Teatristória: O teatro como metodologia de ensino na educação científica e tecnológica de nível médio no IFC – Câmpus Camboriú.

Autores

  • Ivan Carlos Serpa Instituto Federal Catarinense
  • Fernanda Faccin da Rosa Kloppel Instituto Federal Catarinense
  • Queren Hapuque Garcia Zerede Instituto Federal Catarinense

DOI:

https://doi.org/10.21166/ctp.v2i2.2092

Palavras-chave:

Inovações metodológicas, Teatro científico, Imaginação criadora, Obstáculo epistemológico

Resumo

O presente artigo apresenta conclusões de pesquisa desenvolvida no Instituto Federal Catarinense – Campus Camboriú no período de 2018 a 2019. O objetivo proposto foi investigar inovações metodológicas aplicáveis ao ensino científico e tecnológico profissionalizante de nível médio com a utilização de técnicas teatrais denominadas: teatro científico. A pesquisa, de tipo qualitativa, constitui-se de um estudo de caso referente à intervenção didática de caráter investigação/estruturação, conforme Astolfi (2014). A coleta de dados realizou-se de acordo com a metodologia de análise de conteúdos segundo Bardin (2016). As discussões teóricas dialogaram com a produção epistemológicas de Bachelard (1996), Bloch (1977), Jameson (1999) e Eagleman; Brandt (2020), com foco no conceito de imaginação criadora como superação do obstáculo epistemológico do conhecimento quantitativo. Os resultados obtidos indicaram a possibilidade de superação do problema levantado pela pesquisa, demonstrando a viabilidade da utilização de técnicas teatrais em metodologias de ensino científico e tecnológico de nível médio nos Institutos Federais de Educação.

Biografia do Autor

Fernanda Faccin da Rosa Kloppel, Instituto Federal Catarinense

Ex~aluna do curso de Controle Ambiental do IFC - Campus Camboriú

Queren Hapuque Garcia Zerede, Instituto Federal Catarinense

Aluna do Curso Técnico em Hospedagem do IFC - Campus Camboriú

Referências

ASTOLFI, Jean-Pierre; DEVELAY, Michel. A didática das ciências. Campinas: Papirus, 2014.

BACHELARD, Gaston. A Poética do Devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 1996b.

____________, Gaston. A formação do espírito científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996a.

____________, Gaston. Ensaio sobre o conhecimento aproximado. Rio de Janeiro: Contraponto, 2004.

BARBOSA, Elyana; BULCÃO, Marly. Bachelard pedgogia da razão, pedagogia da imaginação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

BAZZO, W.A. A pertinência de abordagens CTS na educação tecnológica. Revista Ibero-americana de Educação. Organização dos Estados Ibero-americanos, Janeiro/abril, n. 28, p. 83-99, 2002.

BEZERRA, Roseana da Silva. Teatro científico: uma estratégia interdisciplinar de integração de conteúdos de Ciência, Tecnologia e Sociedade / Roseana da Silva Bezerra – Mossoró, RN, 2018. Dissertação (Mestrado em Ensino) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Universidade Federal do Semi Árido, 2018.

BLOCH, E. El Principio Esperanza. Tomo 1, Madri: Aguilar, 1977.

BRITO, Marli Bulcão Lassance. O gozo do conhecimento e da imaginação: François Dagognet diante da ciência e da arte contemporânea. Rio de Janeiro: Mauad X, 2010.

CABRAL, O. Drama como método de ensino. 2.ed. São Paulo: Hucitec, 2012

CARDOZO, M. E. ;FREITAS, M. ; SERPA, I.C. Escolas do Século XXI: Aprendizagem de História Baseada em Projetos no IFC - Campus Camboriú. In: IX Feira de Iniciação Científica e Extensão do IFC Camboriú, 2018, Camboriú. Anais da IX FICE: IFC, 2018. v. 1. p. 90-94. Disponível em: http://www.camboriu.ifc.edu.br/fice/fice2018/arquivos/Anais_FICE_2018-atualizado.pdf

CARVALHO, Flávio José de. Imaginação criadora da ciência, imaginação criadora da poesia em Gaston Bachelard. Flávio Josè de Carvalho – Recife, 2011. Tese (Doutorado em Filosofia) – Universidade Federal de Pernambuco, 2011.

DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do Teatro: provocação e dialogismo. 4.ed. São Paulo: Hucitec, 2017.

EAGLEMAN, D; BRANDT, A. Como o Cérebro Cria: O Poder da Criatividade Humana para Transformar o Mundo. Intrínseca: Rio de Janeiro, 2020

EINSTEIN Albert; apud HADAMARD, J. (1945) Essai sur la Psycologie de l’Invention dans lê Domaine Mathématique. Paris: Gauthier-Villars, 1959. p. 82 – 83.

FREGOLENTE, Alexandre. O espetáculo teatral A ciência em peças, a oportunidade da aprendizagem científica dos licenciados em física e química e suas percepções sobre a formação docente. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Centro de Ciências Exatas, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática, 2012.

GIMENEZ, H. Teatro Científico: uma ferramenta didática para o ensino de física. 2013. 119f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências). Universidade Federal do Mato Grosso, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais, Cuiabá, MT, 2013.

GOMES, Ana Laudelina Ferreira. BRITO, Sílvia Barbalho (Orgs.). A educação do homem das 24 horas. In: Festins de seda. Festival Mythos-Logos e outras inventices bachelardianas. Natal: EDUFRN, 2016.

HESSEN, Johannes. Teoria do Conhecimento. 2ª ed. -São Paulo: Martins Fontes, 2003.

JAMESON, Fredric. O Método Brecht. Petrópolis: Vozes, 1999.

JONNAERT , Philippe Dévolution versus contre-dévolution! Un Tanden lncontournable pour le contrat didactique In: RAISKY, Claude; C.AILLOT, MicheÌ (éds) Au-delà des dìdatíques, le dìdactique: debats autour de conceps fedérateur. Belgium: De Boeck & Larcier S.A. 1996.

MEDINA, M. O Teatro Como Ferramenta de Aprendizagem da Física e de Problematização da Natureza da Ciência. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 27, n. 2: p. 313-333, ago. 2010.

MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MOURA, Breno Arsioli. O que é natureza da Ciência e qual sua relação com a História e Filosofia da Ciência? Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 32-46, jan | jun 2014.

MOURA, D. A; TEIXEIRA, R. R. P. O teatro científico e o ensino de física – análise de uma experiência didática. Revista ciência e tecnologia, São Paulo, v. 11, n. 18, p. 01-17, 2010.

PINHEIRO, N. A. M; MATOS, E.A.S.A; BAZZO, W. A. Refletindo acerca da ciência, tecnologia e sociedade: enfocando o ensino médio. Revista Iberoamericana de Educación, Oraganização dos Estados Americanos para a Educação a Ciência e a Cultura, n. 44, maio/agosto, 2007. Disponível em https://rieoei.org/historico/documentos/rie44a08.htm; Acesso em: 07/04/2020.

PORTOCARRERO, Marcela Gesica Bravo. El entorno como una variable de calidad educativa. Iberoamérica divulga. Oraganização dos Estados Americanos, 16/nov./2018. Disponívek em: https://www.oei.es/historico/divulgacioncientifica/?El-entorno-como-una-variable-de-calidad-educativa; Acesso em: 25/03/2020.

RICARDO, E.C. et al. A perturbação do contrato didático e o gerenciamento dos paradoxos. Investigação em Ensino de Ciências. Porto Alegre. IFUFRGS. V 8. no. 2. 2004

RUDGE, D. W.; HOWE, E. M. An explicit and reflective approach to the use of History to promote understanding of the nature of Science. Science & Education, v. 18, n. 5, p. 561-580, 2009.

WUNENBURGER, Jean-Jacques. Gaston Bachelard poetique des images. Paris: Mimesis Edizioni, 2012.

Downloads

Publicado

2021-06-24

Edição

Seção

Artigos Científicos