IFCOMMUNITY GARDEN

  • Vladimir Schuindt
  • Daniele Aparecida MARCONDES
  • Gilson Ribeiro NACHTIGALL
  • Mirela BERNIERI
  • Ricardo Henrique da SILVA

Resumo

Introdução. O conceito de tecnologia social (TS) abrange metodologias, técnicas ou produtos desenvolvidos em interação com a comunidade em busca de efetivas soluções para problemas sociais ali existentes. As tecnologias sociais podem ser reaplicadas em diversas localidades, respeitando as diferenças culturais, trata-se de um conceito inovador de desenvolvimento, pois considera a participação coletiva em um processo de organização, desenvolvimento, implementação e disseminação (FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL, 2016). Nesse sentido, as hortas comunitárias e medicinais são opções viáveis de ação social, como forma de agricultura urba­na e periurbana (AUP), cada vez mais afirmando-se como instrumento de integração nos processos de desenvolvimento sustentável das pessoas e do ambiente, praticada em diferen­tes espaços: privados, institucionais, locais não construíveis e locais verdes urbanos. Assim sendo, o objetivo do presente projeto é utilizar horta comunitária e medicinal como recursos terapêutico, pedagógico e de capacitação profissional.

Materiais e Métodos. As etapas da instalação a manutenção são descritas a seguir: 1) reunião técnica com os envolvidos (servidores e estudantes dos Campi de Fraiburgo e Videira do IFC) para apresentação/ detalhamento das ações iniciais; 2) captação de doações de insumos (sementes, mudas, adubo orgânico, etc.) e de voluntários com máquinas e implementos; 3) implementação da horta comunitária e medicinal, com equipe técnica e colaboradores, incluindo ações de capina e preparação do solo, cercamento do local, adubação, confecção de canteiros, plantio de mudas; 4) reuniões mensais; 5) manutenção, com orientações técnicas (FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL, 2016; LIZ, 2006); 6) arrecadação de fundos por meio de eventos promocionais destinados a manutenção e melhorias da horta comunitária e medicinal, sempre que necessário.

Resultados esperados. Espera-se que ações educativas interdisciplinares de Educação Alimentar e Nutricional (EAN), orientadas pela Lei nº 11.947/09 (BRASIL, 2009), utilizando atividades ligadas ao manejo e produção de plantas medicinais e comestíveis em horta comunitária e medicinal sejam efetivas como recurso terapêutico complementar no tratamento e melhoria da qualidade de vida para as pessoas com necessidades educativas especiais da Associação Atitude e Vida (AAE) de Fraiburgo/SC, como estratégia de ampliação do saber dos estudantes dos campi Fraiburgo e Videira do IFC.

Publicado
2019-10-23
Seção
Resumos