Análise da infraestrutura médica da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul (RS) e dispersão da COVID-19

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rivaldo Mauro de Faria
Romario Trentin
Carina Petsch
Anderson Sccoti
Maurício Rizzatti
Natália Lampert Batista
Pedro Leonardo Cezar Spode
Douglas Bouvier Erthal
Ricardo Vieira da Silva
João Henrique Quoos
Iago Turba Costa

Resumo

Diante da atual dispersão da COVID-19, o objetivo deste artigo é avaliar espacialmente o aumento de número de casos na 4a Coordenadoria Regional de Saúde (4a CRS) do estado do Rio Grande do Sul (RS), buscando relações com o Índice de Privação Social (IPS), mobilidade e população residente, assim como avaliar a infraestrutura hospitalar destes municípios. Os dados foram obtidos: na Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul; IBGE; e DATASUS. O Índice de Privação Social foi definido através dos dados do Atlas de Desenvolvimento Humano e os dados da infraestrutura hospitalar dos municípios obtidas junto aos municípios através do observatório da COVID-19 da UFSM. É observado um padrão de interiorização da COVID-19, até 6 de junho de 2020, foram 11 municípios com novos casos. Quanto ao IPS na 23ª semana epidemiológica dos 14 municípios com casos confirmados, 6 apresentavam o IPS acima de 0,416, confirmando a dispersão da COVID-19 para municípios com maiores vulnerabilidades. Por fim, municípios que demandam de atenção para as próximas semanas são: Formigueiro que possui 1.055,03 casos confirmados por 100 mil habitantes e Itacurubi que apresenta alta privação social, não tem hospital e a taxa de confirmados por 100 mil habitantes é a segunda mais alta da 4a CRS com o valor de 261,55. A COVID-19 encontra-se em processo de expansão na 4ªCRS, atingindo municípios com baixo potencial para o tratamento da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
de Faria, R. M. ., Trentin, R., Petsch, C. ., Sccoti, A., Rizzatti, M. ., Lampert Batista, N. ., Cezar Spode, P. L. ., Bouvier Erthal, D. ., Vieira da Silva, R. ., Quoos, J. H. ., & Turba Costa, I. . (2020). Análise da infraestrutura médica da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul (RS) e dispersão da COVID-19. Metodologias E Aprendizado , 3, 114 - 137. https://doi.org/10.21166/metapre.v3i0.1314
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Rivaldo Mauro de Faria, Universidade Federal de Santa Maria

Possui Graduação em Geografia (FFCL-OF, 1998); Especialização em Estudos Ambientais (PUC-MINAS, 2005); Mestrado em Geografia (IG/Unicamp, 2008); Doutorado em Geografia (IG/Unicamp, 2012) e Pós-Doutorado em Geografia (Universidade de Coimbra, PT, 2013). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), cursos de Graduação e Pós-Graduação, e coordenador do Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS).

Romario Trentin, Universidade Federal de Santa Maria

Possui Graduação em Geografia Licenciatura pela Universidade Federal de Santa Maria (2004), Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Maria (2007) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (2011). Atualmente, é Professor Associado da Universidade Federal de Santa Maria.

Carina Petsch, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Geografia (Bacharelado) pela Universidade Estadual de Maringá (2011), mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018). Em 2017 participou do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior da CAPES, desenvolvendo seu projeto na Universidade Friedrich Alexander (FAU), na área de Sensoriamento Remoto.

Anderson Sccoti, Universidade Federal de Santa Maria

Bacharel em Geografia, formado na Universidade Federal de Santa Maria. Mestre em Geografia pela UFSM, área de concentração: análise ambiental e dinâmica espacial, linha de pesquisa meio ambiente, paisagem e qualidade ambiental. Doutor em geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, área de concentração: análise ambiental . Tem experiência em: SIG's (Sistemas de Informações Geográficas) como ArcGis, Envi, Spring; GPS (Sistemas de Posicionamento Global) e/ou GNSS(Sistema de Navegação por Satélite); CAD's como o Auto Cad; e programas editores de imagens como Corel Draw e PhotoShop. Trabalha com geociências e cartografia temática voltada há mapeamentos pedológicos, geológicos, geomorfológicos, geoambientais e identificação de áreas com risco geomorfológicos desde de 2010. Professor do departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Maria.

Maurício Rizzatti, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorando em Geografia (Passagem Direta para o Doutorado) pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). É Mestre e Licenciado em Geografia pela UFSM. É integrante do Laboratório de Cartografia e pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS) da UFSM. Foi integrante do grupo de pesquisa Núcleo de Estudos Regionais e Agrários (UFSM). É colaborador do Observatório de dados da COVID-19 da UFSM. Pesquisa na área de Cartografia, Geoprocessamento, Cartografia Escolar e a Teoria das Inteligências Múltiplas, Geotecnologias, Sensoriamento Remoto na Educação Básica; Geografia Física, Geografia Urbana e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC)

Natália Lampert Batista, Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em Geografia (Licenciatura) pelo Centro Universitário Franciscano (2013). Mestra e Doutora em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 2015 e 2019 respectivamente). Pós-doutoranda em Geografia (PPGGeo/UFSM) e bolsista do Programa Nacional de Pós-doutorado (PNPD) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Professora de Geografia (Anos Finais) na Prefeitura Municipal de Santa Maria (PMSM) em Licença de Interesse Particular (Portaria nº 1586/SMG de 19 de julho de 2019). Colaboradora no Observatório de Dados da COVID-19, UFSM (2020)

Pedro Leonardo Cezar Spode, Universidade Federal de Santa Maria

Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atua no campo da Geografia Humana, com ênfase em Geografia Urbana, principalmente nos seguintes temas: planejamento urbano, desigualdades socioespaciais urbanas, pobreza urbana, privação social, verticalização urbana, entre outros temas ligados ao urbano e a cidade. Possui mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO - UFSM), com pesquisa voltada para a investigação da pobreza e da privação social na cidade de Santa Maria, RS. Membro do Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS).

Douglas Bouvier Erthal, Universidade Federal de Santa Maria

Mestrando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). É graduado em Geografia (Licenciatura) pela mesma instituição. Tem desenvolvido, desde 2015, pesquisas relacionadas à processos territoriais de saúde-doença, planejamento de serviços de saúde do SUS. Atuou em projetos de extensão junto a secretarias municipais de saúde da região central do RS a partir 2016. Possui experiência nas áreas de planejamento urbano, territorial e desenvolvimento regional. É pesquisador e membro do Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS - UFSM), colaborador do Grupo de Pesquisa em Sífilis Congênita (SICO - UFSM) e integrante do Observatório de dados da Covid-19 - UFSM.

Ricardo Vieira da Silva, Universidade Federal de Santa Maria

Formado em Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia/Sergipe - Campus São Cristóvão em 2012. Atuou como Membro Gestor no Arranjo Produtivo Local Apicultura no Sertão Alagoano, dando assistência técnica e apoio organizacional aos apicultores do Município de Piranhas, Al. Em 2006 foi um dos sócios-fundadores da Cooperativa dos Produtores de Mel, Derivados e Insumos Apícolas em Alagoas-COOPEAPIS, assumindo a secretária por duas gestões consecutivas. Em 2013 ingressou na Universidade Federal de Santa Maria-UFSM cursando Tecnologia em Geoprocessamento-UFSM, formando-se respectivamente em 2018. Atualmente é Mestrando do Programa de Pós-graduação em Geografia na UFSM. Atuando no Laboratório de Geologia Ambiental- LAGEOLAM. Tem experiência na área de Sistema de Informações Geográficas (SIG), com ênfase nos seguintes temas: Geoprocessamento, análise espacial, gestão do território e geomorfologia .

João Henrique Quoos, Instituto Federal de Santa Catarina

Possui curso técnico profissionalizante pelo Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria (2005). Graduação em Geografia Licenciatura pela Universidade Federal de Santa Maria (2010) e Mestrado em Geografia pela mesma instituição (2013). Atualmente é Professor de Geografia e coordenador do Curso Superior em Gestão Ambiental no Instituto Federal de Santa Catarina, Câmpus Garopaba, SC. Atua na área de Cartografia e Ensino, Patrimônio Natural, Objetos de Aprendizagem, Geomática, Gestão Ambiental e temas afins.

Iago Turba Costa, Universidade Federal de Santa Maria

Graduado em Geografia (Licenciatura) e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é doutorando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO) da UFSM.

Referências

AHMADI, M. et al. Investigation of effective climatology parameters on COVID-19 outbreak in Iran. Science of the Total Environment, v. 729 2020. Disponível em: < https://www.sciencedirect.com/journal/science-of-the-total-environment/vol/729/suppl/C>. Acesso em 09 de junho de 2020.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA - Nota sobre ventiladores pulmonares. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/219201/4340788/Nota+informativa_Ventiladores+pulmonares.pdf/0213a634-1db4-4892-b122-124830918ecc>. Acesso em 09 de junho de 2020.

BASHIR, M.F. et al. Correlation between climate indicators and COVID-19 pandemic in New York, USA. Science of the Total Environment v.728, 2020.

BOULOS, M. N. K.; GERAGHTY, E. M. Geographical Tracking and Mapping of Coronavirus Disease COVID-19/Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 (SARS-CoV-2) Epidemic and Associated Events around the World: How 21st Century GIS Technologies Are Supporting the Global Fight against Outbr. International Journal of Health Geographics, v.19 n. 8 11 mar 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Painel Coronavírus, 2020. Disponível em <https://covid.saude.gov.br/>. Acesso em 27 abr. 2020.

CARSTAIRS, V.; MORRIS, R. Deprivation and health in Scotland. Health bulletin, v. 48, n. 4, p. 162–175, 1990

CARDOSO, P. V. et al. A importância da análise espacial para tomada de decisão: um olhar sobre a pandemia de COVID-19. Rev. Tamoios, São Gonçalo (RJ), ano 16, n. 1, Especial COVID-19. pág. 125-137, maio 2020

CASTRO, M. C. et al. Demand for hospitalization services for COVID-19 patients in Brazil. medRxiv, v. 1, 1–16 (2020).

CARVALHO, L. R.; ANDRADE, M. V.; AMARAL, P. V. M. Avaliação dos parâmetros de oferta mínimos para os leitos SUS no Brasil, 2015. Planejamento e Políticas Públicas - PPP/Ipea, 2020; In 243 Press.

COELHO, F. C. et al. Assessing the potential impact of COVID-19 in Brazil: Mobility, Morbidity and the burden on the Health Care System. medRxiv (Preprint submitted to Elsevier). DOI: https://doi.org/10.1101/2020.03.19.20039131 https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2020.03.19.20039131v2

CORRÊA, R. L. (Orgs). Explorações geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.

DATASUS. População Residente - Estudo de Estimativa Populacionais por município. 2015. Disponível em: <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?novapop/cnv/popbr.def>. Acesso em 06 de junho de 2020

DEHNING, J. et al. Priesemann. Inferring change points in the spread of COVID-19 reveals the effectiveness of interventions. Science, 15 May 2020: eabb9789 DOI: 10.1126/science.abb9789

ESPECIAL COVID-19 - Dados por município. Disponível em: <https://brasil.io/covid19/>. Acesso em 06 de junho de 2020.

FIGUEIREDO SANTOS, J. A. Covid-19, causas fundamentais, classe social e território. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, 2020, e00280112. DOI: 10.1590/1981-7746-sol00280

FORTALEZA, C. M.C.B. et al. Elementary spatial structures and dispersion of COVID-19: health geography directing responses to public health emergency in São Paulo State, Brazil. medRxiv preprint doi: https://doi.org/10.1101/2020.04.26.20080895.this version posted May 1, 2020

GUPTA, A.; BANERJEE, S.; DAS, S. Significance of geographical factors (climatic, topographic and social) to the COVID-19 outbreak in India. OSF Preprints, 2020. https://doi.org/10.31219/osf.io/9gqpm

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censo Demográfico. Resultados do Universo por setor censitário. 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Malha digital dos municípios. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Região de Influência das Cidades – REGIC. 2020.

LU, H.; STRATTON, C.W..; TANG, Y. Outbreak of pneumonia of unknown etiology in wuhan China: the mystery and the miracle. J. Med. Virol, v. 92, ed. 4, 2020. https://doi.org/10.1002/jmv.25678

MASSONNAUD, C.; ROUX, J.; CRÉPEY, P. COVID-19: Forecasting short term hospital needs in France. medRxiv, Pre-print, 2020. DOI: 10.1101/2020.03.16.20036939.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Folha informativa - Covid-19. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875> Acesso em 27 Maio 2020.

PEREZ C. J.; FERREIRA, A. D. D. Agroecologia, construção social de mercados e a constituição de sistemas agroalimentares alternativos: uma leitura a partir da Rede Ecovida de Agroecologia. In: NIEDERLE, P. A.; ALMEIDA, L. DE; VEZZANI, F. M. (Orgs.). Agroecologia: praticas mercados e políticas para uma nova agricultura. Curitiba: Kairós, 2013. p. 171-213.

PRATA, D. N.; RODRIGUES, W.; BERMEJO, P. H. Temperature significantly changes COVID-19 transmission in (sub) tropical cities of Brasil. Science of the Total Environment, v. 729, 2020.

RIZZATTI, M.; SPODE, P. C. L.; ERTHAL, D. B.; FARIA, R. M. Avaliação geográfica para risco de COVID-19 em população a partir de 50 anos na área urbana de Santa Maria, RS, Brasil. Geografia, Ensino e Pesquisa. v. 24, p. 1-33, 2020.

ROSSINI, C. C. A segregação na distribuição dos equipamentos de infraestrutura urbana, na cidade de Santa Maria/RS. Dissertação de mestrado (Programa de Pós-Graduação em Geografia UFSC). Florianópolis/SC, 2005, 135p.

SILVA, R. J.; SILVA, K; MATTOS, J. Spatial analysis on the dispersion of covid-19 in the state of Bahia. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.39 2020

SAATY, T.L., How to make a decision: The analytic hierarchy process. European Journal of Operational Research, v.48 n.1, p.9-26, 1990.

SECRETÁRIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL. Painel Coronavírus RS. Disponível em < http://ti.saude.rs.gov.br/covid19/ >. Acesso em 08/06/2020 às 12:51h.

SOHRABIA, C. et al. World Health Organization declares global emergency: A review of the 2019 novel coronavirus (COVID-19). International Journal of Surgery, v. 76, 2020. P. 71–76

SHI, P. et al. Impact of temperature on the dynamics of the COVID-19 outbreak in China. Science of the Total Environment, v. 728, 2020. 138890

SPOSITO, M. E. B.; GUIMARÃES, R. B. Por que a circulação de pessoas tem peso na difusão da pandemia. Difusão da Covid-19 no país segue modelo relacionado a interações espaciais na rede urbana. por: Maria Encarnação Beltrão Sposito e Raul Borges Guimarães. 26/03/2020. UNESP. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Disponível em: https://www2.unesp.br/portal#!/noticia/35626/por-que-a-circulacao-de-pessoas-tem-peso-nadifusao-da-pandemia. Acesso em: 03 jun. 2020

SCHUCHMANN, A. Z. et al. Isolamento social vertical X Isolamento social horizontal: os dilemas sanitários e sociais no enfrentamento da pandemia de COVID-19. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 3, n. 2, mar./apr. 2020. p.3556-3576

VOOGD, H. Multicriteria evaluation for urban and regional planning. London: Pion, 1983.

WANG, J. et al. High Temperature and High Humidity Reduce the Transmission of COVID-19 (Available SSRN 3551767).

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. Director-General’s Remarks at the Media Briefing on 2019-nCoV on 11 February 2020. Disponível em: <https://www.who.int/dg/speeches/ detail/who-director-general-s-remarks-at-the-media-briefing-on-2019-ncov-on-11-february-2020>.