Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu <p>Os Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC <em>Campus</em> Brusque) consistem numa publicação eletrônica dos trabalhos apresentados nas edições da FACCHU do Instituto Federal Catarinense - Campus Brusque. </p> <p>e-ISSN: 2763-8286</p> pt-BR editora@ifc.edu.br (Leila de Sena Cavalcante) editora@ifc.edu.br (Leila de Sena Cavalcante) Wed, 20 Dec 2023 14:50:50 +0000 OJS 3.3.0.13 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 ARTISTAS DA CIDADE DE BRUSQUE (SC) E SEUS MOVIMENTOS DE HABITAÇÃO DOS ESPAÇOS: RECORTES DE UMA PESQUISA ARTÍSTICA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4900 <p>O projeto de ensino, pesquisa e extensão, Habita IFC - clube de arte, foi iniciado em 2019, com o propósito de englobar diversas linguagens artísticas para promover movimentos de habitação a partir dos trabalhos artísticos de discentes e servidores do Instituto Federal Catarinense - Câmpus Brusque. A vertente de pesquisa do projeto foi criada em 2022, tendo como um dos seus objetivos mapear informações de artistas locais da cidade de Brusque (SC). Ou seja, quais são as linguagens artísticas presentes na cidade e como tais artistas expõem suas criações. A pesquisa se funda no conceito de “Habitar”, proposto por Michel Certeau na obra “A Invenção do Cotidiano”. Esse conceito propõe o habitar como movimento de transformação perante ao que já está instituído e praticado nos contextos urbanos. Para alcançar seus objetivos, esta pesquisa buscou informações de artistas visuais, músicos, dançarinos, atores e escritores residentes de Brusque. Primeiramente, os bolsistas e os voluntários do projeto realizaram um levantamento de dados em plataformas digitais sobre trabalhos de artistas locais. Logo após, entraram em contato com esses artistas por meio de redes sociais e/ou e-mails, para confirmar se as informações previamente obtidas eram verídicas e para obter mais informações sobre os trabalhos pesquisados. Assim, foi possível catalogar todas as informações obtidas em uma planilha compartilhada. Ao total, foram catalogados 37 artistas, dentre eles: 32,6% eram artistas visuais, 32,6% eram artistas cênicos, 19,6% era músicos, 8,7% eram dançarinos, 4.3% eram escritoras e 2,2% eram figurinistas (figurinistas não irão aparecer nas análises finais da pesquisa, visto que figurino é considerada uma área técnica do cinema ou teatro, não uma linguagem artística em si). Após finalizar a análise de dados, será realizado um mapeamento detalhado, visto que a pesquisa ainda está em andamento. Deste modo, os pesquisadores pretendem analisar as contribuições dessa proposta para a comunidade local, mapeando: como os artistas locais produzem movimentos de habitação através das suas expressões artísticas; o que esses artistas representam para o cenário cultural da cidade, bem como são representados pelo público; as especificidades das linguagens artísticas que se manifestam na cultura brusquense, que podem apontar características singulares do contexto cultural pesquisado; e quaisquer outras interpretações advindas com os desdobramentos da pesquisa.</p> Amanda Männchen, Pedro Valentim Eccher, Gabriela de Oliveira Santos, Fernanda Lanznaster, Emilli Ouriques, Daniel Zanella dos Santos Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4900 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 AMPLIANDO CONHECIMENTOS E HUMANIZANDO DIFICULDADES NO ENSINO DE MATEMÁTICA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4905 <p>A pandemia do novo coronavírus, afetou diversos segmentos mundiais dentre eles a Educação, que sofreu uma grande defasagem no ensino e aprendizagem dos estudantes devido principalmente a desigualdade social, pois nem todos tinham acesso às ferramentas que viabilizaram o ensino remoto implementado nestes dois anos de pandemia. Ao retorno da presencialidade percebem-se dificuldades relevantes na disciplina de matemática por parte dos estudantes ingressantes nos cursos técnicos integrados, no que se referem a conhecimentos matemáticos do Ensino Fundamental e que são de grande valia para a aprendizagem durante o Ensino Médio e sua constituição como cidadão. O objetivo do presente projeto em andamento é suprir a carência em conteúdos matemáticos básicos, com algumas ações direcionadas ao ensino e aprendizagem na área de matemática, otimizando o tempo dos estudantes, melhorando a qualidade da formação de cada aluno, estimulando a pesquisa e minimizando as defasagem educacional. O projeto está em andamento e seu término acontecerá no final do ano, conta com dois monitores bolsistas e dois voluntários, sendo subdivididos em dois monitores para o primeiro ano do ensino médio e um monitor para o segundo ano do ensino médio. As monitorias acontecem nos horários vagos das turmas. Durante a vigência do projeto compareceram a monitoria 43 alunos que tiveram suas dúvidas e questionamentos respondidos nos conteúdos de matemática, a assistência aos alunos consistiu na resolução de problemas que eles tinham mais dificuldade, juntamente com o esclarecimento de conceitos matemáticos básicos, necessários para a boa formação do aluno, que foram estimulados a trazerem dúvidas que surgiram dos conteúdos ensinados em aula, para assim, poderem ter total domínio sobre eles. A cada atendimento foi feito um relatório sobre os estudantes que compareceram e as principais dúvidas esclarecidas no período. Até o momento observa-se melhora no aprendizado dos estudantes participantes da monitoria. Com a formação de um espaço tranquilo de aprendizado criado por essa prática, a monitoria também se mostrou muito efetiva como forma de adaptação na volta das aulas presenciais, após o ensino remoto na pandemia de coronavírus, por isso, é muito importante que a projeto de monitoria esteja sempre em vigência para auxiliar os alunos em suas dúvidas, aprimorar seus conhecimentos, na busca de um crescimento individual do aluno na disciplina e um maior amadurecimento na organização de seu tempo de estudo.</p> Edson de Souza Junior, Mateus Riffel Porto, Duani Laís Ebele Horst, Mirela Stefania Pacheco, Francini Coelli Schneider Schwingel Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4905 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 SUPORTE À APRENDIZAGEM DE FÍSICA BÁSICA NO ENSINO MÉDIO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3475 <p>O projeto de monitoria intitulado “Suporte à aprendizagem de Física Básica no Ensino Médio” é feito para que os monitores, com um bom relacionamento com a matéria, revisem os conteúdos dos anos anteriores, para sanar dúvidas e dificuldades de outros colegas dos Cursos Técnicos em Informática e Química Integrados ao Ensino Médio do Instituto Federal Catarinense, Campus Brusque. Durante certos horários semanalmente os monitores estão em sala de aula para os alunos irem até eles, com o intuito de sanarem suas dúvidas e dificuldades. Pelo fato do contato aluno-aluno ser mais direto do que com o professor-aluno, isto facilita o esclarecimento de dúvidas, pois muitas vezes o monitor já teve a mesma dificuldade ou conhece alguém que já a teve. No início das monitorias, observamos impasses na aprendizagem da física, principalmente envolvendo matemática básica e outros conhecimentos que os alunos do Ensino Médio supostamente aprenderam durante o ensino fundamental. Essas dificuldades provavelmente existiram e existem por conta destes assuntos terem sido abordados durante a pandemia mundial da covid-19. Desta forma, as aulas online dificultaram o acesso à educação dos estudantes, especialmente os de classe social mais baixa. Também podemos observar grande evolução nas habilidades dos monitores, que foram prejudicadas durante o isolamento social, como uma melhor performance ensinando em sala de aula. Além disso, as monitorias proporcionam uma grande oportunidade dos mesmos revisarem assuntos da física dos anos anteriores, sendo uma experiência enriquecedora. Ao longo do semestre estiveram presentes nas monitorias alunos dos cursos de Ensino Médio Integrado aos Técnicos de Química e Informática dos primeiros anos e dos segundos anos, consequência da divulgação, das recomendações dos professores de física do campus junto aos alunos, além da conversa com alguns pais em reuniões. O objetivo é o acolhimento destes estudantes em um ambiente com estudantes mais experientes e a necessidade da gradual aquisição de hábitos de estudo por parte de toda a comunidade discente. A criação de um espaço seguro para os estudantes, faz com que eles se sintam mais abertos e motivados para a retirada de suas dúvidas em relação aos conteúdos da disciplina de física. Além da criação de uma rotina de estudos, incentiva-se o aumento da organização da realização das tarefas escolares, quer seja revisando os assuntos, quer seja resolvendo diversas questões, naturalizando o conhecimento. Observa-se uma boa melhora no desempenho acadêmico na área das exatas, indicativo de evolução, compromisso e responsabilidade, vindo dos alunos que frequentam regularmente as monitorias de física, quebrando preconceitos desenvolvidos pelo desconhecimento da área.</p> Helen Merisio, Tiago Rafael de Almeida Alves, Luiz Otávio Coelho Paulo Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3475 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 AS CULTURAS INDÍGENAS KAINGANG E XOKLENG QUE HABITAM A REGIÃO DE SANTA CATARINA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4910 <p>O estudo do período literário Quinhentismo, nas aulas de Língua Portuguesa, despertou o interesse pela cultura indígena, uma vez que os índios eram os povos que habitavam o Brasil quando os portugueses chegaram aqui e foram, desde os anos 1500, explorados e exterminados pelo europeu. Assim, tem-se por objetivo, neste trabalho, apresentar as tribos indígenas Kaingang e Xokleng que habitam a região de Santa Catarina e refletir sobre a forma como vivem aqui, em comparação à condição em que viviam os nativos no período do descobrimento do Brasil. Os Kaingang e os Xokleng habitam o território de Santa Catarina, em terras oficialmente demarcadas para eles, desde o início do século XX. A vinda deles para Santa Catarina foi motivada pela expansão territorial realizada por Rio Grande do Sul e por São Paulo, a qual resultou na exploração da terra em que viviam e na sua expulsão do local. Vistos desde sempre como uma barreira para o progresso, eles foram catequizados e educados na cultura dos brancos, considerada o modelo a ser seguido, e quando mostravam-se resistentes, eram exterminados por grupos armados denominados “bugreiros”, palavra que deriva de “bugre”, cujo significado é selvagens. A partir do estudo de aspectos da cultura dos Kaingang e dos Xokleng, como sua língua, contato com outros povos, organização social e política, herança histórica e processos jurídicos que os envolvem, pode-se concluir que os índios continuam tendo seus espaços cultural e territorial desrespeitados pelos brancos, não têm seus direitos nem são valorizados socialmente. Conclui-se que, desde o princípio, os índios não tiveram voz na sociedade, sendo sempre exigida deles a submissão e o abandono dos seus costumes, crenças e modos de vida. Entretanto, é preciso que a história do Brasil que é contada hoje nos livros existiu graças à existência deles e ao seu cuidado e zelo com a terra que hoje habitamos.</p> Guilherme Riffel, Amanda Cadori Modesto, Ana Allici Grimm, Ana Carolina Salvador Hames, Camila Maria Corrêa Rocha Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4910 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 CERVEJA PROBIÓTICA: Uma inovação para o mercado cervejeiro https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4817 <p>A cerveja é uma bebida altamente consumida no Brasil e apresenta grande potencial mercadológico. A alta demanda da bebida, em conjunto com a crescente busca por alimentos saudáveis e que trazem efeitos benéficos ao consumidor, torna a produção de uma cerveja probiótica uma grande inovação no mercado cervejeiro. Sendo assim, o projeto visou avaliar a utilização da cerveja como veículo para a ingestão de bactérias probióticas. Para tal, foram utilizadas quatro linhagens de Lactobacillus reativados por meio de repiques sucessivos em caldo MRS com pH 6,2, esterilizado a 127°C por 20 minutos na autoclave e incubadas a 37°C em uma estufa de cultura bacteriológica durante 24 horas. Para que as bactérias se tornassem resistentes, foi adicionado cerveja do tipo Puro Malte ao caldo gradativamente até que sua concentração se tornasse a mesma do MRS e as linhagens pudessem crescer normalmente. Para a avaliação da viabilidade dos probióticos na cerveja, foram produzidos 20 litros de cerveja Pale Ale, envasada em dois barris, sendo um para controle e o outro para inocular as bactérias. Antes da inoculação foram realizados testes de Gram e catalase para a verificação da ausência de contaminação. A quantificação das bactérias foi realizada pela técnica de Pour Plate e, em seguida, a cultura bacteriana foi centrifugada a 4000 rpm por 10 minutos, obtendo-se uma concentração de aproximadamente 10^8 UFC de bactérias por mL de cerveja. Os barris são mantidos em refrigeração a 4°C e, semanalmente são retiradas amostras após homogeneização da cerveja para as análises de pH, acidez total e quantificação de lactobacilos. Para a medida da acidez, as amostras foram descarbonatas e medidas por meio de pHmêtro de bancada e por titulação com NaOH 0,1M, padronizado com biftalato de potássio. Os resultados, ainda preliminares, demonstram que as bactérias Lactobacillus mantêm-se viáveis após duas semanas apesar de uma diminuição de células (5,5105 UFC/ml e 3,4106 UFC/mL). Pode observar-se também uma leve diminuição do pH, de aproximadamente 4.35 inicial para 4.18 após um mês de análises. Assim como o pH, não houve diferença significativa na quantificação de ácido láctico em ambos os barris, indicando que as bactérias não estão alterando as características físicas da cerveja. Conclui-se até o presente momento, que a cerveja Pale Ale pode ser um bom veículo para o consumo de bactérias probióticas, uma vez que a viabilidade das foi satisfatória, sem alterar as características químicas que poderiam gerar off flavors para a bebida. Apesar dos resultados preliminares serem animadores, devido ao curto período de tempo, são necessárias mais análises.</p> Henrique da Veiga Rodrigues, Mileni Mariana Correia, Emili Colombi Valiatti, Rodrigo Ravison, Alirio Bernardino, Jonas Arlan Fritzke, Ana Luiza Postai, Tatiane Sueli Coutinho Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4817 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 RODAS DA DIVERSIDADE https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4823 <p>O projeto de extensão “Rodas da Diversidade”, do Instituto Federal Catarinense – IFC / Campus Brusque, promove o debate e o diálogo sobre temas relacionados à diversidade social e cultural brasileiras, no âmbito do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas – NEABI, do Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade – NEGES e do Núcleo de Acessibilidade às Pessoas com Necessidades Específicas – NAPNE. Metodologicamente, a roda de conversa é composta por um mediador e duas ou três pessoas que farão as apresentações dos temas a serem debatidos. Cada apresentador tem um tempo estipulado para apresentação do tema. Após as apresentações, o público presente é incentivado a realizar perguntas ou fazer o uso da fala para expor seu ponto de vista sobre o assunto tratado. Essas rodas de conversas são momentos de reflexão, fala, escuta, debate e interação sobre a complexa realidade brasileira, no decorrer do ano letivo de 2022, sobretudo por ocasião das datas civis relativas à diversidade social e cultural brasileiras, com a participação dos docentes, discentes, servidores do campus, assim como da comunidade brusquense. A conversa é um espaço de formação, de troca de experiências, de confraternização, de desabafo, que forja opiniões, razão pela qual surge como uma forma de reviver o prazer da troca e de produzir ricas informações em conteúdo e significado para o campo da Educação. A realização das “Rodas da Diversidade” alinha-se à RESOLUÇÃO Nº33/2019, do Conselho Superior - CONSUPER, do Instituto Federal Catarinense, que dispõe sobre a política de inclusão e diversidade, amparada em ampla legislação civil e educacional. Considera-se importante sua realização por propiciar o debate sobre o direito à igualdade e a promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Este projeto de Extensão conta com suporte financeiro via Edital 03/2022 – Seleção Bolsas IFC – 2022.</p> Maria Clara da Silva Soares, Gilian Evaristo França Silva Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4823 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 APRENDIZAGEM INTEGRADA NO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4893 <p>O processo de aprendizagem na criação e desenvolvimento de jogos abrange diferentes conhecimentos. Para se fazer um jogo, é necessário conhecimento não somente em programação, mas, também, em lógica, música, desenho, inglês, geometria, coordenadas geográficas, entre muitos outros. Percebe-se nesse processo o uso da Física, Matemática, Artes, Geografia, Linguagens entre outros, pois para desenvolver um jogo é necessário trabalhar com programação, design gráfico, efeitos sonoros, level design (design de fases), storytelling (elaboração da história e do enredo do jogo), contextualização e tematização, internacionalização, entre outros. O trabalho proposto pelos alunos do projeto de ensino "Fábrica de Games" é desenvolver jogos que unam disciplinas diferentes (multidisciplinaridade) e demonstrar como o desenvolvimento de jogos pode ser, além de divertido, informativo e esclarecedor. O projeto ajuda no aprendizado e na fixação dos conteúdos aprendidos em sala de aula. Por exemplo, conceitos mais complicados de serem visualizados e entendidos pelos alunos podem se tornar mais fáceis de serem compreendidos, como um jogo envolvendo Astronomia, criado no projeto, que demonstra a lei da gravitação universal agindo em planetas e como suas órbitas são geradas através das leis da física. Para a criação de jogos, os alunos bolsistas pesquisaram sobre softwares (programas) e como usá-los, ajudaram uns aos outros nos problemas que encontraram e usaram diversos programas com linguagens de programação e focos diferentes, como Unity, GameMaker Studio 2, Roblox Studio, Godot, para desenvolver os jogos e Blender, Photoshop, Aseprite, Pixel Studio para estilizar e criar sprites (imagens) que posteriormente serão usadas nos jogos. Além disso, foram utilizadas metodologias de estudo online, como vídeos e documentos sobre criação de jogos e softwares. Concluiu-se que o processo de desenvolvimento de jogos pode ser divertido, informativo e melhorar o aprendizado escolar e o desenvolvimento de habilidades em diversas áreas, portanto é relevante na vida acadêmica e profissional do estudante, pois abrange muitas áreas do saber.</p> Erick Cestari, Vinicius Cestari, Leonardo Felipe De Ávila Calbusch, Denis Contini Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4893 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 A IMPORTÂNCIA DO APOIO À COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NO CAMPUS BRUSQUE https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4898 <p>Em 2021 foi aberto o edital para concessão de bolsas na Reitoria (Edital 75/2021) para auxílio às coordenações de extensão dos campi do Instituto Federal Catarinense a serem executadas no ano de 2022, e desde a aprovação da proposta do campus Brusque, foi solicitado um bolsista do curso técnico em química integrado ao ensino médio para esse apoio. O projeto tem como objetivo geral de colaborar com as coordenações de extensão nas diversas ações de extensão. Entre os objetivos específicos, o bolsista irá, apoiar e fortalecer as ações das coordenações de extensão, contribuir com o aprofundamento dos estudos e o mapeamento das atividades de extensão realizados no campus, bem como com o engajamento com os arranjos produtivos, sociais e culturais locais; também visa auxiliar na execução e acompanhamento de projetos de extensão, elaboração de relatórios e atas, auxiliar estudantes e servidores na submissão de projetos e preenchimento de formulários. No quesito divulgação de ações para a sociedade, a discente bolsista preparou folders e panfletos e atualmente está auxiliando na organização e preparo da FACCHU (Feira Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e…), um evento realizado pelo campus anualmente, onde são apresentados projetos de ensino, pesquisa e extensão, oficinas, palestras e apresentações culturais, e que em 2022 voltará a ser realizada presencialmente. Ao longo do projeto o bolsista é acompanhado e orientado pelo coordenador do projeto, que o auxilia e ensina a realizar suas demandas e cumprir com os objetivos. Apesar de parecer simples, o projeto é de grande importância não só para a coordenação para manter o bom funcionamento do setor; como também para o aluno, pois o ajuda a desenvolver habilidades e aproveitar oportunidades que vão contribuir para seu futuro. Maria Montessori disse uma vez: “ Para ser eficaz, uma atividade pedagógica deve consistir em ajudar a criança a avançar no caminho da independência”; e é isso que esse projeto proporcionou, resultando em uma visão mais crítica e humana, maior responsabilidade, autonomia e entendimento sobre as atividades acadêmicas que o bolsista levará para toda a sua vida pessoal, formação acadêmica e profissional.</p> Alana Luane Rodrigues Câmara, Leda Ardiles, Vanderleia Gemelli Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4898 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 ERVATERAPIA: PRODUÇÃO DE SABONETES ARTESANAIS COM PROPRIEDADES MEDICINAIS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4903 <p>Com a pandemia do COVID-19, a automedicação se acentuou, sendo que 77% dos brasileiros fizeram uso desta, um dos motivos para que os medicamentos alopáticos ocupem a primeira posição na lista de causas de intoxicação e a segunda na lista de óbitos por agentes tóxicos no país (23% dos óbitos), perdendo somente para os agrotóxicos. Sintomas dos mais simples aos mais complicados já possuem um remédio nas prateleiras para tratá-los. A pandemia também gerou grande impacto negativo sócio-econômico, tendo o número de desempregados no Brasil ultrapassado os 15 milhões no início de 2020. Assim, com o objetivo de ofertar uma fonte extra de renda e conscientizar a população local acerca das ervas medicinais, é que surgiram as oficinas de sabonetes com ervas medicinais - voltadas, principalmente, aos eixos do microempreendedorismo e do ecofeminismo. Buscando atingir tais objetivos, a partir da volta presencial pós pandemia em setembro de 2021, foram realizadas oficinas de produção de sabonetes medicinais para o público externo mensalmente. As oficinas foram realizadas no IFC, sendo iniciadas com uma rápida descrição do projeto, das ervas medicinais utilizadas e seus benefícios, seguida da fabricação dos sabonetes utilizando os seguintes ingredientes: 500g de glicerina, 100 mL de lauril, 100 gotas de óleo essencial e 100 ml de chá, corantes naturais, como colorau, açafrão ou beterraba, podendo ainda utilizar algumas substâncias, como por exemplo chia e borra de café, como esfoliante natural. Os óleos essenciais foram combinados ampliando as áreas efetivas e melhorando os resultados, tal qual patchouli e tea tree que possuem propiedades antifúngicas, antisépticas, bactericida e imunoestimulantes, auxiliando no tratamento de acne ou lavanda e erva doce utilizada no combate da ansiedade, insônia, além de ter propriedades analgésicas e calmantes. Após o término das oficinas foram realizadas a distribuição dos sabonetes fabricados e uma conversa sobre a comercialização destes produtos artesanais. Foram efetuadas cerca de dez oficinas de sabonetes no IFC, alcançando aproximadamente 200 pessoas da comunidade externa. Tendo isso em vista, pode-se concluir que o projeto apresentou grande sucesso pois as oficinas de sabonetes naturais com propriedades medicinais, proporcionou aos participantes a possibilidade de obter uma renda adicional, além de conhecer e disseminar o uso diário de produtos naturais e terapêuticos, proporcionando a valorização da natureza e da cultura tradicional popular, interação social e o cuidado com a saúde. Vale ressaltar que as oficinas continuarão sendo realizadas no IFC nos próximos meses e pretende-se realizar oficinas para a produção de velas artesanais.</p> Danielli Moreira dos Santos, Amanda Pavesi , Ana Flávia Stedile, Camila Vitória Taboni, Rian Bormanieri, Grasiela Andresa De Oliveira, Ivan Lucas Vargas, Taynara Licinio Misch, Giovana Schmitt, Maria Clara Vailati, Maria Eduarda Cancelier Tomasi, Marcelo Henrique Rezini, Flávia Alessandra Konzen, Tatiane Sueli Coutinho, Flavia Regina Wilcke Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4903 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 OFICINAS DE INSTRUMENTOS COM MATERIAIS RECICLÁVEIS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3472 <p>Depois de dois anos de atividades remotas, o projeto integrado Física e Artes em Integração voltou a realizar as oficinas com instrumentos de materiais reciclados nas salas de aula no ano de 2022. A atividade está ocorrendo nas disciplinas de Artes e Física do curso de ensino médio integrado em química do IFC-Brusque, utilizando- se dos saberes científicos e artísticos para a construção dos instrumentos no laboratório maker. O Lab-maker é uma sala com equipamentos (como impressoras 3D, cortadora à laser e furadeira de bancada), ferramentas e materiais para o desenvolvimento de diversos projetos, incluindo a construção dos instrumentos musicais. A dinâmica das aulas acontece da seguinte maneira: em primeiro lugar, cada aluno fez a escolha de dois instrumentos trabalhados pelo projeto, um de percussão e outro de notas, para construir. Os instrumentos de percussão são: chocalho de grão, chocalho de platinela e pau-de-chuva. Os instrumentos de notas são: flauta transversal, flauta doce, flauta de Pã, viola de lata e sinopet. Depois, os alunos vão para o lab-maker durante as aulas de Artes e Física para construir os instrumentos. Para os alunos não ficarem perdidos na hora de construir o seu instrumento, o projeto desenvolveu um e-book (a ser publicado ainda em 2022 pela editora do IFC) e um canal no Youtube (chamado Oficina pé de lata) com as orientações e passo-a-passo da elaboração dos instrumentos musicais. Com a ajuda deste material, muitos alunos relataram boas experiências ao construir os instrumentos, dizendo que os proporcionaram um ambiente de colaboração e<br><br>trabalho em equipe. Também relataram que essa construção os ajudou a se conectar mais com a música e aprender mais sobre ela. O projeto também realiza oficinas de extensão ministradas pelos alunos do Instituto Federal Catarinense de Brusque, destinadas a crianças e pessoas com deficiência. As oficinas, previstas para ocorrerem entre outubro e novembro, acontecem de uma forma mais lúdica, como contação de histórias, ou para ensinar a construir um instrumento simples, como um chocalho, ou tantas outras propostas que os alunos podem fazer. O público atendido, visando abordar questões de inclusão e transformação social, são as turmas das APAEs de Brusque e Guabiruba e de escolas de educação infantil ao redor do campus. O projeto também vai criar uma orquestra aberta para alunos e comunidade externa. Nesta orquestra serão criados arranjos pensando na sonoridade dos instrumentos construídos. Os encontros para ensaio serão semanais e serão planejadas apresentações ao longo do ano. Para isso tudo acontecer, criamos caixas para fazer a coleta de materiais reciclados que serão usados na construção dos instrumentos. Com essas atividades, o projeto quer espalhar conhecimento científico e artístico junto à sustentabilidade.</p> Daniel Victor Fachinelli, Emily Merlo, Valter João Rieg, Maele De Oliveira Silva, Alana Luane Rodrigues Câmara, Daniel Zanella, Marcos João Correia, Tiago Rafael de Almeida Alves Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3472 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 ERVATERAPIA: A democratização do uso e cultivo das ervas medicinais por meio de plataformas digitais/ The democratization of the use and cultivation of medicinal herbs through digital platforms https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4908 <p>Atualmente, tem-se verificado o aumento do uso excessivo de medicamentos alopáticos, sobretudo no contexto da pandemia de Covid-19, o que nem sempre significa garantir uma boa qualidade de vida. Concomitante, nesse contexto tem-se acelerado o processo de informatização, sobretudo nas redes sociais. Frente a isso, o programa de extensão da Ervaterapia desenvolve atividades a fim de promover a conscientização sobre o malefício do uso excessivo de medicamentos alopáticos e a importância das ervas medicinais como auxílio em diferentes tratamentos, além de explorar a educação ambiental e o resgate histórico-cultural. Dentre essas atividades, tem-se o cultivo da horta comunitária e a divulgação de informações nas plataformas digitais. Através de postagens no Instagram institucional do projeto, são compartilhadas informações sobre as propriedades das ervas, dicas sobre preparação de chás, as atividades realizadas pelo grupo de trabalho (oficinas de produção de sabonetes artesanais e contação de história em quadrinhos), bem como buscam interagir com a comunidade, a fim de os aproximar do projeto e incentivar o uso de ervas medicinais. Até o presente momento, a rede social do instagram o projeto apresenta 526 seguidores representando um aumento de maior que 65% comparado ao ano de 2021. A horta comunitária é cultivada pelos próprios estudantes do projeto, que se organizam em uma escala de revezamento para manutenção da mesma. Atualmente, a horta apresenta mais de 20 espécies diferentes, como erva-doce, erva-cidreira, boldo, alfavaca, hortelã, entre outras, podem ser utilizadas pela comunidade acadêmica e nas demais atividades do projeto, como na confecção de oficinas de sabonetes artesanais e no consumo de chás. Sendo assim, por meio do cultivo da horta comunitária e da divulgação de informações nas redes sociais, se obtém uma ampla e significativa conscientização para além da comunidade acadêmica, levando conhecimento à comunidade em geral sobre formas de substituir medicamentos por derivados naturais e saudáveis de ‘’plantas’’. Sendo assim, o programa Ervaterapia contribuiu com a comunidade, auxiliando-a se tornar cada vez mais sadia, ainda que o projeto esteja consciente da necessidade e importância do acompanhamento médico no processo de tratamento de doenças.</p> <p>&nbsp;</p> Marcelo Henrique Rezini, Amanda Pavesi , Camila Vitoria Taboni, Ana Flávia Stedile, Danielli Moreira dos Santos, Rian Bormanieri, Grasiela Andresa De Oliveira, Ivan Lucas Vargas, Taynara Licinio Misch, Giovana Schmitt, Maria Clara Vailati, Maria Eduarda Cancelier Tomasi, Flávia Alessandra Konzen, Tatiane Sueli Coutinho, Flávia Regina Wilcke Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4908 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 RELIGIÕES E RELIGIOSIDADE EM BRUSQUE: UM OLHAR SOBRE A INFLUÊNCIA EUROPEIA NO CONTEXTO RELIGIOSO DE BRUSQUE E SUAS IMBRICAÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DO CAPITALISMO NA CIDADE. https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4811 <p>Ao perceber a influência europeia na formação da população da cidade de Brusque/SC, ficou clara a necessidade de lançar um olhar sobre os aspectos religiosos presentes, na perspectiva de identificar a possível herança religiosa que chegou do velho continente no processo de imigração. Após constatar que um dos traços da população é a religiosidade, pensou-se em fazer um projeto de pesquisa cujo objetivo seria identificar em quais correntes religiosas essa religiosidade se manifesta, e estabelecer a vinculação das mesmas com mananciais religiosos autóctones ou alóctones. Para além de uma mera constatação, o objetivo mais específico envolve identificar, mapear e verificar as correntes religiosas mais comuns nos bairros mais abastados da cidade, bem como aquelas notadas nos bairros periféricos onde a população é mais carente de recursos materiais. A metodologia utilizada para levar a cabo o projeto em curso, envolve a pesquisa em três vertentes: primeiramente uma pesquisa mais geral envolvendo ferramentas que a internet disponibiliza, dentre elas o Google Maps. Paralelamente, um novo componente ganha dimensão, mesmo que temporariamente interrompido em virtude da pandemia. Esse novo componente é a pesquisa em órgãos Públicos como Prefeitura, IBGE, etc. Como os mapas da Internet e os dados registrados nos Órgãos públicos não são atualizados frequentemente, está em curso uma varredura que se enquadra na pesquisa de campo, com a finalidade de constatar a existência dos Templos religiosos identificados na Internet e nos demais levantamentos, até mesmo para confirmar se o mesmo não mudou de endereço. De posse dos dados citados será feito o mapeamento dos diferentes Templos com a finalidade de se obter respostas aos seguintes questionamentos: qual seguimento religioso está mais presente na cidade? Qual deles abarca o maior número de seguidores? Após vencidas essa etapas, será realizado outra pesquisa que envolve entrevistas com os representantes de tais seguimentos e o objetivo dessa nova fase é a de se constatar possíveis vinculações com religiões trazidas pelos imigrantes. Por fim, mediante um mapeamento mais preciso, analisar qual delas está mais presente nos bairros mais pobres e também nos bairros mais ricos do município, podendo encontrar nessas buscas, as evidências de qual das correntes religiosos estão mais presentes no desenvolvimento capitalista da cidade e possivelmente da região. O trabalho será montado de forma que possa servir de pesquisas futuras e no tempo correto será gerado um artigo com a finalidade de se publicar os resultados obtidos da pesquisa que está em curso.</p> Paulo Roberto de Souza, André Jair Herkert Junior, Jenifer Pühler Suavi, Aimee Ester Dias, Laís Carolyne Lourenço do Prado, Gabriela de Oliveira Santos, Uriel M Nunes, Cassiano Miguel Dirschnabel Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4811 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 AS MÍDIAS SOCIAIS DO PROJETO FÍSICA E ARTES EM INTEGRAÇÃO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4821 <p>O projeto Física e Artes em Integração é um projeto integrado do IFC de Brusque, coordenado pelos professores Daniel Zanella dos Santos, Marcos João Correia e Tiago Rafael de Almeida Alves. Seu objetivo é integrar as disciplinas de Artes e Física em uma série de atividades que envolvem o estudo de acústica e a construção e prática de instrumentos feitos com material reciclado. Esse resumo irá falar, mais especificamente, das mídias sociais do projeto, sendo elas a página do Instagram e o canal do Youtube. O nosso canal do Youtube surgiu após o projeto de construção do e-book (um manual com o passo-a-passo para a fabricação dos instrumentos e com os conceitos de acústica) ser finalizado, com a ideia de expandir os conhecimentos. Com a chegada da pandemia e, junto com ela o isolamento social, o projeto precisou adaptar-se para atividades online. Deste modo, decidimos criar um canal do Youtube com vídeos da construção dos instrumentos. Para isso, foram divididas as etapas para o andamento do canal entre os membros do projeto: roteiro e texto, apresentação dos vídeos, operação das câmeras e áudio, edição dos vídeos e, por fim, criação da música da vinheta. A operação dos vídeos aconteceu no laboratório de áudio visual disponível no IFC Brusque, onde foram disponibilizados os materiais, como câmeras profissionais, microfone de lapela, chroma-key e soft box. Vale ressaltar, também, que foi feito um vídeo piloto, para testar qualidade do som, roteiro, entre outras coisas. Os vídeos contam com a aparição do personagem Tim Lattes, que é uma junção dos nomes do cantor e compositor Tim Maia e do cientista brasileiro César Lattes, representando bem a união da música com a física, criado pelos integrantes do projeto. A motivação para a criação dos vídeos foi, principalmente, trazer o conhecimento de forma mais tecnológica e divertida, mesmo em um tempo paralisado pela pandemia, além de conseguir alcançar um maior número de pessoas, já que as redes sociais facilitam o acesso ao conteúdo de forma mais prática. Junto com o canal do YouTube, o projeto também conta com uma página do Instagram, administrada pela aluna Emily Merlo, com a ajuda das alunas Maele de Oliveira Silva e Gabrieli Aparecida Cunha. No momento, a página, seguindo as orientações da coordenação geral de comunicação (CECOM), parou com a publicação de postagens durante o período eleitoral, como é comum nas instituições federais. O perfil tem como objetivo principal a divulgação e expansão dos conhecimentos e atividades futuras do projeto. As redes sociais do projeto têm como maior objetivo espalhar seus conhecimentos, englobando o mundo das exatas com o mundo artístico e ensinando cada um deles, com fácil acesso para todo tipo de público com o interesse em aprender tanto a construção dos instrumentos passo-a-passo quanto a física envolvida na execução deles.</p> Emily Merlo, Daniel Zanella, Marcos João Correia, Tiago Rafael de Almeida Alves, Daniel Victor Fachinelli, Valter João Rieg, Maele De Oliveira Silva Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4821 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 USO DO SOFTWARE BLENDER NO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4891 <p>O software Blender é um programa de computador de código aberto, desenvolvido pela Blender Foundation, para modelagem de objetos digitais, animação, texturização, composição, renderização e edição de vídeo. Com ele, é possível modelar e esculpir objetos tridimensionais, realizar simulações físicas, animar modelos ou desenhos bidimensionais e até construir cenas inteiras. Entre as diversas opções de programas para manusear um espaço tridimensional, o Blender se destaca por ser gratuito, e isto não é um fator que afeta a qualidade do programa. Este software é muito útil e possui muitos recursos, que são constantemente atualizados e melhorados, mesmo em sua versão gratuita. Para casos onde algum recurso não esteja disponível, o Blender permite a implementação de plugins - recursos adicionais que podem ser baixados da Internet. Dentre as principais funcionalidades do programa, destacam-se: modelagem; escultura; animação; desenho, ilustração, edição de vídeos e texturização. Devido às características citadas, o Blender pode ser particularmente útil na criação de jogos para o projeto de ensino Fábrica de Games. A área de desenvolvimento de jogos requer mais que conhecimento lógico aplicado na programação. Para manusear essa ferramenta, mostra-se necessário conhecimento geométrico para criação e dimensionamento do espaço, conhecimento artístico para criar objetos esteticamente agradáveis, conhecimento cultural para criação de modelos relacionados a um tema de uma cultura específica ou, ainda, conhecimento geográfico para produção de paisagens e cenários. Sendo assim, o conhecimento interdisciplinar se apresenta de forma imprescindível na concepção de projetos. Dessa forma, fica evidente a relevância de se dominar uma ferramenta como o Blender para utilização não somente no projeto de ensino Fábrica de Games, mas também fora da área de desenvolvimento de jogos, como, por exemplo, nas áreas de animação, produção de cenários, efeitos especiais de computação gráfica (CGI - Computer Graphic Imagery) para filmes ou anúncios publicitários, simulações, design de produtos, projetos arquitetônicos, entre outros.</p> Leonardo Felipe De Ávila Calbusch, Eduardo Mateus Teixeira Rodrigues Farias, Denis Contini Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4891 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 ANÁLISE ANTIMICROBIANA DO LÚPULO (HUMULUS LUPULUS) EM MOSTO CERVEJEIRO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4896 <p>O lúpulo (Humulus lupulus) é uma planta trepadeira perene dioica, da família Cannabaceae, cujas inflorescências femininas apresentam glândulas lupulina responsáveis pela produção de resinas (que conferem amargor), polifenóis (com propriedades antioxidantes) e óleos essenciais (que conferem aroma) que despertam grande interesse na produção de cerveja. Apesar de ser considerado ingrediente fundamental na produção da cerveja devido às propriedades organolépticas oferecidas ao produto, acredita-se que utilização inicial do lúpulo na produção de cerveja deve-se às suas propriedades microbiológicas e farmacológicas, já sendo comprovado que os ácidos contidos no lúpulo interferem no transporte de metabólitos na membrana celular, modificando o pH intracelular, o que provoca morte das bactérias, principalmente em bactérias Gram-positivas, Sendo assim, o presente trabalho consiste na análise antibacteriana do Humulus lupulus, em diferentes concentrações em mosto cervejeiro, sobre bactérias do gênero Lactobacillus, sendo quatro delas resistentes à cerveja e, uma levedura selvagem Brettanomyces lambicus, isolada de cervejaria pela empresa Levteck. Inicialmente, foi avaliado a ação do lúpulo Amarillo, por meio da técnica de disco-difusão em ágar. Para tal, foram produzidos 5 Litros de mosto utilizando-se 1,02 kg Malte Pale Ale e 0,03 kg de Malte Chateau Crystal. O malte previamente moído foi adicionado em água aquecida a 67°C, por uma hora para a liberação dos açúcares fermentescíveis e depois, por 10 minutos a 77°C, para a inativação das enzimas, processo conhecido como mash out. Após a lavagem do malte, o mosto recebeu diferentes concentrações do lúpulo Amarillo, e foi novamente aquecido a 92°C por uma hora. Após o processo de fervura do mosto, foi realizado whirlpool para decantação de sedimentos e essa solução foi utilizada para a avaliação da ação antimicrobiana. As bactérias foram reativadas por meio de repiques sucessivos em caldo MRS, mantidas em estufas bacteriológicas, por 24 horas a 37±3 ºC e quantificadas pela técnica de pour plate em triplicatas. Até o presente momento foi realizado somente um teste de avaliação não permitindo resultados conclusivos. As análises serão repetidas para melhor elucidar a concentração mínima inibitória de lúpulo no mosto capaz de promover inibição das bactérias lácticas, principais contaminantes da cerveja.</p> Lucia Kobus, Amanda Silva Sabino, Tatiane Sueli Coutinho, Ana Luiza Postai, Betina Darosci Orsi, Camile Cezerino, Maiuni Dias Groh Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4896 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 A INTEGRAÇÃO DAS HABILIDADES E CONHECIMENTOS NO MERCADO DE DESENVOLVIMENTO DE JOGOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4901 <p>O mercado de jogos vem ganhando um espaço considerável, tendo um grande aumento durante o período de pandemia dos últimos dois anos. Segundo a revista Forbes, apenas o setor de consoles faturou mais de 45 bilhões de dólares nesse período, mostrando um grande potencial lucrativo para as empresas. Uma das principais fontes de lucro desse setor advém de jogos com microtransações (compras dentro do jogo), como reportado pela empresa Activision. A empresa aponta que teve um aumento anual de 27% em seus lucros, chegando a 2,28 bilhões de dólares. Entretanto, esse aumento não foi somente nos últimos 2 anos. Pesquisas realizadas em 2019 pela revista Forbes estimam que o mercado arrecade cerca de 300 bilhões de dólares até 2025. Um dos grandes fatores que mantém esse lucrativo mercado se expandindo é a acessibilidade para a compra de seus produtos. Cada vez mais o público gamer aumenta, com um alcance que atinge desde crianças até idosos. Esse crescimento advém da popularização dos jogos, antigamente disponíveis apenas por consoles, e que agora estão acessíveis a apenas alguns cliques na palma da mão dos usuários, por meio de dispositivos móveis como tablets e smartphones. Contudo, fica evidente a importância do mercado de jogos na economia mundial. Nessa perspectiva, o projeto de ensino Fábrica de Games, além de estimular o aprendizado dos estudantes, objetiva também apresentar aos estudantes as perspectivas que podem ter enquanto potenciais profissionais preparados para o mercado de trabalho. A indústria de jogos atualmente abrange diversas áreas, como artes visuais, por meio de artistas e animadores digitais, a música e a sonoplastia, gerenciamento de projetos e coordenação de equipes, gerentes e diretores, e principalmente a programação e a criatividade. Dessa forma, busca-se explorar por meio do projeto a integração dos saberes e habilidades, por meio da combinação de conhecimentos diversos, e não somente da área de programação. Assim, para participar do projeto Fábrica de Games, o estudante não precisa, necessariamente, ser um bom programador, pois pode colaborar de várias formas, indo desde habilidades artísticas, de linguagens, produção de texto, criação de enredos, composição musical, além de conhecimento específico sobre elementos relacionados ao tema de cada jogo como história (cultura e momento histórico do jogo), geografia (locais reais ou imaginários, terrenos, biodiversidade), química e biologia (composição, relação e interação entre elementos do jogo) dentre tantos outros exemplos. O projeto Fábrica de Games busca ir além do desenvolvimento de produtos de software, ou seja, tem por objetivo integrar estudantes com diferentes habilidades e introduzir o mercado de jogos como uma possibilidade de atuação, haja vista seu grande crescimento, além de precisar de profissionais das mais diversas áreas e com uma amplitude de conhecimentos e habilidades, permitindo a contribuição de pessoas com diversas especialidades.</p> Clara Haag Rodrigues, Denis Contini, Leonardo Felipe De Ávila Calbusch Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4901 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 REUSETECH 2022: OFICINAS DE MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3236 <p>A partir das oportunidades do projeto de extensão ReuseTech, que já ocorre no IFC campus Brusque desde 2016, e dos efeitos causados pela pandemia de COVID-19, que impossibilitou a prática profissional dos estudantes dos cursos de informática do campus (Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio e Superior de Tecnologia em Redes de Computadores), pensou-se neste projeto de ensino integrado à extensão. Com o conhecimento dos estudantes e a supervisão dos professores orientadores, serão ofertadas oficinas de montagem e manutenção de computadores a partir dos equipamentos eletrônicos de informática recebidos de doação pelo projeto ReuseTech. Serão realizadas pelo menos duas oficinas: (i) uma voltada ao público interno, preferencialmente aos estudantes dos 2ºs anos do Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio do campus que não tiveram essas práticas quando estiveram no 1º ano do Ensino na disciplina Hardware e Sistemas Operacionais, no período da tarde; e (ii) outra aberta à sociedade, em período noturno. Cada oficina terá três dias de atividades, com duas a três horas de duração, sendo assim divididos: (i) no primeiro dia, o reconhecimento de peças de hardware e a montagem de computadores; (ii) no segundo dia, a instalação de um sistema operacional nos computadores montados; e (iii) no terceiro dia, uma atividade prática introdutória de Arduino e Raspberry (para as oficinas do público interno) e uma atividade introdutória de administração básica e uso de softwares nos sistemas operacionais instalados (para as oficinas do público externo). Como um desdobramento do projeto ReuseTech, espera-se que esta ação possa ajudar na conscientização da sociedade local sobre o reuso, o desenvolvimento sustentável nas cadeias de produção e o descarte correto de equipamentos eletrônicos; servir como uma capacitação introdutória na área de informática; bem como ajudar a diminuir a lacuna de conhecimento deixada pelos efeitos da pandemia de COVID-19 nos alunos do campus.</p> Abraão Teixeira da Silva, Jeferson Dell Agnolo, Jéssica Vitória de Souza Ribeiro, José Enrico Boni Belli, Lohan Amâncio Ribas, Raí Luz Oliveira, Taynan Vila Nova, Josiney de Souza, Nicolas Gabriel Rosa, Leticia Cristina Nakasawa Kobus, Miguel Amaro da Silva, Eduardo Kohler, Camila Vitoria Taboni, Davi Lima Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3236 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 MAPEAR OS ESPAÇOS, HABITÁ-LOS PELA ARTE: UMA PESQUISA ARTÍSTICA PRODUZIDA NA CIDADE DE BRUSQUE (SC) https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4906 <p>O Habita IFC: clube de arte é um projeto de ensino, pesquisa e extensão criado em 2019, que objetiva promover coletivos artísticos na instituição e a interação entre as diversas linguagens artísticas nos espaços escolares. A vertente de pesquisa artística desse projeto teve início no ano de 2022 e partiu do conceito de “Habitar”, do historiador Michel de Certeau. Para esse autor, na obra “A Invenção do Cotidiano”, habitar um espaço significa assumir uma posição ativa perante ao que já está instituído e praticado, ou seja, transformar o lugar que se ocupa com mais vida e movimento, usufruir não só daquilo que está dado, mas também das potências do imprevisível. Tendo em vista todo o contexto histórico da arte na cidade de Brusque e o conceito de habitação, um dos objetivos da pesquisa é analisar os espaços da cidade de Brusque que receberam artistas e eventos culturais nos anos de 2021 e 2022; e como eles foram (ou não) habitados. Primeiramente, foram realizadas pesquisas em plataformas digitais para obter os dados disponíveis sobre os locais e as instituições que receberam trabalhos artísticos. Posterior a isso, efetuaram-se contatos diretos com os responsáveis dos espaços para complementar e confirmar os dados obtidos virtualmente. A título de exemplo, nas buscas realizadas encontram-se espaços como: escolas, teatros, bibliotecas públicas, museus, livrarias, lojas, feiras, entre outros. Mediante aos materiais coletados, houve uma catalogação por meio de planilhas online, para aperfeiçoar o banco de dados para o seguimento da pesquisa. Após finalizar a coleta de dados, será realizado um mapeamento detalhado, visto que a pesquisa ainda está em andamento. Deste modo, os pesquisadores pretendem analisar as contribuições dessa proposta para a comunidade local, ou seja, identificando: como os espaços foram e podem (ou não) ser habitados através das expressões artísticas; o que esses espaços representam para o cenário cultural da cidade; a possível existência de uma centralidade e uma hegemonia em meios urbanos e eventos culturais, dado que a maioria dos espaços aparenta estar localizada no centro da cidade e distante das regiões periféricas; a relação dos artistas locais e dos públicos com os espaços selecionados; e quaisquer outras vertentes que possam surgir ao desenrolar da pesquisa.</p> Emilli Ouriques, Amanda Männchen, Daniel Zanella dos Santos, Fernanda Lanznaster, Gabriela de Oliveira Santos, Pedro Valentim Eccher Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4906 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 A Teoria da Relatividade Presente na Ficção Científica https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3476 <p>O projeto tem como objetivo criar meios para a disponibilização de materiais que auxiliem no ensino da Física Moderna, em sala de aula, em especial da Teoria da Relatividade (TR). No presente, o meio escolhido para publicação dos materiais foi um site, criado usando a plataforma WIX, onde foram expostos trechos de produtos culturais, ou seja, livros, quadrinhos, cordéis, filmes, séries e animes, que possuíam algum elemento da TR. Também apresentamos a contextualização e explicação dos fenômenos físicos, além da demonstração matemática das equações mais importantes. Para a conclusão de tal tarefa foi necessário conhecer e se ambientar com os conceitos da Teoria, começando com o estudo de livros didáticos, artigos, sites e interação com ex-bolsista do projeto. Depois da finalização dos estudos, o material estudado era apresentado ao orientador do projeto em reuniões semanais com o auxílio visual de slides no Powerpoint. Após isso, foi a etapa de procura dos produtos culturais que possuíssem elementos da TR, que, quando encontrados, passavam por uma análise mais minuciosa e consequente arquivamento. Vale ressaltar que, grande parte do acervo já existia, por esse processo já ter ocorrido no projeto anterior da ex-bolsista. Uma vez criada uma biblioteca prévia com estes materiais, foi necessário iniciar o desenvolvimento do site, escolhendo uma plataforma de criação e, então, idealizando como aqueles produtos seriam apresentados e melhor explicados, sem fugir do caráter didático, mas, também, não tornando os textos extremamente formais. A estrutura básica do site é composta pela aba 'Início', onde o site é apresentado e é explicada a sua navegação, além de fornecer prévias de todas as outras páginas principais; pela aba 'Livros', onde os livros são apresentados e são descritos em breves sinopses; pela aba 'tirinhas', em que são expostos os quadrinhos e suas análises; pela aba ‘Filmes’, que segue a mesma lógica das abas contextualizadas anteriormente, ou seja, nela trechos de filmes são disponibilizados e então os fenômenos relativísticos são explicados; ainda temos as abas ‘Séries’ e ‘Animes’ que seguem os mesmos princípios; e por fim a aba ‘Demonstrações’, que apresenta as equações citadas no resto do site de forma detalhada. É importante destacar que, durante o desenvolvimento do site, assim como no período do estudo teórico da TR, foram realizadas reuniões com orientador do projeto e recentes voluntários, com uma frequência semanal para o acompanhamento do progresso do site. Diante do exposto, a iniciação científica realizada no projeto em questão contribuiu para o início de uma formação acadêmica mais madura, como uma futura graduação, pela necessidade da organização de estudos e seminários periódicos, além das atividades discentes rotineiras. Acrescente-se a isso o desenvolvimento da leitura de textos formais, como artigos acadêmicos, os quais um estudante, regularmente, não está habituado.</p> Gabriela Martins dos Santos, João Victor Laurindo, Marcos João Correia, Tiago Rafael de Almeida Alves, Valter João Rieg, Willian Knihs Andrade Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3476 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 A HISTÓRIA DA ACERVA CATARINENSE: uma abordagem sobre a formação da Associação de Cervejeiros Caseiros de Santa Catarina https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4911 <p>A cerveja é uma das bebidas mais consumidas no mundo, fazendo parte da história de diferentes povos e estando associada a elementos culturais, econômicos e sociais. Nas últimas décadas, o movimento da cerveja artesanal ganhou espaço e se desenvolveu como elemento de expansão da cultura cervejeira. Essa cultura, portanto, passou a despertar o interesse de uma série de novos consumidores e conhecedores do tema. Nesse contexto se formam as associações, com destaque para o objeto deste estudo, a Associação de Cervejeiros Artesanais de Santa Catarina (Acerva SC). Assim, o presente estudo tem o objetivo de relatar a história da formação e desenvolvimento desta associação. Para isso, o estudo foi realizado seguindo uma metodologia de abordagem qualitativa, visando a construção de história oral, a partir das falas de atores que fazem parte do contexto histórico da Acerva Catarinense, bem como, de uma Análise Documental, de leitura das Atas de formação da associação. Nessa perspectiva, a história tem início antes mesmo da fundação da Acerva, em 17 de maio de 2008, na cidade de Florianópolis SC. Entre os anos de 2004 e 2005, em uma pequena padaria de bairro, um grupo de amigos se reunia para beber cerveja nas sextas-feiras. Naquela época, dificilmente eram encontradas cervejas diferentes das chamadas pilsen de grandes corporações. Em um destes encontros, uma cerveja de trigo foi ofertada pelo proprietário do estabelecimento, chamando atenção de um dos frequentadores, que já havia conhecido o estilo em uma viagem à Alemanha. A conversa em torno desta cerveja levou a aquisição de novos e diferentes rótulos, levando o local a ser considerado uma referência em cervejas especiais na cidade. Conforme o grupo aumentava, crescia também o interesse nos indivíduos em aprender mais sobre cervejas, não apenas no que se refere a degustação, mas também a produção da bebida. Ao aprender e perceber ser possível a fabricação da própria cerveja, com qualidade, os confrades decidiram ensinar, por meio de um workshop, mais pessoas interessadas no processo cervejeiro. Já no primeiro evento, decidiram fundar a associação, com o objetivo resgatar a história, difundir a cultura e aprimorar a produção de cerveja artesanal, incentivando atividades relacionadas, promovendo encontros, palestras, cursos, concursos e degustações de cervejas artesanais entre os cervejeiros caseiros de Santa Catarina e do Brasil. Desta forma, conclui-se que, desde o início, a Acerva buscou unir os cervejeiros de diferentes partes do estado em uma associação única e forte, o que contribuiu para colocar a Acerva SC em posição de relevância no cenário nacional, sendo exemplo até mesmo para aqueles que iniciaram suas atividades anteriormente. A história da associação se entrelaça com a história de seus associados, em especial daqueles que se dedicam voluntariamente a organizar os eventos, cursos e encontros, mantendo a união dos cervejeiros caseiros e a força do associativismo. A associação promove não apenas a difusão de conhecimentos, mas vínculos de amizade e um olhar diferenciado sobre alguns aspectos da vida, tendo a cerveja como um elemento de conexão social e cultural.</p> EDDY ERVIN ELTERMANN, Klayton Charles Filippi Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4911 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 TUBOS PARA FLAUTAS FEITOS COM POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE (PEAD) RECICLADO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4819 <p>Esta é uma das atividades de pesquisa do projeto integrado Física e Artes em Integração, do Campus Brusque, que visa substituir os canos de PVC utilizados para fazer as flautas por tubos de plástico PEAD (polietileno de alta densidade) reciclado. Os tipos de plástico são reconhecíveis facilmente nas embalagens pelo símbolo triangular (que se refere a produtos recicláveis) com o número dois (podendo variar) por dentro e com a nomenclatura “PP” escrita. Todos esses plásticos são produzidos a partir da polimerização do gás propileno ou propeno. Trata-se de um tipo de plástico que pode ser moldado quando submetido a temperatura elevada, por isso é classificado como um termoplástico. Ele tem propriedades muito semelhantes às do polietileno (PE), mas seu ponto de amolecimento é mais elevado. É importante dar ênfase ao termoplástico, que, a uma dada temperatura, apresenta alta viscosidade podendo ser conformado e moldado. Exemplos de termoplásticos são o polipropileno, o polietileno, o polimetil-metacrilato e o policloreto de vinil, entre outros. Sabendo disso, o nosso objetivo é usar o PEAD para fazer flautas, de modo que não precisemos comprar canos PVC, o que gera mais consumo e lixo e desvia dos propósitos do projeto de promover sustentabilidade e reciclagem. A ideia é criar um molde para os tubos cilíndricos e preenche-lo com esse plástico reciclável. Como o PEAD é um material de fácil acesso, pretendemos criar um método que possa ser reproduzido em casa. Fizemos um primeiro teste de molde, com uma forma reta, para ver quanto tempo leva para derreter e a quantidade ideal para cada “fornada”. Basicamente, testar as condições para analisar e estudar como o plástico se comporta. Usamos 4 garrafas de desinfetantes e umas 20 tampinhas plásticas que deram ao todo 750 gramas de PEAD, colocado em uma forma antiaderente. Deixamos durante 2 horas e 50 minutos no forno, a 180°C, e logo em seguida levamos para nosso molde, que era uma forma igual, vazia, que colocamos em cima da outra, com 2 galões de água, para deixar pressionando. O resultado parcial obtido foi ótimo para analisarmos como vamos prosseguir com o projeto de pesquisa, pois vimos que temos que usar menos plásticos, assim não levará tanto tempo. Também percebemos que o material tem potencial para fazer flautas iguais às de PVC, pois o plástico derretido, depois de esfriar, fica com uma ótima resistência. O próximo passo é a arrecadação de mais plásticos PEAD, tipo embalagens de produtos como: leite, suco e água, em embalagens de xampu, em sacolas plásticas, entre outros. Também será pensado em um molde para o formato cilíndrico que iremos usar, além de outra forma de prensar o plástico assim que sai do forno, já que é algo importante na parte de confecção das flautas. Além disso, o plástico poderá abranger futuramente outros instrumentos, como chocalho de platinela ou o braço da viola de lata, já que é algo moldável e totalmente reciclável.</p> Valter João Rieg, Daniel Victor Fachinelli, Maele De Oliveira Silva, Tayná Valle Nunes, Giovanna Freitas Da Silva, João Victor Schlindwein, Marcos João Correia, Daniel Zanella, Tiago Rafael de Almeida Alves Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4819 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 O ESTUDANTE_IFC BRUSQUE https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4824 <p>Durante o período de pandemia, grande reflexão foi associada ao acesso e uso das mídias pelos estudantes, por conta da necessidade de isolar-se de um cotidiano comum. Visto a oportunidade de envolver os estudantes em ações que desenvolvam a escrita e leitura através do uso dos gêneros do discurso, o projeto Informativo O_Estudante abrange como objetivo envolver e apropriar seus leitores de um conteúdo informativo e interativo, desenvolvendo diversas áreas do conhecimento e proporcionando uma participação crítica e efetiva dos estudantes dentro deste processo. O informativo conta com a participação dos alunos do campus e é divulgado pelas mídias digitais e também de forma impresso, com intuito de resgatar o hábito da leitura. Além disso, o projeto é responsável por atualizar um mural físico do campus, semanalmente, para com isso manter os alunos informados, de maneira jovial, lúdica e dinâmica. Entende-se que gêneros discursivos integram a prática social e possuem valor ou alguma função social, que tem como objetivo interação com seus interlocutores e com a esfera social na qual irá circular. A partir dessa compreensão, o informativo oportuniza o acesso às informações e interação de todos com igualdade, de forma lúdica e dinâmica, a partir de um jornal interdisciplinar digital e impresso, desenvolvido pelos alunos, propiciando um ambiente de construção coletiva entre estudantes e instituição, desenvolvendo, habilidades linguísticas orais e escritas a partir da perspectiva dos gêneros discursivos como norteadores da interação verbal nas práticas sociais. Este tem como objetivo envolver os alunos na produção e divulgação de notícias e assuntos relacionados aos estudantes e ao campus. O mesmo proporciona desenvolvimento da autonomia e participação ativa dos mesmos que conseguem acompanhar assim informações de maneira mais leve e de fácil compressão. Ele é redigido e editado com a participação dos próprios estudantes do ensino médio integrado do IFC Campus Brusque. O projeto propicia aos estudantes do campus o acesso à informações, de maneira lúdica e jovial, com intuito de inserir os estudantes nos processos de ensino e aprendizagem, aprimorando habilidades de escrita, resgatando o hábito da leitura. Pretende-se desenvolver a cooperação, colaboração, participação e a inserção social dos estudantes, de forma crítica e ativa, dentro da comunidade do IFC e posteriormente fora do mesmo. O informativo contará com espaço para destacar, eventos e êxito de alunos e professores que desempenham algum papel ou participam de eventos importantes municipais, estaduais ou ainda outros, para que a comunidade acadêmica tome conhecimento do que tem acontecido com os alunos e egressos da instituição. Pessoas que não fazem parte da comunidade interna poderão se inteirar das notícias, dos projetos, já que o jornal é disponibilizado também de forma on-line, através de uma página no instagram. Compreende-se que o informativo possibilita acesso às informações, além de proporcionar um ambiente de participação coletiva, já que o informativo é construído pelos próprios alunos com o auxílio de colaboradores.</p> Maria Eduarda Ferronatto Gardini, Alana Gerlach Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4824 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 Auxílio à Coordenação de Pesquisa IFC Brusque https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4894 <p>Ao longo dos últimos a Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação do Instituto Federal Catarinense tem publicado editais com o objetivo oportunizar bolsas de auxílio às Coordenações de Pesquisa dos campi. De 2021 para 2022 foi validada a proposta de Brusque para auxílio à Coordenação de Pesquisa do campus Brusque, sendo indicada uma discente do Ensino Médio Integrado ao Curso Técnico em Química para esta tarefa. O projeto tem como o objetivo geral ajudar o atual Coordenador de Pesquisa em qualquer ação, em nível administrativo, que o apoio da bolsista fosse necessário e relevante. Entre os objetivos específicos a bolsista deve auxiliar e fornecer dados e informações para a Coordenação de Pesquisa do campus do IFC, familiarizar-se com as atividades dos coordenadores de projetos de pesquisa vigentes, possibilitar a aluna o acesso e a aproximação com a cultura científica, bem como com o engajamento com os arranjos produtivos, sociais e culturais locais. E por consequência a bolsista tem a oportunidade de adquirir aprendizados e experiências em diversas áreas, que com toda certeza contribuirá para o seu futuro. Alguns dos trabalhos realizados até então são: a criação de slides e vídeos para a apresentação dos projetos aos novos alunos do campus; auxílio quanto ao processo de pagamento dos bolsistas; edição de documentos; obtenção de orçamentos; e a elaboração de folder para divulgação da programação da 5ª Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultura e Humanística e ... (V FACCHU) o qual é um evento organizado anualmente pelo campus para toda a comunidade acadêmica, interna e externa. Nela são apresentados projetos de ensino, pesquisa, extensão, integrados, monitorias, ações sociais, oficinas e palestras além de apresentações culturais, que em 2022, voltarão a serem realizadas presencialmente. O trabalho de auxiliar também é de extrema importância ao coordenador pois o ajuda a realizar tarefas dentro do prazo desejado e contribui para o desacumulo de atividades. É importante lembrar que ser bolsista da coordenação não atrapalha em nem um aspecto escolar, não interferindo em suas notas e nem com a sua participação voluntária em outros projetos, pelo contrário, os trabalhos feitos ajudam com sua vida acadêmica proporcionando mais experiências e estes trabalhos também contribuem para implementar estratégias de organização, importantes para a gestão, além de prover estímulos quanto ao emprego da criatividade na solução de problemas e desafios do dia a dia.</p> Maiuni Dias Groh, Tiago Rafael de Almeida Alves Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4894 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 RÁDIO IFC WEB: NAVEGANDO NO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4899 <p>O Instituto Federal Catarinense, no âmbito em que está inserido, tem como objetivos a integração e a solução dos problemas da comunidade. Nesse quesito, o projeto de extensão Rádio IFC Web, do campus Brusque, serve de alicerce na busca de comunicação, informação e aprendizagem dos espectadores, tanto na esfera estudantil quanto na comunidade em que está inserido. Além de promover informações sobre a instituição, eventos e projetos realizados no campus, a radioifcweb também conta com programas originais atuantes em diversas áreas do conhecimento como educação, social, esporte, economia, política, artes e cultura. Juntamente com esses programas, o projeto promove o desenvolvimento de atividades pedagógicas à distância, com pesquisas e divulgação das demandas da comunidade acadêmica e da comunidade local, regional e nacional e, ainda possibilita aos pais, o acompanhamento das atividades desenvolvidas pela escola. Entendendo que a web é uma ferramenta de comunicação cada vez mais presente na vida de crianças, jovens e adultos, a radioifcweb foi um importante instrumento e uma estratégia educacional de aproximação durante a pandemia e o isolamento social ao criar o programa Quarentena Existencial, que visa o compartilhamento das experiências de realidade vividas durante este período e que ultrapassou recordes de audiência. Considerando ainda os objetivos de integração, a Rádio, em parceria com o Laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento de Hardware (LABPDHS) desenvolveu o aplicativo oficial da radioifcweb, aproximando ainda mais os conteúdos de sua programação, dos estudantes e comunidade. Graças a todos os aspectos apresentados, o perfil do Instagram do projeto conseguiu alcançar mais de mil seguidores e os programas atingem mais de três mil ouvintes por semana sendo de grande relevância para a comunidade brusquense, principalmente no período da pandemia, por ser uma importante ferramenta de socialização e aproximação da comunidade interna com a comunidade externa, privilegiando o protagonismo estudantil com atividades artísticas, sociais, culturais e educacionais desenvolvidas no Instituto Federal Catarinense e no Campus-Brusque.</p> Sofia Schlindwein Matiola, Kenny Neckel Betim, Pedro Henrique Kohler, Angela Menezes Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4899 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 SUPER-ERVAS: CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS COMO MEIO DE CONSCIENTIZAÇÃO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4904 <p>Este projeto tem como objetivo principal promover a conscientização sobre o uso excessivo de remédios alopáticos e a importância das ervas medicinais como alternativa a diferentes tratamentos. Visa promover a educação popular sobre o consumo generalizado de medicamentos alopáticos, com foco em soluções naturais como um simples chá que sejam menos prejudiciais, mais eficazes e saudáveis tanto para as pessoas quanto para o meio ambiente. Nosso foco principal são as crianças porque estamos convencidos de que elas podem mudar nosso futuro ao aperceber-se dos valores e princípios que permeiam o respeito à natureza e ao corpo humano. Para atingir o público infantil, foram realizadas oficinas de contação de história utilizando-se o E-book Super Ervas, produzido e publicado pelo programa no ano de 2021, na qual as ervas medicinais são super-heróis que salvam o planeta de vilões aterrorizantes com a ajuda do poder de seu valor medicinal. Dentre os super-heróis destacam-se: a Mulher Camomila, a Super Menta, o Incrível Boldo e a Capitã Malva. As oficinas aconteceram nas escolas municipais e Centro de Referência de Assistência Social de Brusque (CRAS). Estudos comprovam que a utilização das histórias em quadrinhos melhora o desempenho no processo de ensino e aprendizagem de crianças, facilitando a conscientização sobre a importância das ervas medicinais e educação ambiental com foco nos danos causados pelo desmatamento, poluição e excesso de agrotóxicos. Até o presente momento, foram realizadas duas oficinas, uma no CRAS do bairro da Limeira e outra na Escola de Ensino Fundamental Angelo Dognini, atendendo trinta e cinco crianças entre 5 e 14 anos. As crianças participaram ativamente das contações e finalizada a leitura foram feitos desenhos em cartazes e a pintura das HQ. Conclui-se que o conhecimento pode ser apreciado de uma forma lúdica e as crianças serão as ótimas multiplicadoras deste conhecimento. Cabe salientar que novas oficinas estão agendadas para os próximos meses em escolas mais periféricas buscando oportunizar a participação de crianças mais carentes.</p> Rian Bormanieri, Taynara Licinio Misch, Giovana Schmitt, Grasiela Andresa De Oliveira, Camila Vitória Taboni, Ana Flávia Stedile, Maria Clara Vailati, Maria Eduarda Cancelier Tomasi, Flavia Regina Wilcke Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4904 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 SAÚDE MENTAL: Oficinas Temáticas https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3473 <p>O Projeto Saúde Mental - Oficinas Temáticas é um projeto de extensão do IFC Câmpus Brusque, cujo público alvo é os seus estudantes do ensino médio integrado e comunidade externa. Dentre os objetivos está promover momentos de integração e acolhimento entre estes alunos, desenvolvendo um ambiente propício à melhoria da saúde mental dos participantes. Deste modo, os encontros do projeto visam fazer com que estes jovens se sintam ouvidos e aceitos, incentivando a troca de experiências por meio da comunicação. Para alcançar estes objetivos, são realizadas reuniões a cada quinze dias, com dezessete participantes, com idade média de dezesseis anos, sendo eles onze estudantes do Ensino Médio integrado em Química, cinco alunos do Ensino Médio Integrado em Informática e um estudante da Licenciatura em Química, todos cursos ofertados pelo IFC Brusque, além de que nove deles se identificam como garotos, e oito como garotas. Nestes encontros são discutidos assuntos relacionados ao cotidiano e à saúde mental. Visando proporcionar momentos de forma mais ética e responsável também contamos com o apoio do psicólogo Cleiton Zirke (CRP 12/18226). Além dos encontros presenciais, também foi criada uma página no Instagram, onde são divulgadas as atividades do projeto para comunidade externa às Oficinas, enriquecendo as temáticas discutidas presencialmente. O Projeto Oficinas Temáticas traz em suas reuniões e suas redes sociais momentos de descontração em meio a rotina de aulas do Instituto Federal, enquanto também dialoga sobre diferentes assuntos relacionados a saúde mental que é essencial para uma vida feliz e saudável, apesar de que muitas vezes é esquecida e ignorada por muitas pessoas. Durante o ano letivo já discutimos temas como auto expressão, autoconhecimento, futuro profissional, comunicação, grupos e emoções e sentimentos, pretendemos ainda trabalhar outros assuntos, como ansiedade, auto sabotagem, transtornos alimentares e relações afetivas. Este trabalho se mostrou de extrema importância ao longo do ano de 2022, trazendo apoio aos participantes em suas dificuldades e auxiliando todos a superarem suas desavenças.</p> Helen Merisio, Maria Clara da Silva Soares, Tiago Rafael de Almeida Alves, Daniel Zanella Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3473 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 HABITA IFC - CLUBE DE ARTE: UM PROJETO DE EXTENSÃO SOBRE A POTÊNCIA TRANSFORMADORA DOS COLETIVOS ARTÍSTICOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4909 <p>O Habita IFC: clube de arte é um projeto de ensino, pesquisa e extensão criado em 2019, que objetiva promover propostas artísticas no Instituto Federal Catarinense - Câmpus Brusque, bem como fomentar a interação entre diversas linguagens artísticas no espaço escolar. A vertente de extensão do projeto foca em produzir e capacitar movimentos de habitação a partir de coletivos artísticos compostos por discentes e servidores do Câmpus Brusque. Assim, a partir do trabalho de bolsistas e voluntários, o projeto desenvolveu uma série de coletivos artísticos ao longo da sua história. Atualmente, existem quatro coletivos ativos coordenados por discentes que são orientados pelos coordenadores do projeto: 1) o grupo de teatro, coordenado por Uriel e Fernanda desde 2021; 2) o clube do livro, coordenado por Lorena desde 2022; 3) a banda do IFC, coordenada por Ash e Milene; 4) o clube de cinema CineCuca, coordenado pelo professor Eddy. Além disso, dois novos coletivos estão sendo formados, o grupo de dança coordenado por Sofia e oficinas de releituras visuais coordenado por Bruna. Tendo a arte como ponto central, seguindo as especificidades de cada linguagem artística, esses coletivos promovem: conhecimentos, aprendizados, formas de se expressar, compartilhamento de ideias e entretenimento. Além de trabalhos específicos dentro dos coletivos, já foram realizadas algumas apresentações neste ano. O teatro se apresentou na festa junina do câmpus. A banda tocou nos palcos abertos e em apresentações externas em conjunto com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Futuramente, mais apresentações estão sendo planejadas pelos coletivos artísticos. A ideia dessas apresentações é produzir pela arte outros e novos sentidos de convivência no espaço escolar e estender os benefícios disso para espaços externos ao IFC, próprios da comunidade local. Essa proposta liga a evolução escolar e civil dos discentes com propostas socialmente significativas. O Habita IFC: Clube de Arte é isso, uma abertura de portas para que pessoas possam transformar os seus cotidianos a partir daquilo que amam na arte, nos espaços e nos outros.</p> Fernanda Lanznaster, Amanda Männchen, Daniel Zanella dos Santos, Gabriela de Oliveira Santos, Pedro Valentim Eccher, Emilli Ouriques Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4909 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 ANÁLISE ANTIMICROBIANA DE EXTRATOS OBTIDOS A PARTIR DE Cuphea carthagenensis https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4814 <p>A Cuphea carthagenensis também conhecida como “sete-sangrias” é típica da região do vale do Itajaí do estado de Santa Catarina, estudos revelam que ela apresenta aplicações farmacológicas tais como: no tratamento de hipertensão, são diuréticas, laxativas, antipiréticas e antiinflamatórias além de apresentarem atividades antimicrobianas contra bactérias. As plantas estão cada vez mais sendo estudadas para a busca de novas fontes de moléculas com atividade antimicrobiana, principalmente com a crescente resistência das bactérias patogênicas frente aos fármacos administrados e por esse motivo, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) incentiva a busca de novas abordagens terapêuticas. Como existe uma alta variedade de plantas, ainda é necessário estudos para avaliar se apresentam ação contra bactérias, analisando por meio das pesquisas a presença ou não de substâncias que apresentam atividades antimicrobianas. O presente trabalho tem como objetivo realizar análises antimicrobianas com extratos orgânicos e aquosos obtidos da planta Cuphea carthagenensis. Os extratos foram obtidos por meio de extração com soxhlet em água, hexano e etanol, com aproximadamente 12g da planta, após as amostras foram rotoevaporadas e levadas ao dessecador por aproximadamente uma semana para total secagem. A amostra sólida obtida será diluída em DMSO 1% (m/v) para realização dos testes antimicrobiano baseado no método de difusão em ágar frente às bactérias Salmonella typhimurium [ATCC 14028], Staphylococcus aureus [ATCC 6538], Helicobacter pylori [ATCC 26695], Pseudomonas aeruginosa [ATCC 27853] e a Escherichia coli [ATCC 25922]. Além dos experimentos também foram realizadas postagens para a página do Instagram (pesquisa_biomoleculas) e todo o estudo foi realizado com base em artigos científicos, teses, dissertações e dados da OMS. Espera-se que com os resultados das análises, que a pesquisa realizada contribua para o enriquecimento de informações científicas para a região do vale do Itajaí, além de fortalecer a consolidação da pesquisa científica no IFC, contribuirá para o aprendizado dos alunos envolvidos, além de contribuir com pesquisas básicas incentivadas pela OMS.</p> Agnes Thiane Pereira Machado, Larissa T Rocha, Arthur Nilo Martins, Guilherme Arthur Pech Rech, Alexandre José Mafra, André Felipe Knop, Anita Emanuelly Camargo Peixoto, Vitoria Maria Tambosi, Leda Ardiles Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4814 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 PROPOSTA DE ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DOS LABORATÓRIOS DE QUÍMICA DO IFC https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4822 <p>A problemática dos resíduos sólidos representa uma das grandes questões ambientais da atualidade, por esta causa soluções soluções voltadas a mesma devem ser priorizadas para o gerenciamento adequado desse tipo de material. Diante disso, o plano de gerenciamento de resíduos representa uma alternativa para direcionar e organizar as ações de acondicionamento, transporte e destinação final dos diferentes tipos de resíduos gerados pelos setores da sociedade. Conforme o Art. 20 da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12305/2010) "são obrigados a elaborarem o Plano de gerenciamento de resíduos sólidos os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem resíduos perigosos" (BRASIL, 2010, art 20). Diante disso, o objetivo desse projeto é elaborar o plano de gerenciamento de resíduos (PGR) dos laboratórios de Química do IFC, campus Brusque, a fim de estabelecer procedimentos adequados para o manejo dos resíduos produzidos em decorrência das atividades desenvolvidas em laboratórios.<br>A metodologia adotada para obter o diagnóstico da atual condição dos laboratórios presentes no campus foi iniciada com a pesquisa bibliográfica e em seguida por meio de entrevistas feitas com os responsáveis pelo laboratório que cooperaram para o levantamento de dados para caracterização das atividades no laboratório e dos resíduos gerados, e por fim será elaborado o PGR dos laboratórios de Química. Para o mesmo fim será necessário identificar e classificar os resíduos conforme a norma técnica ambiental para essa finalidade; propor um planejamento para as práticas de gerenciamento desses resíduos: armazenamento, transporte e destinação final. Esse projeto de pesquisa iniciou em maio/2022 e apresenta como resultados parciais como o diagnóstico dos laboratórios com relação aos padrões de sustentabilidade ambiental: caracterização das atividades desenvolvidas notando suas práticas e os resíduos gerados com elas, o consumo de energia, o uso da água, matéria-prima, emissão de gases atmosféricos e geração de resíduos sólidos e efluentes nos laboratórios de química.</p> Aimee Ester Dias, Izaclaudia Santana das Neves, Leda Ardiles, André Felipe Knop, André Felipe Knop Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4822 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 USO DA PLATAFORMA ROBLOX STUDIO NO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4892 <p>O Roblox Studio é uma ferramenta de construção para o jogo Roblox. O jogo, na verdade, é uma plataforma que une jogadores e criadores de jogos (ou experiências como são denominados os projetos dos criadores). A plataforma disponibiliza, ferramentas de criação de jogos, onde os usuários criam suas próprias experiências e as disponibilizam para os demais jogadores. O Roblox possui mais de 500.000 criadores de experiências e 700 milhões de usuários ativos mensalmente. Os recursos do Roblox Studio são acessíveis a uma variedade de níveis de habilidades, desde um desenvolvedor iniciante até um programador experiente. As ferramentas vão desde a simples manipulação de objetos ou cenários até a inserção de scripts complexos e funções de jogos. O Studio também permite o teste de jogos em um ambiente isolado antes de carregá-los no site da Roblox. Dentre as vantagens dessa ferramenta, destaca-se sua compatibilidade com o Blender, um software gratuito de modelagem digital. Com ele, é possível desenhar e exportar objetos para serem utilizados no Studio. A qualidade do jogo é definida pelo nível de habilidade do criador. Criadores mais experientes não são limitados pela engine, pois ela permite a criação de experiências desde as mais simples até as mais complexas. Além dos recursos nativos da ferramenta, ainda é possível expandir suas funcionalidades e possibilidades por meio de extensões desenvolvidas pela própria comunidade de criadores, no formato de plugins, modelos, áudios e texturas. A ferramenta permite que o criador importe seus próprios arquivos caso deseje adicionar algum elemento em seu jogo. O Studio também possui um sistema de funções predefinidas que podem ser adicionadas aos objetos do jogo, sem a necessidade de se desenvolver um script do início. Alguns exemplos dessas funções se aplicam a iluminação, efeitos especiais, comportamento dos objetos, entre outros. Além das vantagens citadas, outro ponto positivo é a possibilidade de se utilizar o mecanismo Drag and Drop (arrastar e soltar), apenas usando modelos e scripts prontos criados pela própria comunidade. Pode-se criar jogos compatíveis com várias plataformas diferentes, como as plataformas Xbox, PC e Mobile. Os jogos resultantes das criações podem ser lançados gratuitamente dentro da plataforma do Roblox. Como principais desvantagens, pode-se apontar a curva de aprendizado para criadores inexperientes, que pode tomar um pouco mais de tempo. Além disso, os jogos em si ficam disponíveis dentro da plataforma do Roblox, o que atrela a disponibilidade do jogo à qualidade da conexão do jogador com os servidores. Como o Roblox Studio usa uma plataforma que consegue combinar a parte da programação junto com a parte de modelagem, então exige-se bastante conhecimento matemático e geométrico, além de conceitos da física para se fazer os cálculos tridimensionais (eixos X, Y e Z) , movimentos, somas de objetos, rotações e etc. Além de conhecimentos técnicos, a plataforma também estimula a criatividade, o raciocínio lógico, e motiva os estudantes a unirem conhecimento e diversão. Por fim, a plataforma é colaborativa, aprimorada pela comunidade, inclusiva e diversificada, ao tornar os projetos dos criadores acessíveis para qualquer usuário em todo o mundo.</p> Leonardo Felipe De Ávila Calbusch, Denis Contini, Leandro Kohler FAgundes Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4892 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 A HABITAÇÃO DA ARTE NOS MEIOS SOCIAIS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4897 <p>O Habita IFC é um projeto integrado do IFC Câmpus Brusque que busca habitar os espaços através da arte. Ele atua nas dimensões do Ensino, Pesquisa e Extensão e neste resumo temos como foco as ações de extensão. No ano de 2022, o projeto contou com diversas ações que procuraram aumentar os laços com a comunidade, com o objetivo de levar a arte e seus desdobramentos às pessoas que comumente não se encontram no ambiente artístico. Desta maneira, buscamos criar espaços habitados com a arte, de modo a promover o desenvolvimento da criatividade dos participantes. Iniciamos as atividades letivas com o Palco Aberto, ação que busca criar espaços onde os estudantes possam expressar sua arte para seus colegas. Ele acontece no espaço do câmpus, num palco montado na frente do auditório. Tivemos, ao todo, seis Palcos Abertos até o momento, com outros oito programados para o semestre que segue. No mês de maio, foi promovida pelo Clube de Teatro uma oficina sobre O Teatro do Oprimido, ministrada pela atriz e professora Bia Zancanaro, com uma roda de conversa sobre o tema desigualdade e também mostrando como o teatro pode estar presente no dia a dia das mais diversas comunidades. Em maio tivemos uma colaboração entre a APAE-Brusque e Banda do IFC, que realizou uma apresentação no espaço da APAE. Tivemos também apresentação dos músicos locais Andrei Freitas e Carmino que, junto ao Habita IFC, organizaram um show no auditório do campus com obras autorais. No mês de agosto, novamente teremos a parceria com a APAE para apresentar um teatro musical e um show junto aos usuários desta associação, com participação da Banda do IFC. No mês de novembro, haverá a realização da terceira edição do nosso evento anual, o Conexão Arte. Este evento contará com oficinas, exibições e apresentações artísticas e que ocorrerá concomitantemente à FACCHU (mostra e apresentação dos projetos do IFC câmpus <br>Brusque). Visto que durante o período pandêmico a arte foi o que trouxe humanidade e conexão, é possível perceber que em tempos pós-pandêmicos esta conexão é mantida, e faz com que as pessoas possam potencializar as atividades artísticas já em curso que são parte dos esforços coletivos para ressignificar e atualizar o espaço da escola, mas também possibilitando a criação de novos espaços habitados, criativos e significativos para a comunidade interna e externa às instituições de ensino.</p> Gabriela de Oliveira Santos, Emilli Ouriques, Amanda Männchen, Fernanda Lanznaster, Daniel Zanella dos Santos, Pedro Valentim Eccher Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4897 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 DA BIOLOGIA PARA A MÚSICA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4902 <p>O projeto Física e Artes em Integração colocou em ação um novo trabalho de pesquisa, no ano de 2022, que visa alcançar resultados inovadores e bioecológicos, com o desenvolvimento de instrumentos musicais a partir da utilização da kombucha. Esta é uma bebida que teve origem na China há cerca de dois mil anos e quando é consumida, pode promover diversos benefícios à saúde, dentre eles é possível citar: fortalecimento do sistema imunológico, melhora das funções gastrointestinais e ação desintoxicante. Tais proveitos podem ser encontrados no líquido (kombucha) por consequência da presença de probióticos, microrganismos vivos. O chá precisa passar por um processo de fermentação (no qual ocorre a transformação do açúcar em álcool e, posteriormente, de álcool em ácido acético) dada pela cultura simbiótica de bactérias e leveduras (SCOBY) que são formadas dentro da bebida, assim compondo e assumindo papel importante na mesma. Na pesquisa, o objetivo principal é a construção de tambores utilizando o SCOBY (placa gelatinosa, com formato semelhante a uma panqueca, composta por proteínas e celulose) como matéria-prima para a produção da “pele” dos instrumentos. A placa gelatinosa, após seca, tende a adquirir um aspecto semelhante ao de couro, sendo assim, a produção dos tambores com tal material pode ser bem sucedida. Vários testes foram feitos, com a ajuda da professora de Biologia do câmpus, Tatiane Sueli Coutinho, para compreender o material biológico trabalhado e adquirir scoby’s. Dessa forma, buscamos uma espessura que se imagina adequada para um couro de tambor. Nem todos os testes foram bem sucedidos, contudo, conseguimos encontrar um padrão para a produção da placa gelatinosa, havendo diversas delas prontas para o início das secagens. Essa etapa é de extrema importância, pois será possível deduzir se há necessidade de mudanças na produção da kombucha e progredir para a produção dos instrumentos. A secagem ainda não foi propriamente iniciada, no entanto, testes avulsos para melhor compreensão do material trabalhado levaram a uma conclusão de que quando a placa está limpa e exposta ao sol, tende a assumir um aspecto rígido que é, salve engano, adequado para suprir a função de “pele” de tambor. No entanto, tal afirmação só poderá ser comprovada durante o estágio da produção dos instrumentos musicais, pois será nesse momento que os testes de funcionamento dos instrumentos serão feitos e, assim, pode haver a necessidade de mudanças nos processos das fases anteriores, as quais ainda estão em andamento.</p> Maele De Oliveira Silva, Gabrieli Aparecida Cunha, Valter João Rieg, Daniel Victor Fachinelli, Emilli Ouriques, Daniel Zanella dos Santos, Marcos João Correa, Tiago Rafael de Almeida Alves Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4902 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 REUSETECH 2022: CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL SOBRE REUTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3237 <p>O projeto de extensão ReuseTech atua no IFC campus Brusque desde 2016 sempre com o olhar de conscientizar a sociedade em que está inserido sobre a reutilização de equipamentos eletrônicos de informática através de mídias sociais e com o descarte correto desses equipamentos. Através da comunidade interna do campus e da sociedade local, o projeto recebe doações de equipamentos eletrônicos de informática que não estão mais em uso, de preferência, em funcionamento, para suas ações de conscientização. A partir do que é recebido, faz-se a triagem desses equipamentos usando os conhecimentos técnicos aprendidos nas disciplinas de informática dos cursos Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio e Superior de Tecnologia em Redes de Computadores do campus. O que é possível recuperar, é usado em palestras, minicursos, aulas e outras atividades de formação no campus. Quando se tem um certo número de equipamentos recebidos e recuperados, faz-se a doação para estudantes, projetos do campus e instituições externas que necessitam de apoio. Aquilo que não se recupera, é recolhido e descartado de forma correta em ecopontos da cidade ou por meio de empresas com responsabilidade social. Neste ano de 2022, o projeto já contribuiu com a escola Código Kid de Brusque, doando, para fins didáticos, peças de hardware que não puderam ser recuperadas. Outra contribuição foi a doação de uma fonte de notebook para uma estudante do Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio para ligar seu computador para seus estudos. Neste ano, o projeto fez apresentações sobre seus objetos para 60 estudantes da escola Carlos Maffezzolli (de Guabiruba), 40 estudantes da escola Germano Brandt (de Guabiruba) e 100 estudantes da escola Gregório Locks. Outras ações planejadas ainda para este ano serão: retomada das publicações em mídias sociais, apresentação em eventos, recolhimento de doações para o projeto e a realização de novas doações a instituições ou estudantes necessitados. Espera-se conscientizar a sociedade local sobre o reuso de equipamentos de informática e contribuir para o ambiente de forma sustentável.</p> Abraão Teixeira da Silva, Jeferson Dell Agnolo, Jéssica Vitória de Souza Ribeiro, Lohan Amâncio Ribas, Raí Luz Oliveira, Taynan Vila Nova, Josiney de Souza, Nicolas Gabriel Rosa, Leticia Cristina Nakasawa Kobus, Miguel Amaro da Silva, Eduardo Kohler, Camila Vitoria Taboni, Davi Lima, José Enrico Boni Belli Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3237 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 Oficina de sabonetes artesanais com propriedades medicinais aplicadas CRAS bairro Limeira https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4907 <p>O Brasil é um dos países com maior biodiversidade no mundo, sendo assim muitas dessas plantas encontradas na natureza podem também ser usadas no meio terapêutico, de forma tópica, como sabonetes, tônicos e entre outros, ou por meio da ingestão de infusão das ervas medicinais. Sendo assim, as oficinas de produção de sabonetes artesanais com propriedades medicinais realizadas no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Brusque visam resgatar a cultura de uso das ervas medicinais como um estilo de vida mais ecológico e sustentável, além de proporcionar a uma alternativa de fonte de renda extra com a comercialização do produto. As oficinas foram realizadas no CRAS, sendo inicialmente, realizada a apresentação do programa Ervaterapia e os benefícios das ervas medicinais, seguido da entrega de apostilas com o modo de preparo e a produção dos sabonetes utilizando os seguintes ingredientes: 100 mL de infusão, 100 gotas de óleos essenciais, 500 g glicerina vegetal, 100 mL de lauril e corantes naturais. Os sabonetes foram produzidos utilizando combinações de óleos essenciais/infusão de acordo com o viés terapêutico, resultando em: lavanda e erva doce - utilizada no combate da ansiedade, insônia, depressão, além de ter propriedades analgésicas e calmantes; patchouli e tea tree - possuem propriedades antifúngicas, antissépticas, bactericida e imunoestimulantes, auxiliando no tratamento de acne; alecrim e eucalipto - antioxidante, anti micótica, além de aliviar os sintomas de problemas respiratórios; limão siciliano e tangerina - possuem propriedades estimulantes, antisséptico e anti infeccioso. Foram realizadas quatro oficinas, duas com idosos e duas com mulheres, tendo aproximadamente 25 participantes em cada. Após o término das oficinas foram realizados café de confraternização, com distribuição dos sabonetes produzidos e uma discussão sobre a comercialização destes produtos artesanais. Pode-se concluir que o projeto apresentou grande êxito pois as oficinas de sabonetes naturais com propriedades medicinais, proporcionou aos participantes uma nova perspectiva, que traga além do conhecimento sobre o uso de produtos naturais e terapêuticos no cotidiano, possibilidade de renda extra, convívio social, estímulo à autonomia e bem-estar, com consequente melhoria na qualidade de vida das famílias como um todo. Vale salientar que, nos próximos meses, as oficinas continuarão acontecendo no IFC e pretende-se expandir nossa relação com o público externo realizando oficinas de velas artesanais.</p> Ivan Lucas Vargas, Maria Eduarda Cancelier Tomasi, Danielli Moreira dos Santos, Maria Clara Vailati, Flavia Regina Wilcke, Thiago Borinelli Pezzini, Taynara Licinio Misch, Flavia Alessandra Konzen, Tatiane Sueli Coutinho Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4907 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 USO DA PLATAFORMA CONSTRUCT 3 NO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4808 <p>O Construct 3 é um editor/motor de jogos 2D, que utiliza linguagens como HTML5, JavaScript e C++. É uma plataforma idealizada para a criação rápida de jogos, e um editor de fácil acesso tanto para não-programadores como para programadores mais experientes. Um dos pontos positivos na utilização do Construct 3, é a fácil utilização. Iniciantes no desenvolvimento de jogos não precisam possuir conhecimentos aprofundados em programação, pois têm à sua disposição o estilo drag-and-drop (arrastar e soltar). Além disso, não é necessário instalar programas em seu computador, pois ele está disponível de forma online e pode ser acessado através do navegador. O Construct 3 possui recursos simples, de fácil entendimento, e uma interface sugestiva para o desenvolvimento dos jogos, recursos que permitem a sua operação de forma livre e criativa. Outra vantagem é a possibilidade de se modelar e criar elementos gráficos (sprites) e modelos dentro da própria plataforma. Dentre as principais desvantagens da plataforma, é possível apontar a contradição frente a sua principal característica de não necessitar de código: por ser uma plataforma que não utiliza uma programação por código, o Construct 3 possui funcionalidades limitadas. Alguns recursos não são flexíveis, o que faz com que o desenvolvedor não tenha total liberdade para modelar o comportamento dos elementos de seu jogo. Alguns recursos são pré-definidos, e o usuário pode interferir pouco em seu funcionamento. O Construct 3 possui uma versão gratuita e outra paga. Mais uma vez, em contradição a possibilitar que novos desenvolvedores se aventurem no desenvolvimento de jogos de forma gratuita, esta versão possui algumas limitações extras frente a sua contraparte paga. Entre as restrições, é possível mencionar: a quantidade de camadas gráficas que podem ser utilizadas, tipos de efeitos especiais, cenas de carregamento customizadas, monetização e publicação para múltiplas plataformas. <br>A adoção do Construct 3 no projeto de ensino Fábrica de Games estimula o estudante a exercitar conceitos de programação, trabalhar em equipe por meio da colaboração, desenvolver e praticar habilidades artísticas e criativas, além de integrar seus conhecimentos com os conteúdos do currículo escolar. A plataforma apresenta-se, portanto, como uma ferramenta atraente e favorável principalmente a estudantes iniciantes que ainda se encontram no começo de sua trilha formativa no Curso Técnico em Informática.</p> Bruno Ricardo Piaz, Leonardo Felipe De Ávila Calbusch, Denis Contini Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4808 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 O DESENVOLVIMENTO DA ESPONTANEIDADE NOS ESTUDANTES DO CLUBE DE TEATRO DO IFC - C MPUS BRUSQUE https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4820 <p>A presente pesquisa surgiu da fomentação do interesse pela análise dos jogos teatrais enquanto ferramenta educacional e artística e sua contribuição para o desenvolvimento da espontaneidade dos seus participantes. Considera-se espontaneidade a capacidade de adaptar-se de forma saudável e confortável para si a uma situação nova ou já existente. Esse fenômeno nos capacita a encontrar rapidamente meios de encarar situações novas ou antigas e transmutar essas ideias em ações de enfrentamento. No ambiente do teatro, a espontaneidade pode incentivar a revolução criadora, que recupera a criatividade através das quebras de conservas culturais e dos abrandamentos dos escudos sociais. Este é um processo que se dá por meio da ideia de ser-em-relação, que, ao estar realmente presente no aqui e agora das relações vividas, poderá perceber influências e mudanças positivas no desempenho de seus papéis sociais. Em outras palavras, quanto maior o grau de espontaneidade, maiores são as habilidades sociais e o bem-estar; e menores são as ansiedades e as compulsões. Tem-se como objetivo geral compreender o desenvolvimento da espontaneidade nos participantes do grupo de teatro. Para isso, o método adotado nesta pesquisa foi a pesquisa-ação, através da participação direta do pesquisador como proponente e mediador do grupo de teatro em que a pesquisa está sendo produzida. A análise será realizada de dois modos: primeiro, responder, no início da pesquisa, que se iniciou dia primeiro de julho de 2022, o Spontaneity Assessment Inventory Revised (SAI-R), um questionário que tem por objetivo medir a espontaneidade auto percebida dos sujeitos. O instrumento conta com 18 itens, cotados numa escala tipo Likert de 5 pontos, ordenada de 1= Muito Fraca a 5= Muito Forte. Este mesmo inventário deverá ser respondido ao final da pesquisa, em dezembro de 2022, para fins comparativos. Ao final de cada encontro, o pesquisador elabora um diário de campo, com as anotações sobre o desenvolvimento da atividade e as observações sobre os participantes. Para finalizar, busca-se analisar a possível utilização dos jogos teatrais dentro de outros contextos sociais e institucionais para o mesmo fim, multiplicando os resultados caso sejam positivos.</p> Daniel Zanella, Uriel M Nunes Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4820 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 ARTE E MEIO AMBIENTE: A PRESENÇA DE OFICINAS DE ARTE NA SEMANA DO MEIO AMBIENTE DO IFSC CÂMPUS GASPAR https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4825 <p>O projeto de extensão IFSC e Arte Urbana: representações artísticas da cidade promove diversas ações artísticas e culturais voltadas à comunidade interna e externa. Dentre essas ações, destacam-se as oficinas realizadas durante a semana do meio ambiente do IFSC Câmpus Gaspar, propostas por bolsistas do projeto sob supervisão da coordenadora. O objetivo deste trabalho é reconhecer a presença do tema transversal, o meio ambiente, em práticas artísticas e valorizar o protagonismo discente dos bolsistas vinculados ao projeto de extensão. Dentre as práticas promovidas, foram realizadas duas oficinas que permitiram o diálogo com as artes visuais. A oficina de performance, que contou com o público jovem, permitiu a reflexão sobre o tema e de que forma poderiam apresentar por meio da arte uma reflexão. Inicialmente, a oficina contou com apresentação do conceito de performance artística por meio de referências visuais da área. Posteriormente, dividiu-se em dois grupos e a disponibilizou-se um amplo tecido preto de forma propositiva. Neste momento, os grupos foram orientados a pensarem sobre o tema para a performance e o uso do material disponível. Após reflexão e organização, os grupos apresentaram os resultados. O primeiro, utilizou o tecido como passagem entre a floresta intacta e a queimada que, com as mudas distribuídas aos participantes, apresentou o plantio e a derrubada das árvores pelos homens. O segundo grupo envolveu, com o tecido, as pessoas de forma que as fixassem junto à natureza. Apresentaram a ideia de sufocamento da poluição por meio da representação pelo tecido. A outra oficina, de ilustração com pigmentos naturais em papel reciclado, teve como proposta a experimentação dos materiais artísticos e o desenho de observação da natureza. Os participantes foram motivados a buscar no ambiente por flores e folhas, que foram utilizadas para a técnica de maceração. Após extrair o pigmento, os participantes realizaram ilustração em papel reciclado com a observação da natureza, verificando novas possibilidades com os pigmentos e sua aplicação em papel reciclado. As oficinas foram propostas pelos bolsistas do projeto, o que conferiu autonomia e desenvoltura na aplicação dos conhecimentos adquiridos pelo ensino, pesquisa e extensão. Concluiu-se que, ao oferecer atividades desse cunho, o projeto proporciona ao público experiências artísticas não convencionais no contexto escolar e a possibilidade de reflexão sobre os temas da arte e o meio ambiente, e a maneira como esses podem ser relacionados. Ao serem executadas por discentes bolsistas, foi possível, além de facilitar na proximidade com os participantes, possibilitar aos mesmos um momento de didática, protagonismo e ensino-aprendizado.</p> Beatriz Uehara Pereira, Charles Willian Oliveira, Sophia Amabile Espig, Vinicius José Schuartz, Fernanda Maria Trentini Carneiro Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4825 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 ESTUDO DIAGNÓSTICO SOBRE SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSOS DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4895 <p>Em meio à pandemia de COVID-19 devido ao SARS-Cov-2, o isolamento social é um dos recursos vitais tanto para reduzir o ritmo de propagação do novo coronavírus em nossa sociedade como para resguardar a população idosa. Ao passo que se trata de um cuidado muito bem indicado, a medida pode gerar uma avalanche de emoções nos idosos, o que é capaz de colocar em risco sua saúde mental. Dessa forma, esse estudo primou por verificar os sintomas depressivos de idosos durante o isolamento social causado pela pandemia de COVID-19. Trata-se de uma avaliação diagnóstica e inicial com características de estudo descritivo e natureza quantitativa, onde foram avaliados 132 idosos da região do Vale Europeu em Santa Catarina - SC, destes 111 mulheres e 21 homens, com idade média de 70 e 71 anos respectivamente. A amostra foi avaliada quanto às características sociodemográficas e o estado de humor com a Escala de Depressão Geriátrica (GDS-15). A partir da análise verificou-se que 103 idosos (78,03%) não demonstraram sintomas depressivos e 29 idosos (21,97% ) apresentaram sintomas depressivos. Acredita-se que os resultados positivos encontrados sobre os sintomas depressivos são reflexos do momento de transição do isolamento social para a possibilidade de retorno presencial gradual das atividades habituais dos idosos. Ademais, muitos idosos sabiam de seu diagnóstico e já recebiam tratamento para depressão, o que nos faz inferir que os resultados positivos decorrentes desse estudo podem também ser em decorrência da utilização de recursos medicamentosos e terapias integrativas complementares. É inegável que por conta do isolamento social causado pela pandemia, muitos idosos paralisaram diversos exercícios e atividades físicas com as quais estavam inseridos anteriormente. Consequentemente, a saúde física e mental ficaram expostas. Destarte, o retorno gradual à presencialidade das atividades habituais e a prática regular de atividade física foi um fator protetor importante para a saúde mental dos idosos desta comunidade.</p> Hélin Uhlmann, Maria Tereza de Almeida Wippel, Anderson da Silva Honorato Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/4895 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 A MULHER E A CERVEJA: um olhar para o reconhecimento feminino na história da bebida https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2190 <p>A criação da cerveja no mundo teve sua origem na China e Mesopotâmia, datada de 5000 a.C. e estabelecida como um processo espontâneo, ocorrido ao acaso, a partir do esquecimento de alguns produtos que fermentaram naturalmente e possibilitaram a experimentação daquele líquido. Assim, o presente estudo tem como objetivo a percepção histórica da participação da mulher no processo de desenvolvimento da cerveja. Para isso, fez-se uma pesquisa bibliográfica, utilizando os principais autores sobre temas relacionados à cerveja no Mundo e no Brasil e, a partir de seus estudos históricos, trazer à tona o debate em torno da mulher cervejeira. Assim, neste primeiro processo, as mulheres foram fundamentais na descoberta, haja vista que o preparo de alimentos se constituía pelo trabalho feminino. Como não tinham o conhecimento desta transformação, atribuíam este fenômeno como algo divino, algo proveniente de um milagre. Dentre algumas divindades homenageadas tem-se, por exemplo, a Deusa Ninkasi, a deusa Deméter e a Deusa Ceres. Esta, em especial, inicialmente cedeu seu nome à bebida onde foi batizada de cerevisiae, o que daria a origem ao nome como a conhecemos atualmente. Ainda, na relação com a mulher cervejeira, a Monja Beneditina alemã Hildegarda de Bingen (1098-1179) no ano de 1150 relata em seu livro Physica os primeiros registros científicos do uso do lúpulo na cerveja. Com os turbulentos anos da inquisição da igreja na Europa, a mulher cervejeira passa a ser acusada de bruxaria e, tendo em vista que os homens já estavam bastante interessados na comercialização do produto, vislumbravam a tomada da produção que era feita, quase que em sua totalidade, por mulheres. A partir daí, e cada vez mais, a mulher foi sendo desprovida do espaço até praticamente desaparecer deste meio laboral. Seu retorno, de forma bastante lenta, dá-se, principalmente, com o início da Primeira Guerra Mundial, exclusivamente para abastecer os exércitos com a bebida. A partir disso, o meio passa a se deparar com algumas mulheres no meio cervejeiro, mas ainda distante de um ideal para o que se espera em uma sociedade igualitária. Entende-se que as mulheres têm dificuldades de se auto afirmar nesse meio, devido ao machismo estrutural presente na sociedade, e por via de regra sentem a necessidade de mais apoio a fim de poder provar seu real valor neste mercado. Dessa forma, pode-se concluir que no contexto do mercado cervejeiro, as mulheres não estão totalmente inseridas, e tampouco tem a facilidade de serem aceitas, de pertencer ao meio e até de se expressar em uma sociedade que não enxerga a mulher como uma cervejeira está plenamente constituída.</p> Eddy Ervin Eltermann, Klayton Charles Filippi Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2190 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 A Utilização do Jogo no Aprendizado https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3215 <p>Nosso trabalho tem como base o processo educativo com os princípios da Neurociência. Segundo a neurociência, é necessário usar várias funções cerebrais e automaticamente corporais para uma melhor ativação e fixação do aprendizado, transformando-o em memórias. Partindo do princípio que não fomos programados para lembrar e armazenar tudo ao qual somos expostos , precisamos estimular diversas áreas do cérebro ao mesmo tempo para que ocorra uma fixação, uma sinapse, uma memória? Armazenando de forma que poderemos lembrar novamente. Através de estudos nesse campo temos base para nortear mais atividades de ensino de uma maneira atrativa, para os alunos, como consequência faremos desse aprendizado uma memória definitiva que mesmo fora da sala de aula o aluno será capaz de lembrar desse aprendizado . Tendo em vista esse conceito desenvolvemos um jogo de tabuleiro em formato de uma molécula, com objetivo de ima rememoração de um conteúdo previamente exposto em sala de aula, bem como um conteúdo novo, juntamente com todo o aparato de estímulos que um jogo é capaz de trazer consigo intrinsecamente com uma didática atrativa aos alunos . O jogo consiste em escolher um personagem que disponibilizaremos entre figuras relevantes do campo da Química mundial, para representar o jogador ou o grupo , na dinâmica, usando um dado para informar quantas casas esse personagem pode avançar, através de perguntas de várias vertentes na química geral . Caso acerye a pergunta, o jogador avança a quantidade indicado no dado, Caso não, deixa de avançar e passa a vez para o próximo jogador ou grupo . Vence quem finalizar todo o percurso primeiro . A proposta com o jogo é mostrar uma forma mais divertida, lúdica para trabalhar um conteúdo extenso e da mesma forma podendo ser usado para avaliar o aprendizado da turma, sendo possível verificar o que os alunos conhecem do conteúdo e quais será necessário um aprofundamento e uma nova abordagem.</p> Andrey Wesley Lourenço, Renata da Silva Cruz Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3215 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO DE SANTA CATARINA (1738-1822) https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3221 <p>A pesquisa analisa a História da Educação da capitania de Santa Catarina, especificamente da Vila de Nossa Senhora do Desterro, no período de 1738 a 1822. Investiga-se a ação pedagógica jesuítica, analisando-se as orientações pedagógicas do Ratio Studiorum. Esse documento constituiu-se numa espécie de coletânea, com observações pedagógicas, cujo objetivo era instruir todo o jesuíta docente sobre a natureza, a extensão e as obrigações do seu cargo. O Ratio Studiorum, desta forma, apresentou-se como uma sistematização da pedagogia jesuítica, contendo 467 regras, abarcando todas as atividades dos agentes diretamente ligados ao ensino. Para a realização desta investigação, valeu-se de uma pesquisa de cunho bibliográfico. Ainda em fase de desenvolvimento, outra etapa da investigação será a realização da pesquisa documental, com o levantamento e transcrição de tipologias documentais que abordem a experiência do ensino jesuítico. Essa documentação está presente nos acervos documentais do Arquivo Histórico Ultramarino, localizado no Arquivo Público do Estado de Santa Catarina. Considera-se fundamental a realização dessa pesquisa histórica, diante da necessidade da elaboração de material didático sobre a História da Educação de Santa Catarina. A ação jesuítica foi fundamental para a formação das primeiras escolas em território catarinense, contendo forte teor religioso, e sendo um período no qual a educação foi destinada ao fim de catequização. Com grandes impedimentos de investigação científica, diante da ação catequética empreendida. Por outro lado, essa ação pedagógica não se deu de forma geral, ampla e irrestrita, pois não abarcou todos os segmentos sociais, privilegiando as elites locais. Até a expulsão dos jesuítas, em 1759, a Educação no Brasil, de modo geral, foi caracterizada pela atuação desses agentes religiosos, pois logo em seguida, as câmaras municipais, como representantes da monarquia portuguesa nas vilas e cidades da América portuguesa, passaram a controlar o sistema das aulas régias, com outros agentes do ensino no campo educacional.</p> Thomas Andrey Hipólito da Silva, Kayan Arcanjo Barros, Gilian Evaristo França Silva Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3221 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 GERADOR ORGANICO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/1975 <p>Nomenclaturas de compostos orgânicos é um conteúdo muito presente na disciplina de química do ensino médio. Baseado nisso, o objetivo principal do nosso trabalho é desenvolver um recurso didático que contribua para atenuar a curva de esquecimento quanto ao conteúdo de funções orgânicas e suas respectivas nomenclaturas. Ele visa reforçar a identificação, classificação e nomenclatura das moléculas orgânicas aprendidas previamente em sala de aula, estimulando a memória a médio-longo prazo dos alunos, como também demonstrar a infinidade de moléculas e a versatilidade do átomo de carbono. Trata-se de um recurso didático que traz uma maneira diferente e competitiva de se substanciar os conteúdos de cadeia carbônica da química orgânica. Busca-se uma integração em grupos, com uma média de 5 alunos cada. Os estudantes recebem informações de uma molécula através de uma tabela e um dado de 10 lados, e tem o objetivo de escrever de uma maneira correta tanto a estrutura molecular quanto a nomenclatura dessa molécula, seguindo as regras da IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry). Um aluno lança o dado para cada característica da molécula e os outros jogam. O resultado do dado equivale a uma determinada informação disponibilizada na tabela. O estudante que finalizar primeiro deve levantar a mão e a resposta será conferida pelo aluno que lançou os dados, por meio de um infográfico. Caso esteja correta, o estudante recebe um ponto, caso esteja incorreto, o participante seguinte será avaliado e assim sucessivamente. Após um aluno acertar, serão discutidas as respostas que estiverem diferentes, caso haja (não necessariamente estarão erradas). O acúmulo de pontos e a vitória servem como reforço positivo. Dessa forma, o recurso pauta-se em teorias da neurociência, como curvas de esquecimento e retenção/ memorização de informação e as relaciona e incorpora com ideias de reforço positivo e estímulo reforçador da vertente comportamentalista (behaviorista) da educação.</p> Arthur Nilo Martins, Vinicius Bambineti, Guilherme Arthur Pech Rech, Daiane Paula Cunha de Quadros, Daniel Zanella Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/1975 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 DESENVOLVER UM COLETOR DE LIXO MARINHO ESTÁTICO E AUTÔNOMO FOCADO EM RESÍDUOS DE SUPERFÍCIE https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2213 <p>Os coletores de lixo marinho ou de superfície não são novidades no mercado. São inúmeros modelos desde estáticos, como autônomos até totalmente monitorados e computadorizados. O projeto Seabin, inaugurado em 2016, apresenta uma forma prática de coleta de resíduos, além de possibilitar a retirada da malha de coleta de forma rápida e limpar a água a ser devolvida ao ambiente em questão. O projeto tinha por objetivo o desenvolvimento de um coletor baseado no projeto Seabin, com monitoramento de seu funcionamento, a fim de promover a comunicação entre coletor e cliente envolvido. Por se tratar de um projeto integrador realizado pela aluna durante a graduação, foi proposto um protótipo em escala reduzida, possibilitando uma replicação de baixo custo. Sua construção foi realizada utilizando um balde de cloro de 10 kg, bomba de vazão de 1700L/h e instalações de canos de 1 polegada. Como suporte, foram utilizadas hastes e parafusos em um tanque d’água, ajustando o nível de água necessário para cerca de 5 centímetros. Para a malha de coleta utilizou-se o material juta, com dimensões compatíveis ao balde. Os testes foram realizados em piscina e tanque d’água simulando um ambiente controlado, com auxílio de folhas, plásticos picotados e garrafas PET. Os testes apresentaram resultados satisfatórios para objetos pequenos, necessitando ajuste de bomba para aplicações com resíduos maiores maiores. Através de sensores ultrassônicos e módulo Bluetooth o alerta para coletores cheios ou nível baixo foram ajustados acima do coletor e no nível d’água, Para o primeiro sensor foi utilizado um sensor ultrassônico padrão, e no segundo um sensor JSN à prova d’água. A escolha dos dois sensores se deu com base na utilização de Arduino para programação e controle do monitoramento. Para a comunicação com o usuário, foi utilizado o site Inventor para criação de um aplicativo simples com comunicação via Bluetooth, através da utilização do módulo Bluetooth. O aplicativo possui tela inicial com senha, menu e visual com leituras dos sensores. Aplicativos como Bluetooth SPP e Adafruit são possibilidades de relatórios com base em designs interativos e com alertas mais completos (o segundo necessitando do auxílio de ESP). Assim, o coletor foi concluído com a coleta implementada junto ao seu monitoramento.</p> Kênia Morgana de Vasconcelos Saraceni Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2213 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 DETECÇÃO DE DEDOS: ARQUITETURA FASTER R-CNN https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3219 <p>Com a expansão da informática e a das mídias sociais, cada vez mais usuários estão compartilhando seus dados e imagens. O compartilhamento desse tipo de informação nas mídias pode auxiliar em investigações de crimes através do reconhecimento de características em imagens. Algumas técnicas de aprendizagem de máquina podem auxiliar peritos criminais, para obter evidências importantes para investigação de crimes de forma mais eficiente. Problemas na área de perícia computacional exigem a análise manual de grande número de arquivos, em especial imagens, e também do gasto de tempo excessivo. Por isso, são necessários métodos mais eficientes para trabalhar com grande volume de informações, para processar e localizar evidências digitais. A proposta deste trabalho é treinar um detector de dedos por meio da arquitetura Faster R-CNN, com o objetivo de gerar um modelo para identificar dedos em imagens, tendo como contribuições a disponibilização de um dataset com imagens de dedos, bem como disponibilizar o modelo gerado para estudo em futuros trabalhos na área, como por exemplo, detectar impressões digitais em imagens disponíveis em mídias sociais. O método de pesquisa utilizado foi a pesquisa exploratória em que se obtém conhecimento sobre o assunto proposto. Na pesquisa aplicada, montou-se um ambiente com um computador desktop equipado com CPU Intel I7 (quadcore), 16 GB de memória e GPU Nvidia Titan-XP, sistema operacional Microsoft Windows, Python 3 e API Tensorflow – arquitetura Faster R-CNN. O modelo para detecção foi criado a partir do treinamento da arquitetura Faster R-CNN e obteve acurácia de 78,6% com confiança de 0.5, de 80,6% com confiança de 0.6, 82% com confiança em 0.7 e, por fim, acurácia de 84% com confiança de 0.8. Com isso, foi possível comprovar que o modelo é capaz de detectar dedos em imagens, e disponibilizar um dataset formado por 1370 imagens de dedos rotuladas, bem como, auxiliar na redução do tempo de análise manual de imagens.</p> Lissandra Maiara Fischer, Jackson Mallmann Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3219 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 TABULEIRO QUÍMICO: CURIOSIDADES DOS ELEMENTOS QUÍMICOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/1282 <p>Este trabalho tem como objetivo abordar os conhecimentos pertinentes à tabela periódica dos elementos químicos e suas curiosidades presentes no cotidiano dos discentes. Pretende-se abordar temas principais do conteúdo de química sobre a tabela periódica, relacionando a teoria com o contexto social, por meio de um jogo de tabuleiro com cartas. Portanto, o recurso didático é confeccionado com base no jogo Perfil e o tabuleiro do Ludo. As cartas foram elaboradas referentes aos elementos químicos, no formato Perfil, deste modo, possuem dicas relacionadas a um elemento químico. O tabuleiro foi projetado considerando a acessibilidade e a intimidade com o mesmo, por ser um tabuleiro comumente conhecido, há uma maior facilidade em desenvolver e aplicar o recurso didático. Apresenta-se nas cartas dicas sobre a identidade do elemento químico, que são associadas ao conteúdo da tabela, por exemplo: afinidade eletrônica, raio atômico, distribuição eletrônica, entre outros, e suas características. Cada dupla de jogadores deverá descobrir qual elemento químico é apresentado na carta por meio das dicas, sendo que a cada dica a dupla tem uma tentativa para acertar o elemento em um tempo de trinta segundos controlado pelo mediador, neste caso a dupla que está lendo a carta. Portanto, a dupla possui tempo para debater a respeito de seus conhecimentos que envolvem a dica esclarecida e determinar uma resposta. Desta forma, o domínio dos conhecimentos a respeito da tabela periódica é posto em prática, pois há uma relação entre uso de dicas e a recompensa por acertar a resposta, logo, usando menos dicas e acertando a resposta a dupla anda mais casas no tabuleiro. O sentimento condicionado pela recompensa, segundo a teoria do behaviorismo, é uma ferramenta eficaz para estimular o aprendizado desses conhecimentos. Além disso, o aluno pode ancorar conhecimentos do seu cotidiano com os conhecimentos a respeito da tabela, o que, segundo a teoria da aprendizagem significativa de Ausubel, permite que os alunos tenham uma fixação melhor dos conteúdos ao perceber que certa teoria está intimamente ligada ao seu cotidiano, no caso do recurso proposto, determinado elemento está presente em alguma tecnologia utilizado frequentemente pelo discente. Quando pensamos no tabuleiro, decidimos utilizar como base o tabuleiro do jogo de ludo por conta do mesmo ser mais acessível para as escolas e grande parte das pessoas terem familiaridade com o jogo, sendo assim seria apenas necessário a impressão das cartas com dicas, por fim, barateando a produção do jogo.</p> Amanda Schaadt, Gustavo Vinícius Esser, Natan da Cunha Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/1282 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 OS EVENTOS NO PERÍODO PRÉ E PÓS PANDEMIA DE COVID-19: um estudo de caso do Bierfest de Brusque (SC) https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2205 <p>Os eventos no mundo se transformaram em uma grande fonte de renda, negócios e um espaço de desenvolvimento para diversas cidades e regiões. Nesse sentido, a construção de um calendário de eventos passa a ser uma alternativa de ampliação do fenômeno turístico nas mais diferentes localidades. Contudo, no ano de 2020, especialmente a partir de março, com a chegada da pandemia de Covid-19 no Brasil, os eventos deixaram de ser uma importante fonte de renda e gerador de empregos, pois o cancelamento dos mesmos afetou o mercado. Nesse contexto, em Santa Catarina, Estado com importante relação com a cultura alemã e a cerveja, os eventos cervejeiros também foram impactados e, consequentemente, cancelados. No município de Brusque (SC), pouco antes da pandemia, em março de 2020, foi realizado o Bierfest - Festival da Cerveja Artesanal do Vale, contando com diversas atrações. Tal evento foi organizado pela Cooperativa Cervejeira Sul Brasileira (COCERSUL), e concebeu a formação de uma proposta de evento cervejeiro para ampliar a construção da cultura cervejeira local. Contudo, como todos os demais, foi cancelado em 2021 e retornou somente no segundo semestre de 2022, ainda com uma expectativa receosa sobre o fim da pandemia. Dessa forma, o presente estudo teve como objetivo fazer um comparativo entre o evento de 2020 (período pré pandemia) e a sua segunda edição, em 2022 (período pós pandemia), visando assim entender a dinâmica do público e o desenvolvimento dos eventos em seu retorno. Dessa forma, percebeu-se que entre os períodos, o número de cervejarias envolvidas elevou de 12 para 19, da mesma forma que os stands, de 25 para 29 no total. No ponto de vista da litragem de cerveja consumida, ampliou de 6 para 8 mil litros e trouxe um público de 8 mil pessoas, também superior aos 5,5 mil do período pré-pandêmico. Nesse contexto, conclui-se que o setor turístico, e nele o setor de eventos, trazem uma importante retomada de investimentos e realizações, prevendo-se assim um crescimento elevado e constituindo uma forma de aquecimento do setor. Dessa forma, o presente estudo aponta para um retorno bastante positivo, determinando melhoras nos negócios e reconstruindo a atividade, desde o profissional da cerveja até o retorno da empregabilidade de categorias como as de seguranças, eletricistas, iluminadores e demais profissionais que englobam toda a cadeia produtiva do setor de eventos e que apresentaram instabilidade durante a pandemia.</p> Eddy Ervin Eltermann, Evandro Jaraceski Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2205 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 NÚCLEOS DA DIVERSIDADE DO IFC / CAMPUS BRUSQUE https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3216 <p>No âmbito dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, localizados nas cinco regiões brasileiras, foram criados institucionalmente os chamados núcleos da diversidade: Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas – NEABI, Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade – NEGES e o Núcleo de Acessibilidade às Pessoas com Necessidades Específicas – NAPNE. No Instituto Federal Catarinense – IFC / Campus Brusque esses núcleos estão formalmente constituídos, com coordenação própria e com integrantes provenientes de vários segmentos, como docentes, discentes, servidores do próprio campus, bem como membros da comunidade brusquense. Os campi do IFC contam com a composição desses núcleos, promovendo momentos de integração entre todos eles. Isso contribui para o entendimento da realidade de cada unidade de ensino que integra a rede. Neste sentido, para melhor andamento das atividades desenvolvidas por esses núcleos, foi lançado Edital Brusque 06/2022, para seleção de bolsista para apoio às ações desenvolvidas no IFC / Campus Brusque. Mensalmente são realizadas reuniões, com informes gerais e momento de formação sobre as temáticas pertinentes a cada núcleo, sobretudo sobre a diversidade social e cultural brasileiras. Além desse momento mensal de estudos e reflexões, outras ações são realizadas, como rodas de conversa com a comunidade, debatendo temas como racismo, homofobia e a questão indígena. Os Núcleos da Diversidade estão ligados à Coordenação Geral de Ensino – CGE do IFC / Campus Brusque, atuando ainda nas questões pertinentes ao acesso, permanência e êxito dos discentes nos cursos oferecidos pela unidade de ensino. Almeja-se fortalecer as ações desses núcleos junto à comunidade brusquense, com a realização de debates públicos, mostras de filmes e documentários, cursos de extensão acadêmica, com momentos de reflexão, formação e debate sobre temas socioculturais, que contribuam para mitigar ações discriminatórias, de variadas naturezas, levando à valorização das diferenças e à inclusão dos variados grupos sociais que compõem a sociedade brusquense.</p> Gabriel Victor Ramos Ferreira, Gilian Evaristo França Silva Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3216 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 DOS CONFINS DO BRASIL: HISTÓRIAS, MEMÓRIAS E VIVÊNCIA DE DIVERSOS AGRUPAMENTOS HUMANOS https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3234 <p>O projeto se resume na construção de um site que tem por objetivo reunir textos envolvendo culturas, conflitos sociais, costumes, religiosidade e vivências de diversos agrupamentos humanos, dispersos por todo o Brasil. Por se tratar de um país de dimensão continental, inúmeras comunidades brasileiras permanecem na invisibilidade sem que outras partes do país possam ter acesso a tais grupos, alguns em situação de isolamento geográfico. Pensando nessas circunstâncias, foi idealizado o projeto com a finalidade de reunir e publicar pesquisas e textos que possam contribuir na divulgação de culturas diferenciadas das várias regiões do Brasil. A opção metodológica empregada prevê oportunidade para estudantes e acadêmicos envolvidos com pesquisas e que tenham interesse em produzir e publicar textos que atendam aos objetivos previstos. Outra prioridade prevista envolve a expectativa de que o ambiente em construção sirva de fonte de consulta a estudantes que não têm acesso a essas culturas e possam, mediante esse veículo de divulgação, obter informações que contribuam na construção do conhecimento de cada um. A montagem do site foi desenvolvida por duas alunas bolsistas: Elisa Butsch e Helena Mazera, ambas estudantes do curso de Informática no qual tiveram a oportunidade de aprimorar os conhecimentos adquiridos no componente “ Web Designer”, sob a supervisão do professor colaborador Josiney de Souza. Elisa deu início à construção e após concluir o terceiro ano, abriu a vaga para Helena dar continuidade ao trabalho, que teve também a participação de duas novas alunas do curso: Thalia Schorner e Giovana da Silva Dias. O projeto conta também com a participação da professora Vanderleia Gemelli, da área de Geografia. O projeto, inicialmente construído no Sistema de Gerenciamento de Conteúdo denominado WordPress, está em fase de reestruturação com a finalidade de ganhar um formato mais apropriado às necessidades que se apresentaram. Após superados os entraves iniciais, o mesmo entrará na fase dos trâmites de registro do domínio e da hospedagem, para que seja divulgado ao público alvo. A página de apresentação do site contém as instruções para a submissão dos textos incluindo o e-mail destinado às inscrições dos mesmos. A divulgação do projeto será realizada inicialmente pelo site do IF e também mediante contatos com diversas Instituições de Ensino nas esferas pública e privada, fazendo uso também da mídias sociais. Importante salientar que o projeto não tem prazo definido de funcionamento. A expectativa é que ao longo do tempo possa reunir informações contínuas que sirvam de fonte de consulta a quem dele fizer uso.</p> Paulo Roberto de Souza, Josiney de Souza, Vanderleia Gemelli, Helena Mazera, Thalia Schörner, Giovana da Silva Dias Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3234 Wed, 20 Dec 2023 00:00:00 +0000 CONTROLE DE AR CONDICIONADO VIA SMS UTILIZANDO O MICROCONTROLADOR ARDUINO https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2187 <p>Nós seres humanos estamos em constante evolução, buscando melhores maneiras de executarmos os serviços do dia a dia. Com a automação isso é possível e cada dia a automação está tomando espaço no nosso cotidiano. Tendo em vista essa evolução e visando a versatilidade e o conforto de nossas casas será proposto neste trabalho de conclusão de curso a utilização da plataforma Arduino para controlar remotamente um aparelho de ar condicionado utilizando mensagem de texto via SMS. O projeto utiliza o microcontrolador Arduino Mega juntamente com um módulo Shield GSM SIM800C utilizado para realizar a comunicação de mensagens de texto do nosso celular com o Arduino. O Arduino irá receber a mensagem através do Shield GSM e convertê-la para os códigos do controle remoto do ar condicionado que serão enviados para o receptor infravermelho do ar condicionado através de um módulo emissor infravermelho. Primeiramente, iremos buscar os códigos para cada função no controle (ex: função: ligar, código: 0512). Com os códigos conseguiremos criar um script para o Arduino que, dado a função, ele envia determinado código para executá-la; quando a função é executada, retorna uma mensagem para o celular informando que determinada função foi um sucesso. Este projeto consiste em baixo custo e viabilidade de instalação. Comparado a uma automação de ar condicionado via módulos relay e central de automação, nosso projeto tende a ser mais barato e versátil pois esse tipo de automação está acessível a um preço muito elevado, levando em consideração a necessidade de passagem de cabos o que pode encarecer mais ainda esse tipo de automação. Contudo nosso projeto utiliza rede telefônica; sendo assim, não há necessidade de passar cabos. Será utilizado um ar condicionado da marca Gree para realizar os testes práticos do projeto juntamente com a compra dos equipamentos necessários (Arduino Mega, módulo Shield GSM SIM 800C e módulo infravermelho). O resultado esperado para este projeto é conseguir comunicar e executar todas as funções contidas no controle do ar condicionado via SMS de qualquer lugar contendo rede telefônica (de sua operadora) com o ar condicionado de sua residência.</p> Josiney de Souza, Denis Contini, Felipe Coronetti Maciel Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2187 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 REUSETECH 2022: CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL SOBRE REUTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA E OFICINAS DE MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2220 <p>Através do projeto de extensão ReuseTech é possível levar à comunidade interna do campus e sociedade local ações de conscientização da reutilização de equipamentos de informática e o descarte de forma correta dos equipamentos sem possibilidade de reuso considerados lixo eletrônico. O projeto acontece desde 2016 no IFC campus Brusque ligado aos cursos Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio e Superior de Tecnologia em Redes de Computadores que através das doações recebidas da sociedade local e de empresas parceiras, realiza a reutilização desses equipamentos de informática para fins de ensino das disciplinas dos cursos de informática e tecnologia, conscientização da comunidade interna do campus e da sociedade local, descarte de forma correta em pontos de coletas e em empresas com responsabilidade social que recolhem esses lixos eletrônicos, reutilização podendo beneficiar alunos, projetos do campus e instituições externas que necessitam desses equipamentos em perfeito funcionamento recebendo como doações do projeto. Além do projeto contribuir com alunos e instituições externas ao longo do tempo, também realiza uma aproximação do projeto com a sociedade local através de oficinas de montagem e manutenção de computadores, apresentação do projeto em eventos internos e externos, visitas técnicas de instituições externas realizadas ao campus Brusque e divulgação nas mídias sociais. Neste ano de 2022 o projeto já contribuiu com uma instituição externa doando peças de hardware para fins de estudos e beneficiou uma aluna doando uma fonte de notebook para utilizar o computador em seus estudos. Irá realizar oficinas de montagem e manutenção para interagir o projeto e seu objetivos com a sociedade, também irá buscar novas formas disponíveis e adequados de descarte do lixo eletrônico, promover ações para recebimento de doações de equipamentos de informática, maior divulgação das atividades e ações do projeto nas mídias sociais e assim conscientizar sobre a reutilização desses recursos, descarte correto e produção de conhecimento gerando benefícios para a sociedade e meio ambiente de forma sustentável.</p> Josiney de Souza, Raí Luz Oliveira, Jeferson Dell Agnolo, Lohan Amâncio Ribas, Abraão Teixeira da Silva, Jéssica Vitória de Souza Ribeiro, José Enrico Boni Belli, Taynan Vila Nova, Camila Vitoria Taboni, Davi Lima, Eduardo Kohler, Leticia Cristina Nakasawa Kobus, Miguel Amaro da Silva, Nicolas Gabriel Rosa Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2220 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 SEMANA ACADÊMICA DA LICENCIATURA EM QUÍMICA - SALQ https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3220 <p>Este projeto de extensão almeja realizar a II Semana Acadêmica da Licenciatura em Química - SALQ, do Instituto Federal Catarinense - IFC/ Campus Brusque, no período de 25 de novembro de 2022, propiciando a troca de experiências e vivências entre docentes e discentes do curso e a comunidade brusquese. Essa ação de extensão promoverá a integração acadêmica entre as turmas do curso de Licenciatura em Química, socialização importante no processo de formação de professores e professoras , bem como para a análise das perspectivas desses discentes acerca do campo de atuação profissional do licenciado em Química em Brusque e região. Durante a SALQ serão abordados temas do interesse dos discentes do curso, desenvolvidas no decorrer de suas trajetórias acadêmicas. Por outro lado, temas transversais ganharão espaço durante a realização da SALQ, previstos nos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN e na Base Nacional Comum Curricular- BNCC. Haverá o envolvimento dos discentes da turma 2022 na organização da SALQ, como parte das atividades avaliativas da componentes curriculares Pesquisa e Processos Educativos II - PPE II. Essa comissão organizadora contará ainda com discentes e docentes das turmas 2019,2020 e 2021, que se reunirão periodicamente para a execução das atividades previstas . A SALQ servirá de vitrine de exposição ampla dos projetos desenvolvidos pelos docentes do curso, nas dimensões do ensino, pesquisa e extensão, bem como sobre a inserção dos discentes no desenvolvimento desses projetos e sua relevância no processo de formação do licenciado em Química. Espera-se que esse evento ocorra anualmente no IFC/Campus Brusque, que seja organizado e executado por docentes e discentes do Curso de Licenciatura em Química, fazendo com que os acadêmicos experienciem a prática da organização de eventos científico e que conheçam ainda mais sobre as características da sua profissão. Além disso a SALQ tem como objetivo a abertura para comunidade de Brusque e região conheção a Instituição e o Curso de Licenciatura em Química.</p> Gilian Evaristo França Silva, Renata da Silva Cruz Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3220 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 EXTRAÇÃO EM PONTEIRA DESCARTÁVEL: uma revisão sobre sua aplicação para o preparo de amostras ambientais https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/1291 <p>Nos últimos anos, observam-se constantes avanços nas técnicas de análise e preparação de amostras químicas. Em 2003, William Brewer (Universidade da Carolina do Sul, EUA), desenvolveu um sistema capaz de minimizar o tempo e os gastos necessários à execução de procedimentos analíticos: a DPX (Extração em Ponteira Descartável). A DPX emprega uma ponteira padrão com sorvente interno de fase sólida móvel, que se movimenta livremente entre duas membranas quando a amostra é aspirada, aumentando a superfície de contato com o meio e o rendimento da extração. Após o descarte da amostra, o analito retido no sorvente é eluído por adição de solvente. Atualmente, as principais áreas de aplicação em que a extração por DPX tem sido reportada são as análises forenses (drogas de abuso) e de contaminantes de alimentos (principalmente os agrotóxicos). Considerando-se o exposto, o objetivo da pesquisa consiste na revisão bibliográfica sobre o emprego da DPX durante a identificação de agrotóxicos em amostras ambientais como água e solo, dada através do levantamento de produções científicas publicadas no site Science Direct entre os anos de 2017 e 2022. Como resultado, constatou-se que o emprego da técnica aparece com maior frequência durante a preparação de amostras para a análise da água de lagos (38,5%) - considerando-se a revisão de 10 artigos internacionais num intervalo de 5 anos. Da mesma forma, os agrotóxicos mais identificados durante as pesquisas foram: Carbamatos, Organofosforados, Organoclorados, Piretróides, Herbicidas (Atrazina e Simazina), Pb e Cd (resíduos inorgânicos) e Tebuconazol - oriundos, sobretudo, do mercado do agronegócio e do descarte inapropriado de resíduos químicos industriais. Consideradas potencialmente mutagênicas por possuírem constituintes desencadeadores de desvios no DNA, estas substâncias levam à mortes e síndromes no sistema nervoso central, além de ameaçarem os organismos e a qualidade da água - recurso essencial a todas as criaturas vivas. Assim, sua presença em recursos hídricos, sejam estes quais forem, afeta adversamente os ecossistemas, atentando para a necessidade de revisão das práticas ambientais atuais. Com base nos fatos mencionados, as atividades do projeto possuem encerramento previsto para o fim do 2º semestre de 2022, concluindo seus exercícios de pesquisa bibliográfica com o estudo de tópicos como: técnicas empregadas na análise de agrotóxicos em água (sobretudo a DPX); estruturas químicas e classificações dos agrotóxicos; a relevância destas substâncias para mercado do agronegócio brasileiro e seu impacto sobre as reservas aquáticas do país.</p> Esthefany Batista da Silva, Ana Luiza Postai, André Felipe Knop, Leda Ardiles, Michela Cancillier, Adriana Neves Dias Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/1291 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 A TOMADA DE DECISÕES EM CERVEJARIAS ARTESANAIS: um estudo de caso sobre inteligência competitiva em Santa Catarina https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2209 <p>A atividade de pesquisa é fundamental para alcançar pessoas e negócios e ajudar na tomada de decisão. Frente a um ambiente de negócios complexo e com muitos desafios, saber investigar e traçar alternativas para realizar a tomada de decisão é fundamental, pois prepara para conviver em meio a uma ampla concorrência e tornar o negócio viável e saudável. O processo de tomada de decisão é composto pelas fases de inteligência, concepção, escolha e revisão. Na primeira fase, o decisor busca obter informações ou conhecimento acerca do problema. Na segunda, com a definição formal do problema, iniciam-se as atividades de elaboração e avaliação de alternativas na busca de potenciais soluções para o problema. Na fase de escolha, após análise das alternativas disponíveis, as principais barreiras são sintetizadas nas limitações do decisor em identificar o método de seleção, em organizar a informação e selecionar alternativas disponíveis. A fase de revisão é onde ocorre a avaliação das decisões passadas, definidas como feedback, que permite ao decisor rever as fases anteriores na busca da alternativa mais satisfatória (SIMON, 1977). Este estudo pretendeu trazer à tona a discussão em torno da tomada de decisões em organizações cervejeiras, buscando um olhar ao processo decisório, às demandas recorrentes, bem como, ao material humano envolvido nestas decisões. Para a coleta de dados, ocorrida no mês de agosto de 2022, foi utilizado um roteiro de entrevista semiestruturado, composto por questões abertas, referente a situações que englobam a vantagem competitiva e os fatores da tomada de decisão. As entrevistas foram gravadas e transcritas na íntegra. Participaram da pesquisa dois gestores de duas empresas cervejeiras em Santa Catarina. Os participantes convidados preencheram os seguintes requisitos: ser profissional da área de gestão e o decisor responsável por uma área, setor ou dono do negócio. Foi objetivo deste estudo conhecer e aprofundar sobre os principais fatores que influenciam na tomada de decisão e sua relação com a vantagem competitiva. Analisar e levantar informações sobre o meio ambiente para identificar novas condições que demandem novas ações, são práticas assertivas pois coloca em pauta a necessidade de compreender e identificar os principais componentes do problema e reconhecer o problema para estabelecer objetivos para a decisão. Os critérios para isso seguem a experiência, o tamanho do negócio, a complexidade e a capacidade de estabelecer caminhos possíveis para buscar soluções que atendam as necessidades da organização. A fase de desenho ou concepção neste estudo não teve uma clareza de quais elementos são selecionados para a tomada de decisão. A base foi a identificação do problema pontual e a solução do mesmo. E no que concerne o compartilhamento, é parte fundamental do processo para a tomada de decisão, visto que em um mundo complexo com informações ampliadas, realizar o filtro e absorver a informação mais importante é matéria com custo alto para uma decisão individualizada. Com os resultados, percebeu-se que os participantes utilizam a investigação, concepção e compartilhamento do modelo de Simon para buscar informação e gerar alternativas para a tomada de decisão.</p> Eddy Ervin Eltermann, Julius Diego de France Santos Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/2209 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000 A Importância de um Código de Ética para o Profissional de TI (TCC ainda em fase de pesquisa) https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3217 <p>Talvez, se não existisse a ética, o mundo seria governado pela força dos instintos naturais e irracionais de sobrevivência (embora episódios semelhantes ocorram frequentemente), a ética está aí para isso, para divergir o que é necessário do que é superficial. Quando se trata de ética profissional, é importante recordar que a ética individual contribui para que a ética no trabalho seja bem executada, ou seja, quanto mais resolvida a pessoa for consigo mesma e com a moralidade em si, mais fácil é ter empatia, consideração, ser altruísta em termos que necessitam de profissionalismo e, ao mesmo tempo, humanidade. Constatamos o aumento de fraudes por toda parte e com muito mais frequência nos caminhos das redes de computadores do mundo (enfatizamos que as redes de computadores são apenas mais uma ferramenta dentre várias utilizadas), como invasão a segurança, acesso a contas bancárias, roubos e sequestros de dados sigilosos, e diversos outros perigos não apenas para as empresas, mas também a usuários comuns. (nota-se que todas são consequências da falta de ética na sua base). Podemos observar que a criação do Marco Civil da Internet, Leis como a LGPD, e as tentativas de regulamentação da profissão desde os anos de 1970, tornam ainda mais claro que a falta de ética está em elevado grau, aumentando a cada dia. O presente Trabalho de Conclusão de Curso tem como principais objetivos apresentarmos definições e breve evolução histórica da TI, a problemática da regulamentação da profissão, a importância de um código de ética, definições e evolução histórica da ética e moral, ética deontologia como fundamento para o código de ética para a área de TI. A metodologia empregada foi a pesquisa bibliográfica em livros físicos, e por intermédio de buscas na internet por livros em PDFs, artigos e outros materiais para a pesquisa. Apontamos como uma das possíveis soluções destacar a importância do código de ética para os profissionais de TI.</p> José Oscar Pollheim Copyright (c) 2023 Anais da Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e... (FACCHU - IFC Campus Brusque) - e-ISSN 2763-8286 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/facchu/article/view/3217 Fri, 10 Nov 2023 00:00:00 +0000