COMO VIVER A MELHOR VIDA POSSÍVEL?

FELICIDADE EM ARISTÓTELES

Autores

  • Kauane Vanzuita IFC - Campus Ibirama
  • José Dimas d'Avila Maciel Monteiro IFC - Campus Ibirama

Palavras-chave:

Ética, Aristóteles, Felicidade, Virtude

Resumo

“Como viver a melhor vida possível?” (o que significa uma vida feliz?) é uma das perguntas centrais da investigação ética e das indagações humanas. Aceitamos, sem muitos obstáculos, que somos capazes de planejar nossas vidas e realizar aquilo que desejamos, mesmo diante das incertezas e das limitações do alcance de nossas escolhas e ações. Assim, planejar nossas vidas, decidir sobre qual vida viver, é tarefa eminentemente humana e somente é possível porque o futuro nos é incerto. Em termos teóricos, “como viver a melhor vida possível?” não é uma pergunta nova. “Como conduzir nossas vidas?” é a questão central na obra Ética a Nicômaco de Aristóteles. Envolve investigação para explicitar, entre outras, que escolhas e ações humanas pertencem ao domínio prático da vida humana, a política e a ética, e essas possuem como finalidade a eudaimonia (a felicidade, o bem viver, o bem agir), o bem humano. Por meio delas é possível concretizar a vida feliz em uma vida completa. O desafio não é apenas compreender o significado de vida feliz, mas também como alcançá-la, como viver a melhor vida possível. Investigar o significado da pergunta “como viver melhor vida possível?” poderá ser mais do que (re)conhecer o alcance da liberdade e autonomia humanas, a capacidade de planejarmos o nosso futuro e de realizarmos o que desejamos. Poderá nos ajudar a (re)conhecer, a partir de uma posição incontroversa da ética de Aristóteles, e tão estranha à filosofia moral moderna e à ânsia contemporânea em determinar sistemas éticos robustos: não escolhemos e agimos, no campo moral, apesar das emoções, mas com elas. Assim, o objetivo desta pesquisa é analisar o âmbito das escolhas e ações humanas em vista da vida feliz, no campo moral, a partir da noção de felicidade (eudaimonia, viver bem, agir bem) na Ética a Nicômaco de Aristóteles e produzir conhecimento acerca da pergunta “como viver a melhor vida possível?”, recorrendo ao método da pesquisa bibliográfica, de caráter teórico e analítico, por meio da investigação ética e filosófica. Esta se concentrará na leitura e estudo da Ética a Nicômaco de Aristóteles, especialmente no que se refere às noções de eudaimonia (felicidade) e de virtudes morais. Até o momento, as investigações nos levam a considerar que a felicidade em Aristóteles consiste em ações virtuosas, “atividade da alma” em conformidade com a virtude, uma disposição de todo ser humano para escolher a ação correta em cada circunstância da vida, pesando razões, e agir de acordo com essa escolha. A virtude é uma mediedade (meio termo), relativa a nós, entre dois males, um pelo excesso, outro pela falta. A coragem, uma das virtudes morais, é a mediedade entre a temeridade e a covardia. A pessoa virtuosa age corajosamente considerando as situações concretas em que está envolvida, escolhendo o correto curso de ação. Por isso, com razão, ninguém é corajoso dormindo e, como destacou Aristóteles, ninguém é feliz dormindo.

Downloads

Publicado

2022-09-19