pano de prato, tapete de crochê com fio de malha e crochê com barbante. Até o fim do semestre pretende-se desenvolver também a técnica do macramê e do tingimento natural. O projeto tem como referencial teórico o conceito de educação ao longo da vida e está pautado na ideia de interdisciplinaridade, integrando moda, educação de adultos e Serviço Social, ele dialoga com a missão institucional por buscar contribuir para a formação cidadã e trabalhar para promover socialmente as mulheres participantes.</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Anais da Feira do Conhecimento do IFC Campus Ibirama