Linguagem audiovisual na educação básica:

a violência em foco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21166/rext.v8i16.2098

Palavras-chave:

Violência, Cinema., Educação Básica., Extensão Comunitária.

Resumo

Este relato de experiência apresenta e discute uma das ações desenvolvidas, em parceria, por dois projetos de extensão do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação da Universidade Federal de Goiás: “Rompendo o Silêncio” e “Sessão Corujinha”. A atividade presencial consistia na exibição de filmes, seguida de roda de conversa entre estudantes e especialistas em questões de infância e adolescência. Devido à pandemia causada pelo Corona vírus, ela foi repensada e organizada de forma virtual, por meio do canal oficial dessa universidade no Youtube. Para as sessões cinematográficas mensais, agora disponíveis no período noturno, passaram a ser exibidos apenas curtas metragens, cujo foco de reflexão e debate traz à tona questões que se mostraram caras a estudantes dos anos finais de ensino fundamental e de ensino médio, que em 2019 buscaram o Setor de Psicologia Escolar com queixas principalmente relacionadas à violência doméstica e escolar. A partir de uma perspectiva teórica que compreende que toda e qualquer linguagem, seja ela alfabética ou não, se presta a apresentar o mundo em seu aspecto simbólico como uma forma de manifestação e criação humana, os diálogos proporcionados por esses encontros visuais e virtuais têm contribuído para a ampliação do debate sobre as diversas formas de violência, buscando possibilidades de prevenção e conscientização, bem como para fruição estética em linguagem visual e audiovisual da comunidade participante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BERGALA, Alain. A hipótese-cinema. Rio de Janeiro: Booklink; Cinead-lise – FE/UFRJ: 1988.

BERNADET, Jean-Claude. Brasil em tempo de cinema: ensaios sobre o cinema brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1978.

CERQUEIRA, Daniel, et. al. Atlas da Violência 2021. São Paulo: FBSP, 2021.

GRIFFONI, Rena Mafra. O silêncio na violência. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Violência Doméstica e familiar na COVID-19. Cartilha da série “Saúde Mental e Atenção Psicossocial na pandemia COVID-19”. Fiocruz, 2020.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Relatório Mundial sobre violência e saúde. Krug, Etienne G. et al. (Orgs.). Genebra: OMS, 2002.

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Disque Direitos Humanos – Relatório 2019. Brasília, 2020.

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Painel de dados da ONDH. Brasília, 2021. Acesso de https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh/paineldedadosdaondh.

ROCHA, Maria Alice de S. C.; RODRIGUES, Sonia M. Sessão Corujinha: memória, tempo e narrativas. In: Cinema e formação: concepções estéticas e pedagógicas. Fabrício de David de Queiroz et al. (Orgs.). Campinas, SP, 2021. P.145-156.

SILVA, Maria Aparecida Alves da. A violência física intrafamiliar como método educativo punitivo-disciplinar e os saberes docentes. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

TARKOVSKY, Andreaei. Esculpir o tempo. São Paulo: 1988.

Downloads

Publicado

13-12-2021

Como Citar

SOUZA, A. C.; MESQUITA , D. N. de C.; CARVALHO , M. A. S. Linguagem audiovisual na educação básica:: a violência em foco. Extensão Tecnológica: Revista de Extensão do Instituto Federal Catarinense, Blumenau, v. 8, n. 16, p. 108–117, 2021. DOI: 10.21166/rext.v8i16.2098. Disponível em: https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/2098. Acesso em: 3 fev. 2023.