BIOTÊXTEIS

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Autores

  • Mateus Santos de Campos IFC - Campus Ibirama
  • Francisleth Pereira Battisti IFC - Campus Ibirama
  • Ana Silvia De Lima Vielmo IFC - Campus Ibirama

Palavras-chave:

Biotêxteis, Materiais têxteis naturais, Sustentabilidade, Economia Circular, Desenvolvimento Sustentável

Resumo

Nas últimas décadas, surgiram diversas informações de alerta sobre os impactos ambientais e a perda de biodiversidade no planeta, a qual afeta também comunidades locais. Assim, crescem reivindicações por outras relações com o meio ambiente, pela valorização da biodiversidade, dos valores culturais de povos indígí enas e a relevância de espécies ameaçadas (GUDYNAS, 2020). Nesse contexto, a moda é uma das maiores atividades econômicas do mundo, e considerada uma das principais poluidoras do planeta, com a indústria do petróleo e agropecuária. Desse modo, é preciso tratar a moda com a devida atenção, e examinar as consequências ambientais, sociais e climáticas dessa indústria (DISERÉE, 2019). Nosso mundo é material e os materiais são essenciais para a sustentabilidade, eles são a síntese tangível de recursos, uso de energia e trabalho. Os materiais conectam–nos as questões de nosso tempo: as mudanças climáticas, geração de resídí uos e escassez de água. Essas questões se relacionam com a transformação e a necessidade de materiais. Além de decisivos para a sustentabilidade, os materiais são cruciais para a moda: tornam real sua produção simbólica e
fornecem o meio físí ico para construir identidade e agir como indivídí uos e seres sociais (FLETCHER; GROSE, 2011). A indústria têxtil e da moda enfrenta problemas com questões ambientais e sustentáveis, pela utilização de produtos químí icos e descarte de resídí uos, mas também pela postura do consumidor que faz parte dessa cadeia e não reflete sobre seu consumo e os materiais utilizados nos produtos. Com o avanço de pesquisas na área, uma das soluções é repensar a matéria–prima e criar possibilidades de conforto e beleza exigidos pelo mercado através de tecidos sustentáveis que não agridam o meio ambiente. Materiais provenientes de recursos renováveis e reaproveitados estão ganhando mais espaço, como alternativas de produção, com as áreas da biotecnologia e da biofabricação (PROVIN; CUBAS; DUTRA, 2021). A biofabricação pode ser definida como a obtenção de produtos biológicos construídí os usando células vivas, biomoléculas, matrizes extracelulares e biomateriais projetados. A biofabricação utiliza tecidos ou órgãos vivos como suprimento para processos baseados na biologia, para obter um produto. Assim, à medida que a indústria têxtil e do vestuário  vêm realizando avanços na integração de variados elementos para o desenvolvimento de tecidos e processos, os desafios surgem paralelamente, exigindo novas soluções (STEGEMANN, ALMEIDA, MEDEIROS, 2022). Desse modo, é necessário uma reestruturação das cadeias de suprimentos, com a criação de redes colaborativas e simbióticas, capazes de se interconectar dentro dos e entre os setores de atividade. Assim sendo o objetivo deste projeto é pesquisar e desenvolver biotêxteis para possíveis aplicações no campo da moda/vestuário. Para isso serão produzidas amostras de biotêxteis derivados da bebida Kombuchá, de ágar–ágar, de mandioca, de batata e de milho. As amostras desenvolvidas serão testadas quanto a maleabilidade, durabilidade; possibilidade de costura e manuseio. A partir das amostras e análises que serão realizadas, espera–se contribuir com a pesquisa científíica sobre os biotêxteis e a sua potencial relação com a Economia Circular.

Downloads

Publicado

2023-11-27