Uso do ábaco como instrumento para vivenciar operações aditivas com pessoas idosas

Autores

  • Kelly de Lima Azevedo Spinelli Instituto Federal de Pernambuco
  • Izabel de Cássia Araújo de Vasconcelos Instituto Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.21166/ctp.v2i2.2045

Palavras-chave:

Operações aditivas, Ábaco, Desenvolvimento cognitivo de pessoas idosas

Resumo

Este trabalho foi desenvolvido com idosos de um lar de longa permanência na cidade de Pesqueira-PE. O lar composto por 30 idosos, mas devido à pandemia, o lar de idosos precisou restringir o contato com os mesmos, sendo assim, aplicamos a pesquisa apenas com duas idosas, uma vez que, ambas moravam próximo à casa da pesquisadora. A pesquisa buscou analisar de que forma o ábaco estimula o desenvolvimento cognitivo e a resolução de problemas aditivos em pessoas idosos de um lar para idosos de longa permanência. Tendo como objetivos específicos: Identificar o perfil dos idosos que frequentam o lar de idosos em Pesqueira; Analisar o conhecimento prévio dos idosos através de um pré-teste quanto à resolução de situações problemas simples envolvendo adição e subtração e o uso do ábaco; Desenvolver conjuntamente com os idosos um ábaco artesanal a fim de proporcionar o desenvolvimento e estímulo da função cognitiva dos idosos e compreender a função do ábaco aplicada a situações cotidianas; Identificar que possíveis avanços os idosos obtiveram com relação ao conhecimento pré-teste e a construção e uso do ábaco. Para atingir os referidos objetivos foi realizada uma pesquisa de campo, composta por quatro etapas, são elas: questionário, aplicação de um pré-teste composto por quatro resoluções de problemas aditivos e a presença do ábaco; criação de um ábaco artesanal com as idosas e intervenção, e por fim, um pós-teste composto por quatro resoluções de problemas no mesmo nível do pré-teste.

Biografia do Autor

Kelly de Lima Azevedo Spinelli, Instituto Federal de Pernambuco

Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Fedaral Rural de Pernambuco - UFRPE (2014), Mestre em Educação Matemática e Tecnológica pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2017), Funcionária Pública no Município de Paulista-PE como professora I e Professora Formadora do Instituto Federal de Pernambuco - IFPE/EAD do curso de Graduação e Especialização da Licenciatura em Matemática. 

Izabel de Cássia Araújo de Vasconcelos , Instituto Federal de Pernambuco

Graduada em Matemática pela Autarquia Educacional de Belo Jardim (2010). Finalizando Especialização em Matemática pelo Instituto Federal de Pernambuco - IFPE (previsto para 2021).

Referências

BERELSON, B. Content analysis. In: Communication Research. New York: University Press, 1952.

BEZERRA, Maria da Conceição Alves. O uso de materiais concretos para o ensino/aprendizagem das Operações aritméticas, 2006. Disponível em: <http://www.sbemrn.com.br/site/II%20erem/comunica/doc/comunica18.pdf >. Acesso em: 19 Mar. 2021

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 13 Mar. 2021.

CHARCHAT-FICHMAN, Helenice. Declínio da capacidade cognitiva durante o Envelhecimento. Rev. Bras. Psiquiatr. 27(12): 79-82, 2005.

GERHARDT, Eliane. Ábaco - Construindo noção de número inteiro e realizando adição e subtração. Revista do Professor. Porto Alegre; ano 23; número 92; out/dez, 2007.

GUEDES, M. H. M. et al. Efeito da prática de trabalhos manuais sobre a autoimagem de idosos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, 2011.

GONÇALVES, E. P.. Iniciação à pesquisa científica. Campinas, SP - Alínea, 2001.

KATZMAN, R.;TERRY, R. Normal aging of the nervous system. In: Katzman, R.; J. W. Rowe (Eds.), Principles of geriatric neurology. USA: F. A. Davis, 1992.

MORENO, M. org. La pedagogia operatória. Barcelona: Editorial Laia, 1983.

MOURA, M. O. de. A construção do signo numérico em sala de aula. Tese de doutorado. USP/FE, São Paulo, 1992.

NETO, Geraldo Borges Martins et al. Utilização do ábaco no ensino da matemática. Anais da XIII Semana de Licenciatura, Resumo Expandido, 2016.

SOUZA, Sabrina Moreira de. O uso do ábaco no ensino da matemática: uma experiência na formação em nível médio de docentes. EDM, v. 3, n. 2, 2016.

RIBEIRO, Filipa Correia; GUERREIRO, Manuela Gil. Envelhecimento e declínio cognitivo ligeiro. Rev. Psicologia, Vol. XVI (1), pp. 59-77, 2002.

SILVA, Michele Flávia da. A importância da matemática no ensino fundamental. Rev. Eficaz, Maringá-PR, 2015.

YLIKOSKI, R.; et al. Heterogeneity of cognitive profiles in aging: Successful aging, normal aging, and individuals at risk for cognitive decline. European Journal of Neurology, 6 (6), 645-52, 1999.

WECHLER, D. WAIS manual. Nova Iorque: The Psychological Corporation, 1995.

Downloads

Publicado

2021-06-24

Edição

Seção

Artigos Científicos