Live sob demanda:

uso do YouTube como meio de interação, de construção do conhecimento e de renda extra para comunidade acadêmica do IFPR, Campus Assis Chateaubriand

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21166/rext.v8i16.2046

Palavras-chave:

Formação Estudantil, YouTube, Live sob demanda, Primeiro emprego

Resumo

A formação acadêmica no Instituto Federal do Paraná (IFPR) Campus Assis Chateaubriand vai além dos conteúdos ministrados em sala de aula, uma vez que a vivência estudantil apresenta demandas que se relacionam com saberes indiretamente associados à sala de aula, mas que auxiliam na formação acadêmica e humanitária. Nessa perspectiva, o projeto de extensão Live Sob Demanda objetiva promover transmissões ao vivo, por meio do YouTube, que abordem temas relevantes ausentes ou pouco trabalhados durante a formação estudantil. As temáticas, discutidas de forma online por professores, discentes, egressos e por outros convidados, abrangem diversas áreas de conhecimento e discorrem de conteúdos variados. Assim, o projeto permite a interação entre instituição, comunidade e estudantes por meio dos comentários nos vídeos e durante as lives, e também propicia um ambiente colaborativo para a construção do conhecimento e para o compartilhamento de experiências. Para mais, os estudantes partícipes do projeto, além de elaborarem os roteiros e as apresentações dos vídeos, o que estimula a aprendizagem de novos conhecimentos, têm a possibilidade de se familiarizar com a produção de conteúdo audiovisual apoiado pelos professores. Desse modo, o contato com o ambiente das lives e dos vídeos, desde sua organização até sua execução, oportuniza aos acadêmicos a criação de seu próprio perfil na rede social, podendo produzir novos conteúdos que sejam candidatos a remuneração na plataforma. Desta forma, ingressam no mercado de trabalho, seja como primeiro emprego ou como renda complementar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BERNARDAZZI, R.; COSTA, M. H e V. Produtores de conteúdo no Youtube e as relações com a produção audiovisual. Revista Communicare, São Paulo, 2017. Disponível em: https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2017/09/Artigo-7-Communicare-17-Edi%C3%A7%C3%A3o-Especial.pdf Acesso em: 03 jan. 2021.

BURGESS, J.; GREEN, J. YouTube e a revolução digital: como o maior fenômeno da cultura participativa transformou a mídia e a sociedade. São Paulo: Aleph, 2009.

CONIF/FORPROEXT. Contribuições para a Política de Extensão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Fórum de Pró-Reitores de Extensão ou Cargos Equivalentes das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica – FORPROEXT – 2015. Disponível em: <http://portal1.iff.edu.br/extensao-e-cultura/arquivo/2016/xiii-forproext-contribuicoes-para-apolitica-de-extensao-da-rede-federal-de-educacao-profissional-cientifica-e-tecnologica-2015.pdf>. Acesso em: 03 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.36524/profept.v5i2.1400

CORTEZ, T. O indissociável tripé ensino, pesquisa e extensão na formação do profissional jurista apto a atuar nas demandas sociais. Revista Estudantil Manus Iuris, v. 1, n. 1, p. 43 - 49, 5 ago. 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/rmi/article/view/9474> Acesso em 10 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.21708/issn2675-8423.v1i1r9474.2020

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa, ed. 16. São Paulo: Ed Paz e Terra, 1996.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas da Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, v. 1, 2008.

FILIAÇÃO INSTITUCIONAL. Estatuto do FILIAÇÃO INSTITUCIONAL. Aprovado pela Resolução nº 13/2011-CONSUP, retificado pela Resolução nº39/2012-CONSUP e pela Resolução nº 02/2014-CONSUP. Disponível em: https://reitoria.filiação institucional.edu.br/wpcontent/uploads/2010/06/Estatuto-Consolidado-em-08.04.2014.pdf. Acesso em: 03 jan. 2021.

______. Resolução nº 11, de 27 de março de 2018. Aprova o regulamento das atividades de extensão do Instituto Federal do Paraná. Disponível em: https://reitoria.filiação institucional.edu.br/resolucao-no-11-2018/. Acesso em: 03 jan. 2021.

LARA, M. L. G. de; CONTI, V. L. Disseminação da informação e usuários. São Paulo em Perspectiva, v. 17, n. 3-4, p. 26-34, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-88392003000300004

LIMA JUNIOR, W. T. Mídia social conectada: produção colaborativa de informação de relevância social em ambiente tecnológico digital. Líbero, São Paulo, v. 12, n. 24, p. 95-106, dez./2009.

MACHADO, V. M. Algumas reflexões sobre as concepções de extensão universitária. Revista Científica Semana Acadêmica. Fortaleza, ano MMXIII, nº. 000035,2013. Disponível em: <http://abre.ai/aJM2>. Acesso em: 05 jan. 2020.

RECUERO, R. Redes Sociais na Internet, Difusão de Informação e Jornalismo: Elementos para discussão. In: SOSTER, Demétrio de Azeredo; FIRMINO, Fernando. (Org.). Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2009.

UMBELINA, Vanessa. REDES SOCIAIS: ALIADAS OU VILÃS DA EDUCAÇÃO? Hipertextus, Recife, v. 9, n. 9, p. 100-112, 09 dez. 2012. Semestral. ISSN 1981-6081. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/hipertextus/issue/viewIssue/3063/305. Acesso em: 26 jan. 2021.

Downloads

Publicado

13-12-2021

Como Citar

TRENTIN, A. K.; FELIPPSEN, E. A.; KOSHITA, L. H. Live sob demanda:: uso do YouTube como meio de interação, de construção do conhecimento e de renda extra para comunidade acadêmica do IFPR, Campus Assis Chateaubriand . Extensão Tecnológica: Revista de Extensão do Instituto Federal Catarinense, Blumenau, v. 8, n. 16, p. 69–81, 2021. DOI: 10.21166/rext.v8i16.2046. Disponível em: https://publicacoes.ifc.edu.br/index.php/RevExt/article/view/2046. Acesso em: 4 fev. 2023.