Extensão Tecnológica: Revista de Extensão do Instituto Federal Catarinense https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">A<strong> Extensão Tecnológica </strong><a href="https://www.instagram.com/extensaotecnologica/">@extensaotecnologica</a> é uma publicação semestral da Pró-Reitoria de Extensão do Instituto Federal Catarinense e tem por objetivo possibilitar o intercâmbio de práticas, reflexões e resultados de ações de extensão desenvolvidas pelo Instituto, bem como por outras instituições de educação.</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">A revista tem publicação semestral e, desde o início, esteve vinculada diretamente à Pró-Reitoria de Extensão do IFC. O primeiro número impresso foi lançado em junho de 2014 (ISSN 2358-2499) com edição até o Número 3, Ano 2, de junho de 2015. Após um período sem publicações, a <em>Revista Extensão Tecnológica</em> passou por readequações e foi transposta para a plataforma digital Open Journal Systems – OJS, com o lançamento do Número 11, em abril de 2019. A versão online recebeu o ISSNe 2674-9319. Os primeiros números da versão impressa também foram incluídos no OJS e podem ser acessados na aba <a href="http://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/issue/archive">Arquivos</a>.</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">A revista está recebendo artigos em fluxo contínuo. A submissão de textos pelo sistema online de avaliação é gratuita e não gera nenhum tipo de taxa de processamento ou publicação. Todos os artigos são avaliados com base no sistema de revisão por pares, e, para submeterem seus textos, os autores devem realizar a leitura das instruções que constam na página da Revista, em <a href="http://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/about/submissions">Diretrizes para Autores</a>.</p> pt-BR <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional</a>. Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, desde que atribuam a você o devido crédito e que licenciem as novas criações sob termos idênticos. </p> revista.extensao@ifc.edu.br (Kátia Linhaus de Oliveira/Fernando José Taques) revista.extensao@ifc.edu.br (Kátia Linhaus de Oliveira/Rafael Andrade) Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 OJS 3.3.0.8 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Expediente https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/2253 <p>Expediente da edição nº 15 da Revista Extensão Tecnológica.</p> Kátia Linhaus de Oliveira Copyright (c) 2021 Kátia Linhaus de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/2253 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Apresentação https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/2252 <p>Apresentação da edição nº 15 da Revista Extensão Tecnológica.</p> Kátia Linhaus de Oliveira; Fernando José Taques Copyright (c) 2021 Kátia Linhaus de Oliveira; Fernando José Taques https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/2252 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Analisando o Livreto de Passatempos “Mulheres Cientistas: Coronavírus” a partir dos Objetivos da Educação para o Desenvolvimento Sustentável https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1960 <p>O presente trabalho analisa como a publicação do Livro de Passatempos “Mulheres Cientistas: Coronavírus” e a veiculação de seus materiais promoveram e atingiram os Objetivos de Aprendizagem dos cinco Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) abrangidos pelo Projeto de Extensão “Meninas e Mulheres nas Ciências”, da Universidade Federal do Paraná. Para isso, tomou-se como fonte de informação as métricas das mídias sociais Blog, Facebook, Instagram e Twitter, além do próprio Livro. Os dados revelaram que os conteúdos alcançaram diferentes públicos e foram utilizados para práticas educativas diversas, de acordo com a proposta do material, demonstrando as potencialidades das mídias sociais para a Divulgação Científica. Observou-se ainda que o Livro e suas atividades decorrentes, embasadas na ludicidade, linguagem acessível e informações de qualidade, contemplaram a maioria dos objetivos específicos dos Objetivos de Aprendizagem da Educação para o Desenvolvimento Sustentável dos ODS 3, 4, 5, 10 e 16.</p> Iolanda Ponzetta Araújo, Gabriela Ferreira, Aline Kundlatsch, Alana D’Ornelas, Carolina Costa dos Anjos, Camila Silveira Copyright (c) 2021 Iolanda Ponzetta Araújo, Gabriela Ferreira, Aline Kundlatsch, Alana D’Ornelas, Carolina Costa dos Anjos, Camila Silveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1960 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Incentivos para a escrita e a leitura a partir da prática fotográfica https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1956 <p>O presente relato é resultado de um projeto de extensão que teve como objetivo levar a cabo algumas possibilidades no que diz respeito à relação entre diferentes campos, partindo de dois principais contextos: o da produção fotográfica e o da produção textual escrita. Para isso, propusemos a relação entre fotografia e texto escrito sob dois principais vieses: o primeiro levou em consideração o fato de que fotografia também é texto e, por isso, estabelece pontos de estreitamento com a escrita, inclusive no que se refere à correspondência das linguagens; o segundo buscou pensar a produção de gêneros textuais a partir da fotografia, agregando entre esses dois pontos o processo de criação. Para isso, o projeto foi dividido em três etapas. A primeira contemplou os aspectos teóricos sobre o campo fotográfico e o campo textual; a segunda abordou os processos de escrita a partir de fotografias e seu teor narrativo; a terceira contemplou a compreensão e a reflexão acerca da constituição dos gêneros textuais e o processo artístico a partir das fotografias. Para dar conta desses aspectos, estabeleceu-se um diálogo baseado em conceitos relacionados às disciplinas de Letras, Física e Artes. Os encontros, que eram semanais e aconteciam de forma <em>on-line,</em> contaram com a participação da comunidade interna e externa. Em cada encontro, discutia-se um tema e, ao final, era proposto um desafio, para praticar os conceitos estudados, envolvendo escrita textual e/ou fotografia. Os resultados eram compartilhados com o grande grupo e, em seguida, divulgados no <em>Instagram</em>.</p> Michele Savaris, Cíntia Barbosa Passos, Claudia Zimmer de Cerqueira Cezar Copyright (c) 2021 Michele Savaris, Cíntia Barbosa Passos, Claudia Zimmer de Cerqueira Cezar https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1956 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Tópicos em Educação Antirracista: um projeto de Extensão na rede de ensino federal brasileira https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1954 <p>Este artigo tem como objetivo apresentar resultados de pesquisas efetuadas a partir do projeto de Extensão Tópicos em Educação Antirracista, uma ação de extensão que ofereceu formação a professores, funcionários e alunos tanto da comunidade externa quanto do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Alvorada, para a prática de uma educação antirracista. Ancorados na Lei 10.639, discutiu-se temas e questões relativas ao racismo e à educação antirracista, tendo como ponto de partida textos de literatura brasileira de escritoras negras, a saber, Maria Firmina dos Reis, Carolina Maria de Jesus, Eliane Alves Cruz, Conceição Evaristo, Cidinha da Silva, Ana Maria Gonçalves, Mirian Alves, Lia Vieira, Adriana Ortega, Giselle Maria e Débora Garcia. O projeto foi realizado em dez encontros on-line semanais de duas horas de duração, mediados por tecnologias de rede, como os aplicativos Google Classroom e Google Meet. O projeto surgiu como uma ferramenta para a aplicação de um plano de ação contra o racismo nas instituições de ensino. A ação de extensão contou com 82 participantes assíduos, sendo 62% formado por pessoas negras, 63% com ensino superior e 71,3% professores das redes municipal e estadual de diversos estados brasileiros. Vários profissionais relataram mudanças em práticas educativas a partir dos conhecimentos obtidos. Tivemos também a participação de três bolsistas de extensão do Ensino Médio Técnico que desenvolveram pesquisas de abordagem bibliográfica de caráter qualitativo referentes aos tópicos trabalhados. Os resultados dessas pesquisas são apresentados neste trabalho.</p> Giselle Maria Santos de Araujo, Stephanie Machado Paré, Victória Costa Alves Mariano, Natália Ceconelo Rodrigues Copyright (c) 2021 Giselle Maria Santos de Araujo, Stephanie Machado Paré, Victória Costa Alves Mariano, Natália Ceconelo Rodrigues https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1954 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Utilização de jogos como ferramentas pedagógicas em escolas públicas - relato de experiência do projeto Jogos Mentais https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1403 <p>O presente artigo tem por objetivo apresentar um relato sobre as intervenções didático-pedagógicas realizadas por meio de jogos inteligentes com estudantes da Educação Básica de escolas públicas do município de Diamantina e região, em Minas Gerais, e discutir sobre a importância do lúdico na aprendizagem de ciências. As ações foram realizadas por um grupo de estudantes e professores da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) no projeto de extensão universitária “Jogos Mentais: aprendendo e desafiando a mente”. Inicialmente, foi feito um levantamento sobre a visão de diversos autores sobre a temática do lúdico na educação. Na sequência, foram escolhidos os seguintes jogos para serem executados durante as oficinas nas escolas: quebra-cabeça, xadrez, damas, cubo mágico e uso da realidade virtual. Os dados para o relato foram obtidos por descrições feitas pelos ministrantes das oficinas a partir das suas experiências. Os resultados do presente artigo mostram a importância dos jogos como ferramentas pedagógicas e sociais. Além disso, a realização das oficinas revela elementos que foram observados por outros autores, que são: o aumento da atenção e o interesse dos estudantes, a motivação durante a aprendizagem e o desenvolvimento de competências relacionadas às interações sociais e ao trabalho interdisciplinar.</p> Everton de Paula, Olavo da Silva, Alexia Ribeiro, Felipe Silva, Joice Pacheco, Patrícia de Paula Copyright (c) 2021 Everton de Paula, Olavo da Silva, Alexia Ribeiro, Felipe Silva, Joice Pacheco, Patrícia de Paula https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1403 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Falando nisso, pessoal... Rodas de conversas virtuais em tempos de pandemia https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1410 <p>No primeiro semestre de 2020, no contexto mundial vivenciado pelo período de isolamento social e quarentena, ocasionado pela pandemia da COVID-19, tiveram início as atividades de ensino remotas e educação a distância. Para amenizar os impactos trazidos pelo distanciamento social, um grupo formado por docentes e discentes do Instituto Federal Catarinense – Campus Blumenau elaborou um projeto de extensão para interagir e manter a proximidade com a comunidade acadêmica, propondo rodas de conversa virtuais semanais. Este artigo tem como objetivo apresentar o relato sobre as alternativas educacionais propostas durante a pandemia. O projeto “Falando nisso, pessoal” ocorreu por meio da realização de eventos virtuais semanais, com o objetivo de aproximação e interação social com a comunidade durante este período de desafios diversos. Os eventos virtuais, realizados via plataforma do Google Meet, abordaram tópicos sobre ciência, educação, saúde, ambiente e tecnologia. Esses eventos proporcionaram à comunidade do IFC- Campus Blumenau, interação social, discussões, debates e descontração entre os participantes.</p> Karla Weber, Fernanda Zendron, Damian Larsen Bogo, Jomar Alberto Andreatta, Aline Bieger , Amanda Salm, Lara Schneider, Marcus Vinicius Copyright (c) 2021 Karla Weber, Fernanda Zendron, Damian Larsen Bogo, Jomar Alberto Andreatta, Aline Bieger , Amanda Salm, Lara Schneider, Marcus Vinicius https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1410 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Percepção dos professores sobre a importância do Projeto de Extensão "DR" na sala de aula https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1420 <p>O presente artigo se propõe a analisar a percepção dos professores de duas escolas da Rede Municipal de Ensino sobre a importância das 435 oficinas que o Projeto de Extensão #DR desenvolveu no decorrer do ano de 2019, envolvendo 710 discentes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental. O Projeto tem como objetivo promover o enfrentamento às vulnerabilidades que impactam o desenvolvimento integral do adolescente, juntamente com a comunidade escolar e os profissionais da Estratégia de Saúde da Família. Diante disso, as ações foram desenvolvidas através de metodologias ativas com inspiração Freiriana, que compreendem os estudantes como protagonistas de seu aprendizado, de modo que o saber produzido nas oficinas parte daquilo que faz sentido na realidade em que os adolescentes estão inseridos. Os professores avaliaram, por meio de um questionário estruturado, indicadores como a postura da equipe de extensionistas, a validade das atividades realizadas e as sugestões e/ou comentários que os docentes julgaram pertinentes. Na percepção dos professores, a validade das oficinas obteve pontuação entre 9,0 e 9,3 e a postura da equipe entre 9,0 e 9,7. Os comentários dos professores evidenciaram que os objetivos e premissas do Projeto estão em consonância com as recomendações do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação, agregando, ainda, melhorias que podem ser implementadas no Projeto. Constatou-se que as temáticas abordadas foram relevantes e que as ações favoreceram a promoção da saúde, o fortalecimento do desenvolvimento integral dos adolescentes e o enfrentamento de riscos e vulnerabilidades.</p> Duda Barbosa de Oliveira, Isabela Antonio Pereira, Gleice Barros da Silva, Luiz Felipe Tomio, Ana Caroline Dallasta, Jackeline Pires Domingues de Oliveira, Daniela Valcarenghi, Edneia Casagranda Bueno, Leia Viviane Fontoura Copyright (c) 2021 Duda Barbosa de Oliveira, Isabela Antonio Pereira, Gleice Barros da Silva, Luiz Felipe Tomio, Ana Caroline Dallasta, Jackeline Pires Domingues de Oliveira, Daniela Valcarenghi, Edneia Casagranda Bueno, Leia Viviane Fontoura https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1420 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Jardim sensorial como ferramenta didática e de inclusão https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1795 <p>Apesar da importância do componente curricular Floricultura, Paisagismo e Jardinagem oferecida no curso Técnico em Agropecuária, integrado ao Ensino Médio no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Rio do Sul, percebe-se que muitos estudantes não desenvolvem interesse pelos conteúdos dessa disciplina. Isso se manifesta em relatos dos próprios estudantes, nos quais revelam que não acham esses conteúdos importantes para sua vida profissional ou acadêmica. A utilização de projetos e de espaços não formais de ensino no processo educacional podem despertar o interesse dos estudantes pelos conteúdos dos componentes curriculares. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi implementar um jardim sensorial como ferramenta no processo de ensino/aprendizagem dos estudantes do primeiro ano do referido curso, no componente curricular Floricultura, Paisagismo e Jardinagem, e disponibilizar a sua utilização/visitação aos alunos atendidos pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Os resultados do projeto foram positivos, pois houve, por parte dos estudantes do IFC, sensibilização sobre o tema da inclusão social, além da dedicação no planejamento e implantação coletiva do jardim sensorial. Os estudantes avaliaram como positiva a estratégia de ensino fora do ambiente tradicional. Os alunos atendidos pela APAE, que visitaram o jardim sensorial, apresentaram melhora no desenvolvimento intelectual, motor, cognitivo e socioafetivo, além de demonstrarem grande entusiasmo na realização das atividades. Esta técnica apresenta potencialidade para ser utilizada continuamente como ferramenta no processo de ensino/aprendizado para todos os públicos, em especial, os com deficiência.</p> Alexandra Goede de Souza, Vera Lucia Freitas Paniz, Silvana Cony Quinteiro; Bruna de Assis Pereira; Orlando Bara, Brayon Cesar Lourenço Copyright (c) 2021 Alexandra Goede de Souza, Vera Lucia Freitas Paniz, Silvana Cony Quinteiro; Bruna de Assis Pereira; Orlando Bara, Brayon Cesar Lourenço https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1795 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Estágio supervisionado no formato de curso de Extensão na licenciatura em EPT do IFSC https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1953 <p>Este relato traz informações sobre uma experiência de estágio supervisionado realizado em formato de cursos de extensão por estudantes da Licenciatura em Educação Profissional e Tecnológica do Instituto Federal de Santa Catarina. Tal prática se deu durante o isolamento social causado pela pandemia de COVID-19, quando as instituições de ensino paralisaram suas atividades presenciais. Os cursos fizeram parte de um projeto de extensão coordenado pelos professores de estágio e foram planejados e executados pelos discentes da referida licenciatura, tendo como público-alvo estudantes de nível médio. Apresentando como tema geral a escolha profissional e o mundo do trabalho, os cursos partiram das formações e carreiras dos próprios discentes extensionistas e resultaram em vivências bastante significativas, tanto para os estudantes envolvidos quanto para a comunidade e para a própria instituição. Tal experiência abre espaço para a reflexão sobre as possibilidades de relacionar estágio e extensão, estimulando uma presença ainda maior de oportunidades da extensão na formação docente ofertada pelos institutos federais.</p> Caroline Lengert, Kenia Mara Gaedtke Copyright (c) 2021 Caroline Lengert, Kenia Mara Gaedtke https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1953 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Encontro de Tecnologia da Informação de União da Vitória https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1965 <p>Este relato de experiência tem como objetivo apresentar e discutir os impactos do Encontro da Tecnologia da Informação de União da Vitória – Entec, evento promovido pelo Instituto Federal do Paraná (IFPR), campus União da Vitória, entre os anos de 2016 e 2020. Trata-se, pois, de um relato baseado em pesquisa qualitativa mista (QUAL-quan), conforme Sampieri et al (2013), uma vez que, para fornecer subsídios ao relato, foram coletados dados qualitativos e quantitativos sobre o evento. Além dos dados extraídos do site e dos documentos do evento, foi aplicado um questionário aos partícipes, independentemente da edição da qual tenham participado. Por meio da análise dos dados foi possível: 1) observar o trajeto do evento e sua ampliação ao longo dos anos; 2) registrar o histórico do Entec; 3) compreender e registrar o impacto do evento na vida acadêmica e profissional dos participantes. Tal movimento reflexivo permite avaliar o impacto do evento e compartilhar com a comunidade acadêmica as experiências, desafios e possibilidades de ajustes e ampliação do evento, para que permaneça atualizado e em constante aperfeiçoamento.</p> Alex Mateus Porn, Lorena Izabel Lima, Thaís Verônica Schmitk Copyright (c) 2021 Alex Mateus Porn, Lorena Izabel Lima, Thaís Verônica Schmitk https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1965 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Aplicação de protótipo de microscópio de baixo custo como estratégia para o ensino de ciências e conscientização ambiental https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1963 <p class="Resumoartigo">Aulas práticas de ciências são importantes recursos metodológicos no processo ensino-aprendizagem dos alunos. No entanto, muitas escolas públicas brasileiras possuem escassa estrutura laboratorial, o que dificulta o desenvolvimento de atividades práticas. Este projeto de extensão teve como objetivo relatar o desenvolvimento de uma estratégia pedagógica interdisciplinar, abrangendo diversas áreas no ensino de Ciências, como conceitos de educação ambiental, citologia e óptica, por meio da construção e aplicação de um protótipo de microscópio, confeccionado com materiais eletroeletrônicos reutilizáveis, e outros de baixo custo. Participaram do projeto cento e vinte seis alunos, de escolas públicas do ensino fundamental. Foram ministradas oficinas compostas por: a) aula teórica e dinâmica abordando conceitos sobre a célula, física do microscópio e educação ambiental (resíduos sólidos e eletroeletrônicos, reciclagem e reutilização de resíduos, separação e responsabilização), b) aula prática com construção de protótipo de microscópio e c) questionário avaliativo. A atividade foi fundamentada nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS - ONU), visando à educação de qualidade e consumo <span style="color: black;">e</span> produção responsáveis, assim como na observação e experimentação como estratégia didática para a obtenção e assimilação de informações. Os resultados indicaram melhora na compreensão, por parte dos estudantes, de conceitos relacionados aos resíduos, células e funcionamento de um microscópio, confirmando a contribuição da atividade na melhoria do processo ensino–aprendizagem de ciências e conscientização ambiental. O protótipo, por ser de baixo custo e de fácil operação, pode aprimorar a infraestrutura de ensino das escolas, além de ser uma ferramenta interessante para auxiliar no ensino à distância.</p> Isabela Maria Martins, Aline da Graça Sampaio, Gabriela dos Santos Simões, Júlia Gaspar Barbosa Corrêa, Caroline Souza Senkiio, Laura Caldini Fujii, Mariana Raquel da Cruz Vegian, Maria Alcionéia Carvalho de Oliveira e Campos, Lady Daiane Pereira Leite, Clélia Aparecida de Paiva, Suzelei Rodgher, Cristiane Yumi Koga-Ito Copyright (c) 2021 Isabela Maria Martins, Aline da Graça Sampaio, Gabriela dos Santos Simões, Júlia Gaspar Barbosa Corrêa, Caroline Souza Senkiio, Laura Caldini Fujii, Mariana Raquel da Cruz Vegian, Maria Alcionéia Carvalho de Oliveira e Campos, Lady Daiane Pereira Leite, Clélia Aparecida de Paiva, Suzelei Rodgher, Cristiane Yumi Koga-Ito https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1963 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Segurança dos alimentos: merendeiras conhecendo a microbiologia para promoção do alimento seguro na escola https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1342 <p>As doenças transmitidas por alimentos (DTAs) constituem uma das principais preocupações da saúde pública. Os manipuladores de alimentos precisam estar cada vez mais conscientes dos riscos que existem ao manusearem os alimentos de maneira inadequada. Muitas DTAs podem ser prevenidas se os manipuladores forem mais bem capacitados e conscientizados dos cuidados necessários para as boas práticas de higiene na manipulação de alimentos. Sendo assim, o objetivo deste projeto de extensão foi promover a segurança dos alimentos na escola ao proporcionar às merendeiras e aos auxiliares de cozinha, conhecimentos de microbiologia por meio de aulas teórico-práticas sobre microbiologia básica, coloração de Gram, microbiota, importância dos microrganismos para os alimentos, microrganismos patogênicos, desinfecção de alimentos e aspectos nutricionais. As aulas foram ministradas por discentes de programas de Pós-graduação da Universidade Estadual de Londrina. Atendemos 220 merendeiras de Londrina e região e, através de entrevistas, ouvimos seus relatos sobre as mudanças nas práticas realizadas na preparação de alimentos dentro das escolas e em suas casas; relataram também a importância do curso na aprendizagem sobre os cuidados e higienização dos alimentos. Como parte da avaliação do curso, algumas turmas responderam um questionário, antes e após o curso, sobre o conteúdo ministrado. Assim, foi constatado que o projeto promoveu uma maior conscientização dos cuidados com a manipulação de alimentos e quanto ao importante papel das merendeiras na promoção da saúde nas escolas.</p> Bruna Carolina Gonçalves, Victor Hugo Clébis, Natália Harumi Niguma, Leonardo Pinto Medeiros, Miriam Dibo, Clísia Mara Carreira, Gerson Nakazato, Renata Katsuko Takayama Kobayashi Copyright (c) 2021 Bruna Carolina Gonçalves, Victor Hugo Clébis, Natália Harumi Niguma, Leonardo Pinto Medeiros, Miriam Dibo, Clísia Mara Carreira, Gerson Nakazato, Renata Katsuko Takayama Kobayashi https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1342 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Projeto de Extensão Universitária Fisioterapia na Atenção Materno-Infantil: relato de experiência https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1626 <p>Este artigo aborda um relato de experiência das ações desenvolvidas no projeto de extensão “Fisioterapia na Atenção Materno-Infantil”. Esse projeto teve por objetivo promover a melhoria da qualidade de atenção à saúde das gestantes. O projeto realizou palestras mensais sobre alterações que ocorrem no período gestacional e orientações sobre o desenvolvimento motor no primeiro ano de vida da criança. Docentes e discentes do projeto realizaram também avaliações fisioterapêuticas (individuais) e exercícios terapêuticos para aliviar os desconfortos relatados pelas gestantes. As alterações mais frequentes verificadas junto às gestantes foram: náuseas, vômitos, falta de ar, dor e/ou desconforto caracterizada como pontada nas regiões lombar e/ou abdominal. Dessa forma, através do acompanhamento das gestantes, foi possível atuar nas alterações decorrentes da gestação ao puerpério, além de oferecer orientações sobre como estimular os bebês no primeiro ano de vida. Ressalta-se assim, a importância da fisioterapia em gestantes, para minimizar os desconfortos e preparação para o parto, além do papel fundamental que o fisioterapeuta desempenha no acompanhamento do desenvolvimento motor infantil.</p> Eloá Ferreira Yamada, Érica Souza da Silva, Denielle Machado Scholten, Eloá Maria dos Santos Chiquetti Copyright (c) 2021 Eloá Ferreira Yamada, Érica Souza da Silva, Denielle Machado Scholten, Eloá Maria dos Santos Chiquetti https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1626 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Relatos de Extensão: um projeto online com práticas do yoga https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1744 <p>Este relato de experiência sintetiza as atividades desenvolvidas em um projeto de Extensão, realizado em seis encontros <em>on-line</em> organizados por servidoras de uma instituição tecnológica de ensino, discentes e pessoas da comunidade externa. A proposta foi demanda de estudantes que participaram da modalidade presencial do referido projeto. Objetivamos a divulgação do <em>Yoga</em> enquanto exercício saudável durante a pandemia de COVID-19, em 2020, através de práticas semanais cujos temas foram apontados pelo grupo ao longo dos encontros: o que é o <em>Yoga</em>; concentração; aprendizagem; positividade; <em>Yoga</em> laboral; a importância da respiração. As inscrições e aulas foram realizadas em plataformas virtuais abertas para a comunidade. O formulário de cadastro permitiu delinear os hábitos de saúde e as percepções dos/as participantes quanto ao momento pandêmico e as suas expectativas em relação ao <em>Yoga</em>. Apresentamos o processo de desenvolvimento, os registros de cada encontro e as reflexões sobre essa atividade de Extensão. Os resultados indicaram que o <em>Yoga</em> é um elemento importante para atividades extensionistas, na medida em que promoveu uma ação saudável, aproximando servidores/as, estudantes e comunidade externa num contexto ímpar de adoecimento.</p> <p class="palavras-chaveCxSpLast"> </p> Evelyn Raquel Carvalho, Maria Sara de Lima Dias, Aline Tschoke , Jucelia Cristiane Gonçalves Ferrarini, Mariana Corrêa de Azevedo, Mariana Cordeiro Clarinda, Paula Corrêa de Azevedo, Perola Machado de Souza Copyright (c) 2021 Aline Tschoke , Evelyn Raquel Carvalho, Jucelia Cristiane Gonçalves Ferrarini, Mariana Corrêa de Azevedo, Mariana Cordeiro Clarinda, Maria Sara de Lima Dias, Paula Corrêa de Azevedo, Perola Machado de Souza https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1744 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Extensão Universitária: promovendo o aleitamento materno em tempos de pandemia https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1962 <p>A Organização Mundial da Saúde recomenda a amamentação exclusiva durante os primeiros seis meses de vida e complementada até os dois anos, visto os inúmeros benefícios desta prática para díade mãe-bebê. O projeto de extensão Falando em Amamentação visa a promover e apoiar o aleitamento materno por meio da divulgação do conhecimento na área a fim de assegurar às gestantes, puérperas e profissionais da saúde auxílio e informações seguras quanto à prática. Este trabalho objetiva descrever como se deram as ações presenciais e como foram adaptadas remotamente, com o mesmo foco de informar e motivar o público-alvo quanto à importância da amamentação, mostrando que, mesmo em tempos de crise, é possível desenvolver novas habilidades. Para contemplar tal objetivo, a partir de reuniões virtuais, o projeto se organizou e se reinventou através de posts no Instagram, lives, oficinas, campanhas, produção de cartilhas, participação em congressos e eventos online e produções científicas. Neste período, no Instagram foram desenvolvidas 38 publicações e obtiveram-se 444 seguidores com alcance médio de 229 contas e 295,7 impressões. Foram oferecidas 3 oficinas teórico-práticas e uma live. Contou-se com a produção e publicação de artigos científicos, resumos, campanha e capítulo de livro, conquistando duas premiações no âmbito científico. Diante do quadro pandêmico, o projeto conseguiu difundir o conhecimento com o público-alvo, materno-infantil e estudantes de graduação, compartilhando informações seguras e promovendo o aleitamento materno.</p> Raquel Ruzicki Pereira, Eduarda Costa da Rosa, Gabriela Bianchi, Liandra Fritzen, Alexia Diovana Fernandes da Rocha , Marcia Angelica Peter Maahs, Sheila Tamanini de Almeida, Monalise Costa Batista Berbert Copyright (c) 2021 Raquel Ruzicki Pereira, Eduarda Costa da Rosa, Gabriela Bianchi, Liandra Fritzen, Alexia Diovana Fernandes da Rocha , Marcia Angelica Peter Maahs, Sheila Tamanini de Almeida, Monalise Costa Batista Berbert https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1962 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Plataforma digital para interação social dos Engenheiros sem Fronteiras - núcleo Belo Horizonte https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1343 <p>Neste trabalho, foi desenvolvida uma plataforma digital de comunicação e interação social para a Organização da Sociedade Civil Engenheiros Sem Fronteiras - Núcleo Belo Horizonte. A organização presta apoio social em Belo Horizonte e região metropolitana. Desde sua fundação, já atuou em mais de 50 projetos, beneficiando diretamente mais de 3.500 pessoas. A plataforma é composta por um <em>website</em> responsivo e um aplicativo para dispositivos móveis. O objetivo de desenvolver o <em>website</em> foi divulgar informação institucional, promover o voluntariado e possibilitar o recebimento de recursos financeiros através de doações. Por outro lado, o objetivo de desenvolver o aplicativo foi criar uma rede entre entidades do terceiro setor e comunidades carentes, promovendo interação entre prestadores de serviço e a população. O trabalho foi conduzido com base na metodologia <em>Scrum</em> para desenvolvimento ágil. A justificativa para desenvolvimento da plataforma foi a ampliação da presença organizacional no ambiente digital. A relevância do trabalho para a organização e para a sociedade foi o fortalecimento da comunicação institucional, a melhoria do recebimento de doações e a criação de uma rede solidária entre Organizações da Sociedade Civil, comunidades e cidadãos em situação de vulnerabilidade social. Assim, o trabalho se juntou a outros esforços para o combate às desigualdades sociais na região. O resultado do trabalho foi uma plataforma que segue os princípios para melhoria de usabilidade e da experiência do usuário, ampliando a capacidade de atuação da organização. A plataforma ajudou a promover o desenvolvimento social e profissional dos cidadãos nas áreas assistidas pela instituição.</p> Gabriel Henrique Souza Prado, João Pedro Coelho Jácome, Francisco Augusto Fontoura, Daniel Henrique Matos de Paiva, Luísa Mosqueira Marchese, Marcos Paulo Souza Silva, Samuel França Duarte, Wesley Dias Maciel Copyright (c) 2021 Gabriel Henrique Souza Prado, João Pedro Coelho Jácome, Francisco Augusto Fontoura, Daniel Henrique Matos de Paiva, Luísa Mosqueira Marchese, Marcos Paulo Souza Silva, Samuel França Duarte, Wesley Dias Maciel https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1343 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 “Projeto Saber Viver”: estratégias para garantir a mobilização e participação social na construção dos planos municipais de saneamento básico em Rondônia https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1368 <p>A situação do saneamento básico brasileiro tem um contexto marcado por precariedades. Sanear essa realidade, primariamente, requer um bom planejamento estratégico. Seguindo as diretrizes nacionais, os municípios brasileiros são os responsáveis por formular suas respectivas políticas públicas de saneamento básico, ficando obrigados a elaborar seus Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSBs). No Estado de Rondônia, atualmente dezenove municípios estão realizando a construção de seus PMSBs, contando com assessoramento técnico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), por meio do “Projeto Saber Viver” (Portaria nº 1876/REIT-CGAB/IFRO), uma cooperação entre a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) e o IFRO, por meio do Termo de Execução Descentralizada (TED) 08/2017. A participação e o controle social no processo de construção de políticas públicas é um fator determinante e um instrumento eficiente de transformação da realidade local. Nessa perspectiva, o presente artigo explicita a elaboração e aplicação das Estratégias Participativas referentes à Mobilização, Participação Social e Comunicação para a construção do PMSB nos municípios atendidos pelo Projeto, delineando as etapas e contextualização destas estratégias, bem como sua eficácia.</p> Ricardo Teixeira Gregório de Andrade, Augusto Rodrigues de Sousa, Débora Cristina Castro de Sousa, Eloísa Santana Paz, Maíra Silva Ribeiro, Tania Olinda Lima, Antonio dos Santos Junior Copyright (c) 2021 Ricardo Teixeira Gregório de Andrade, Augusto Rodrigues de Sousa, Débora Cistina Castro de Sousa, Eloísa Santana Paz, Maíra Silva Ribeiro, Tania Olinda Lima, Antonio dos Santos Junior https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1368 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Trabalho e educação em tempos de pandemia: relato de experiência https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1796 <p>Neste relato de experiência, descrevemos e analisamos as atividades realizadas pelo Grupo de Estudos em Atualidades (GEA) do IFC, que conta com a participação de servidores de diversos campi e da reitoria, ao longo de 2020. Essas atividades tiveram como objetivo refletir acerca da situação econômica, política, social e sanitária enfrentada pelos trabalhadores durante a pandemia de Covid-19. O grupo de pesquisa realizou reuniões e seminários virtuais, que, além dos membros do GEA, reuniram estudantes de graduação e de pós-graduação de outras instituições, bem como trabalhadores em educação de diversos estados. Ademais, procuramos, neste relato de experiência, mostrar como os debates e reflexões apresentados ao longo das atividades podem contribuir para a ação política da classe trabalhadora.</p> Michel Goulart da Silva, Ricardo Scopel Velho, Roberta Raquel Copyright (c) 2021 Michel Goulart da Silva, Ricardo Scopel Velho, Roberta Raquel https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1796 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 A Extensão como ampliação educacional: a experiência do projeto “Café com Segurança” https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1348 <p>O Curso Técnico em Segurança do Trabalho forma profissionais de nível médio em Segurança do Trabalho para que atuem em sociedade executando as atribuições que a profissão requer. Para além de formar tecnicamente, há a expectativa de uma educação libertadora que estimule a crítica e a reflexão. Nesse contexto, objetiva-se entender a complementação e expansão da aprendizagem, provocadas por meio do projeto de extensão nomeado Café com Segurança, desenvolvido no período de 2016 a 2019, em uma unidade de ensino da rede federal de educação. A metodologia de análise selecionada foi mista, tomando como fonte as avaliações entregues e respondidas pelo público participante ao final de cada evento. O projeto de extensão proporcionou aos estudantes o contato e a troca de experiências com profissionais renomados, em áreas correlatas à Segurança e Saúde no Trabalho (SST), em 23 eventos organizados e efetivados. Sendo assim, o projeto se constituiu positivamente no contexto de formação, trazendo igualmente aos egressos momentos de retorno para atualização de conhecimentos, contribuindo para sua reflexão, crítica e manutenção no mercado de trabalho.</p> Fernanda Zanotti, Márcia Elizabéte Schüler, Andreia Lemes Donatti Copyright (c) 2021 Fernanda Zanotti, Márcia Elizabéte Schüler, Andreia Lemes Donatti https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1348 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000 Reproduza conhecimento: do campo ao ambiente virtual https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1964 <p>O surto de COVID-19 exigiu que a sociedade se adaptasse a um novo formato de realizar as tarefas corriqueiras. O mesmo ocorreu com o programa de extensão rural “Reproduza”. O projeto passou a organizar palestras on-line sobre temas pertinentes à área de reprodução de ruminantes e relatar as atividades realizadas pelo programa de extensão com pequenos informativos técnicos semanais na rede social Instagram (@ifc.reproduza), criada especialmente para esse fim. Entre os meses de setembro e novembro de 2020, foram organizados dois ciclos com três palestras em cada, em formato on-line pela plataforma Google Meet. Foram realizadas pesquisas de satisfação sobre cada tema abordado e solicitadas sugestões para os próximos ciclos. Para a análise estatística dos dados, utilizou-se a comparação de proporções. Foram publicados na página do projeto 125 postagens informativas com temas pertinentes à área da reprodução de ruminantes e divulgação das atividades executadas durante a pandemia, respeitando todos os critérios de segurança. Quanto aos dois ciclos de palestras, o público ouvinte foi de cerca de 400 pessoas. Os estudantes que participaram eram oriundos de mais de 85 universidades diferentes, de 23 estados brasileiros e duas dessas universidades eram internacionais. Os resultados obtidos mostram o ambiente virtual como ferramenta eficaz para socialização das atividades de campo e capacitação, facilitando o estreitamento da relação entre instituição, professor, estudantes e comunidade externa.</p> Lucio Pereira Rauber, Diullay Cássia Venâncio Amaral Copyright (c) 2021 Lucio Pereira Rauber, Diullay Cássia Venâncio Amaral https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/1964 Wed, 30 Jun 2021 00:00:00 +0000